Jump to content

AutoForum.com.br - Som automotivo e automóveis  - O fórum dos maníacos por som automotivo e automóveis
- Proibido conteúdo impróprio para menores em tópicos públicos: Nudez estrategicamente coberta; Roupas transparentes; Poses obscenas ou provocantes; Close-ups de seios, nádegas ou virilhas; (em cumprimento a normas do Google) Qualquer desvio, denuncie ao moderador.
- Usuários do Hotmail/Outlook/Msn - confira tutorial para receber emails do fórum;
- Qualquer problema em algum post, DENUNCIE ao moderador, utilize o link abaixo de cada post.
- Confira tutorial para enviar fotos. Tão fácil quanto um CTRL+V. 
- Campeonato SQ Excperience - Garagem 55 - Móoca - São Paulo/SP - domingo 26/Novembro/2023 *****

RobôAutoforum

Membro Pró
  • Content Count

    32,286
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    6

Everything posted by RobôAutoforum

  1. Wilson Fittipaldi Jr., um dos nomes mais importantes do automobilismo brasileiro, morreu nessa sexta-feira (23), em São Paulo (SP), vítima de uma parada cardíaca aos 80 anos. Wilsinho estava internado na UTI desde o Natal, quando também fazia aniversário. Na ocasião, ele se engasgou durante um almoço em família e sofreu uma primeira parada cardíaca, que motivou sua internação desde então. Vida nas pistas Nascido em 25 de dezembro de 1943, Wilsinho era filho da polonesa Józefa Wojciechowska e de Wilson Fittipaldi, um dos primeiros locutores de corridas do Brasil e que também teve sua carreira como piloto. Wilson “Barão”, o pai, entre os filhos Emerson (de macacão) e Wilsinho durante o GP de Monza de 1975Acervo/Quatro RodasWilsinho e Emerson Fittipaldi, seu irmão mais novo, começaram a correr nos anos 1960, em karts que eles mesmos preparavam. Logo, estavam trabalhando em carros de Fórmula Vee, que, à época, formava vários pilotos para a Fórmula 1. Naturalmente, os irmãos atingiram carreira internacional: Wilsinho estreou na Fórmula 3 em 1970, após breves testes alguns anos antes. Em sua primeira temporada, competiu contra James Hunt e Niki Lauda, com desempenho que garantiu sua vaga na F2 já em 1971. Fusca bimotor desenvolvido pelos irmãos em 1967Morio/WikimediaEm 1972, entrou com gala na Fórmula 1: sua estreia não apenas foi no primeiro GP do Brasil, como ainda rendeu um terceiro lugar a Wilsinho, correndo pela Brabham. Nos anos seguintes, porém, o irmão mais velho obteve resultados medianos e decidiu apostar tudo na criação de sua própria equipe. Pai do Copersucar Durante todo o ano de 1974, Wilson trabalhou na criação Fittipaldi Automotive, que se tornou a única equipe brasileira a disputar a Fórmula 1. A estreia ocorreu em 75, no GP da Argentina, com ele mesmo ao volante de um dos carros, acompanhado por Arturo Merzario no outro. O patrocínio master veio da Copersucar, e o nome da cooperativa de álcool e etanol acabou se tornando sinônimo do time. Wilson Fittipaldi Júnior pilotando o Copersucar-Fittipaldi FD01, após processo de restauraçãoRicardo Rollo/Quatro RodasNo ano seguinte, a equipe desistiu da ousada ideia de manter base em São Paulo, mudando suas operações para a Inglaterra. Ao mesmo tempo, Emerson, já bicampeão de F1, assumiu o volante e Wilson se dedicou somente à gestão. Continua após a publicidade Até 1982, foram 103 largadas, três pódios e 44 pontos da equipe, que também teve patrocínio da Skol e correu sob nome dos próprios irmãos. Ao volante, houve pilotos como Keke Rosberg, Ingo Hoffmann e Chico Serra. Copersucar-Fittipaldi FD01 se destacava pela pintura coloridaRicardo Rollo/Quatro RodasAs dificuldades de gestão e resultados não muito impressionantes, porém, fizeram com que não houvesse dinheiro para a temporada de 1983, quando o sonho foi interrompido. Wilson Fittipaldi JúniorRicardo Rollo/Quatro RodasNos anos 1980, Wilson correu na Stock Car. Na década seguinte, ganhou as Mil Milhas de Interlagos e fez mais corridas na Stock, antes de participar da Copa Truck europeia em 2000. Ao mesmo tempo, acompanhou de perto a carreira do filho Christian, que esteve na F1 entre 1992 e 1994. Publicidade View the full article
  2. BMW com câmbio manual, vermelho, esportivo… Cristian Silva, o Cris, não precisa se esforçar para lembrar do BMW GT 1600 1968 em que passeava com seu pai, Renato Silva, no final dos anos 1980. Com dois carburadores Solex 42 e apenas 900kg, esse carro era literalmente um sonho na época, ainda mais no Brasil, e alimentou a paixão de Cris pela marca alemã. Hoje, ele é dono de um exótico modelo 325 com uma preparação fora do comum, equipado com um motor de M3. Na gíria dos carros, esse BM é um “sleeper”. É um modelo que finge ser manso, quando na realidade é o oposto. Cris é o fundador do instituto profissionalizante FT Education, localizado em Canoas (RS), enquanto seu irmão toca uma oficina que só cuida de carros especiais, também no Sul do país. Portanto, ele é um cara que convive ao lado de carros modificados diariamente. Totalmente “contaminado” por esse ambiente, o empresário decidiu criar seu próprio carro. Sleeper vermelho: modelo montado pelo Cristian Silva foi fabricado em 1994 (Acervo FULLPOWER)A saga desse sleeper só começou em 2008, com a vontade de Cristian em montar um brinquedo para se divertir nos finais de semana em que não está dando aulas. E o BMW sleeper não era a primeira opção nas buscas por sites de compra e venda de automóveis. “Quando compartilhei minhas ideias com o Anderson Dick, da FuelTech, ele disse que eu estava louco. A briga na minha lista era entre um Seat Ibiza, pois gostava da versão de Rali, e um Gol GTI 16V”, conta Cris, rapidamente convencido a desistir desses modelos. O primeiro alemão encontrado, um 318, também foi descartado pelo amigo Anderson, muito claro ao afirmar que BMW tem que ter motor seis cilindros. A suspensão do carro possui um conjunto completo de molas e amortecedores da Megan Race (Acervo FULLPOWER)Quando achou esse modelo 325 das fotos, não resistiu e arrematou na hora. Além de se encaixar na configuração que seu amigo especialista recomendava, um BM de seis cilindros, ele tinha câmbio mecânico e a pintura vermelha… Era exatamente o que ele precisava para relembrar o GT de seu pai e curtir o que poderia se tornar uma máquina com quase 500 cavalos de potência para andar na rua e acelerar fundo na pista. O motor original desse 325 alemão, fabricado em 1994, é um seis cilindros em linha 2.5 litros de quase 190 cv e podia atingir quase 240 km/h de velocidade máxima. Por aqui, antes de ser retirado do cofre do motor, esse seis canecos até foi turbinado com um coletor da SPA e turbo original de Fiat Tempra. Na época, a injeção usada era a FT300, com ajuda de um Spark PRO 6 e alimentação de gasolina. “Não cheguei a passar no dinamômetro, mas estimo algo em torno de 250 cavalos nas rodas, potência de um M3 original dos anos 1990”, conta Cristian. Parece um BMW 325 manso, mas é um sleeper com mais de 500 cv (Acervo FULLPOWER)Sleeper: visual de BMW 325 e motor de M3, ou será o contrário? Se hoje o comum é ver rodas BBS instaladas em carros ultrabaixos, para fazer o stance desejado, aqui a história é outra. Em 2011, o preparador do carro, seu irmão Diogo Silva, da RC Racing, lhe deu um motor 3.0 do M3 americano, o M50B30, recheado de peças boas, como pistões forjados Iapel, bielas Engle, comando de válvulas BMW Motorsport, etc. Então, no final de 2012, começou o trabalho de transformação radical no BMW 325. De parar o trânsito: rodas BBS aro 18 polegadas com raios dourados (Acervo FULLPOWER)“Fiz o oposto do que é comum. Ao invés de colocar o visual da M3, instalei o powertrain completo do esportivo e mantive o visual original do 325”, explicou o dono do carro. “Essas rodas, no caso, são para quando o BM está nas ruas. Na pista, vai de slick montado em rodas BMW de 18”x8,5.” Depois de encaixado no cofre, o motor 3.0 (que virou 3.1 com as novas peças internas) ganhou um turbo Master Power 6164 refrigerado à água, intercooler com entrada e saída de três polegadas e escape em inox, tudo da RC Racing. Com a nova injeção FT 500, Cris programou o booster do BMW para deixar o carro bem progressivo no circuito, com 0,3 kg na saída de curvas (algo em torno de 300 cv) e 0,8 kg a partir das 5.500 rotações (até 480 cv). “Dessa maneira, o carro fica bem prazeroso de guiar e bom para virar tempo”, explica o preparador. O motor seis cilindros 3.0 do M3 foi “transplantado” no lugar do 2.5 original do BMW 325 (Acervo FULLPOWER)O “chão” desse BMW 325 sleeper com coração de M3 é feito é composto por um conjunto completo de molas e amortecedores da Megan Race. Além de 30 ajustes e câmber plate para facilitar regulagens, existem barras de torção e freios gigantes, que não fadigam no final da reta. “Apesar dos equipamentos de ponta, na primeira prova em Santa Cruz descobrirmos onde era possível melhorar. Com a ajuda do Cristian Delfino, da WCR, desenvolvemos a refrigeração dos freios e o alinhamento da suspensão, o que melhorou muito o desempenho nas outras oportunidades”, contou Diogo. Fora o volante de competição, pouca coisa muda no interior do BMW 325 sleeper do Cris (Acervo FULLPOWER)Durante nossa reportagem, andamos no carro com configuração de rua e a sensação é de que o BMW já passou da conta para rodar na boa, civilizadamente. Apesar de dócil de motor, seu setup é bem firme e sobra potência para dar lixadas gigantescas com as rodas traseiras. Quando o turbo pega pra valer, a patada é forte e a sensação é de que o carro não para de crescer. Em trechos de trânsito, o piloto sofre com o pedal da embreagem Tilton para sair do semáforo sem trepidar, o que é natural numa configuração dessa, mais radical. Além do motor, o BMW 325 também herdou câmbio manual do M3 (Acervo FULLPOWER)Adicione a esta receita interior com bancos Sparco bem justos e câmbio ZF de cinco marchas manual, também de M3. O resultado é que você vai pensar em andar de pé direito colado no assoalho. Aí, o azar é de quem encontrar esse sleeper no caminho da pista e achar que está alto para o jogo de BBS instalados. Aqui, o stance é para andar forte e não para desfilar! Ficha técnica Motor – 6 cilindros em linha, 3.1 litros Alimentação – Injeção eletrônica, etanol Potência – 480 cv (rodas) Torque – 68 kgfm (rodas) Transmissão – Manual, cinco marchas, tração traseira Freios – Discos ventilados Pneus – Diant.: 225/40 / Tras.: 235/45 Rodas – Diant.: 18†x 8†/ Tras.: 18†x 9†Upgrade – Motor, turbo, injeção, embreagem, suspensão, freios, rodas, pneus, bancos, volante Empresas – RC Racing O post “Sleeper” de 500 cv: BMW 325 montado no RS roda disfarçado com motor de M3 apareceu primeiro em Revista Fullpower. View the full article
  3. A Stellantis ainda não anunciou o novo ciclo de investimentos bilionário que viabilizará o lançamento dos seus primeiros carros híbridos flex do mundo, todos fabricados no Brasil. Isso poderá acontecer ainda em fevereiro, mas não está impedindo o desenvolvimento das novas tecnologias que, inclusive, dependerão de componentes nacionais. Relacionadas SegredoJeep Compass a diesel sai de linha em 2024; entenda6 fev 2024 - 13h02 SegredoJeep Compass Overland terá motor da Rampage e interior de ‘caúboi’27 dez 2023 - 15h12 NotíciasComo são as 3 mecânicas híbridas flex que a Stellantis terá no Brasil?1 ago 2023 - 09h08 A mecânica híbrida flex, mais especificamente a chamada Bio-Hybrid e-DCT, será um dos motivos para mudanças radicais na gama de versões do Jeep Compass 2025. As lanternas traseiras ganharam novo leiaute internoFernando Pires/Quatro RodasO novo ano-modelo do SUV médio da Jeep começará a ser lançado já em abril. Uma das novidades do Compass 2025 será a estreia do motor 2.0 turbo Hurricane-4, de 272 cv e 46,9 kgfm. Este motor é oferecido nas versões mais caras da Ram Rampage e continuará combinado ao câmbio automático de nove marchas e à tração 4×4 permanente. Duas versões terão o motor mais potente: o esportivado Compass Blackhawk e o luxuoso Compass Overland. As duas novas versões entrariam no meio dos atuais Compass a diesel,. custando algo em torno de R$ 265.000 (ou até mais). Mas a Jeep não está nem um pouco preocupada com canibalização. Jeep Compass Blackhawk já apareceu quase sem disfarces. Foto não mostra o escape duplo que virá junto ao motor 2.0Mundo Drive/InstagramInformações exclusivas obtidas pela QUATRO RODAS antecipam que os Jeep Compass com motor 2.0 turbodiesel estão saindo de linha em 2024, seguindo os passos do Jeep Renegade que abandonou o motor diesel em 2022. Além do impacto do preço do diesel, a diferença de preço de versões a diesel e a gasolina do Compass supera os R$ 40.000, tornando a opção menos atrativa financeiramente, considerando o custo-benefício e o retorno sobre o investimento em longo prazo. Isso sem contar que, hoje, os Compass 1.3 turbo são mais rápidos que os com motor diesel. E os 2.0 a gasolina serão ainda mais rápidos e poderão atender quem demanda tração 4×4. Continua após a publicidade Jeep Compass TD350 4×4 sei de linha em 2024Fernando Pires/Quatro RodasOs Jeep Compass com motor 1.3 turbo também terão novidades. De acordo com o site Autos Segredos, o Jeep Compass híbrido flex será lançado no segundo semestre de 2024. Será o primeiro carro híbrido fabricado em Goiana (PE). Compartilhe essa matéria via: WhatsAPP Telegram Essa mecânica é chamada de Bio-Hybrid e-DCT e depende do motor-gerador de 20 cv que trabalha com arquitetura elétrica 48V. Esse motor vai dentro do câmbio automatizado de dupla embreagem chamado de e-DCT. Câmbio e-DCT tem sete marchas e foi desenvolvido pela Magna. A intenção é nacionalizá-lo a longo prazoMagna/DivulgaçãoO câmbio em questão é 7HDT300, fornecido pela Magna e usado nos Jeep Compass e Renegade E-Hybrid e também no Fiat 500X na Europa. Será responsável por substituir o câmbio automático de seis marchas nas versões híbridas. A diferença para sistemas híbridos leves é que esse motor elétrico pode mover o carro em marcha ré ou condução em marcha lenta ou no trânsito, além de dar a partida no motor a combustão. A alimentação vem de uma bateria de 1 kWh, que é recarregada em desacelerações e frenagens, dispensando o uso de carregadores externos. Outra particularidade dessa transmissão é que esse câmbio tem um sistema de arrefecimento independente e sob demanda para as embreagens e o motor elétrico, com um único circuito de óleo para resfriamento e lubrificação, o que o torna mais eficiente. Cabe a um sistema de gestão eletrônica coordenar a operação do motor turboflex e dos motores elétricos da forma mais eficiente possível. Continua após a publicidade Além do mais, os Jeep Compass Bio-Hybrid e-DCT continuarão com o motor T270, o 1.3 GSE Turbo Flex que hoje rende 185 cv com etanol. A grande sacada é poder compensar as emissões usando etanol. Na Europa, os carros com essa mecânica eletrificada usam o motor 1.5 GSE Turbo que trabalha em ciclo Miller e não existe por aqui. Renegade e Compass E-Hybrid europeusDivulgação/JeepO Jeep Compass Bio-Hybrid e-DCT terá oferta restrita no início, mas ajudará a Jeep a reduzir sua média de emissões nos próximos anos, com a entrada em vigor do Proconve L8 em 1° de janeiro de 2025. Também será responsável por enterrar o Jeep Compass 4XE, versão híbrida plug-in importada da Itália, que encalhou nas concessionárias. Ainda de acordo com o Autos Segredos, existe a possibilidade do Jeep Compass 1.3 turboflex ganhar opção de tração 4×4 combinada ao câmbio automático de nove marchas. Na prática, seria a mesma mecânica dos Jeep Renegade 4×4 atuais. Híbridos fabricados em Pernambuco Em teoria, todos os carros baseados na plataforma Small Wide poderão receber a mecânica Bio-Hybrid e-DCT, desde que faça sentido para a Stellantis. No Brasil, carros com essa plataforma são fabricados apenas na unidade de Goiana (PE). São eles: Jeep Renegade, Compass e Commander e as picapes Fiat Toro e Ram Rampage. À esquerda o presidente da Stellantis para a América do Sul, Emanuele Cappellano. À direita, a Governadora de Pernambuco, Raquel LyraDivulgação/StellantisNesta semana, o presidente da Stellantis para a América do Sul, Emanuele Cappellano, se encontrou com a Governadora de Pernambuco, Raquel Lyra, e adiantou que a empresa anunciará em breve um novo investimento na fábrica de Goiana (PE). Esse é o aporte que vai garantir o lançamento dos Jeep Compass híbridos nacionais. Continua após a publicidade “O plano que anunciaremos levará a Stellantis a um novo patamar. Avançaremos como protagonistas da mobilidade segura, sustentável e acessível, gerando desenvolvimento e riqueza para a região e todo o país”, disse Cappellano durante o encontro. De acordo com a Stellantis, o novo ciclo de investimentos inclui novos produtos e serviços, e a expansão da cadeia de fornecedores para o desenvolvimento e localização de novas tecnologias para acelerar a descarbonização da mobilidade. A fábrica de Goiana foi inaugurada em 2015 e desde então já gerou mais de 60.000 empregos, quando somada a cadeia de fornecedores. Jeep Commander poderá ser híbrido no futuroFernando Pires/Quatro RodasE os fornecedores locais serão estratégicos para a “descarbonização” de todas as marcas da Stellantis. A empresa chama de Bio-Hybrid as plataformas que está desenvolvendo para fabricar carros híbridos flex no Brasil e a nacionalização dos principais componentes do sistema elétrico, como motores elétricos e baterias, é parte inegociável do projeto. É o que vai garantir volume de produção. A Fiat também terá carros híbridos nacionais em 2024, começando pelos Pulse e Fastback fabricados em Betim (MG). A Citroën também: seu SUV cupê, ainda chamado de C3 X, poderá estrear com o motor 1.0 turbo eletrificado. Os modelos citados, porém, terão sistema híbrido leve, com o motor T200 assistido por um motor-gerador de 12v. Publicidade View the full article
  4. ECONOMIZE AO MONTAR SEU SISTEMA DE SOM AUTOMOTIVO ESTRANHO AUDIO PARTS - Use o cupom de desconto INFINITYEAP e compre direto da fabrica https://loja.estranhoaudioparts.com.br Concorra a um SOM AUTOMOTIVO / RESIDENCIAL completo https://infinitysom.com.br/catalogsearch/result/ q LOTE SEJA MEMBRO AJUDE A MANTER O CANAL https://www.youtube.com/channel/UCWVXY200ZHWULaDTvDQtfpg/join z CURSO COMPLETO https://go.hotmart.com/D61464418N de Som Automotivo - Seja voce o melhor profissional de sua regiao Quer projetar as MELHORES CAIXAS https://infinitysom.com.br/catalogsearch/result/ q ELISA Tire suas duvidas ou projete seu sistema comigo meu contato: https://infinitysom.com.br/consultoria-bruno.html Taramps https://amzn.to/3vOhi7S Stetsom https://amzn.to/3pL7Xgc Soundigital https://amzn.to/3vPs0uV Banda https://amzn.to/3nzFo2y Pioneer https://amzn.to/3vTS6wU Bravox https://amzn.to/3bgWLz8 Eros Alto-Falantes https://amzn.to/2Zqs488 JBL https://amzn.to/3miYURq Triton Alto-Falantes https://amzn.to/3msUrvH 7Driver https://amzn.to/3cFHjNY Oversound Alto-Falantes https://amzn.to/3mmGRtw Fontes Usina https://amzn.to/3miUoCr Bomber Alto-Falantes https://amzn.to/3CtQyw4 JFA https://amzn.to/2ZnfI0x DICA ao acessar os links inclua no carrinho de compras imediatamente para garantir a oferta naquele preco Instagram: https://instagram.com/infinity.som Maior interacao com os inscritos alem de sorteios GRATUITOS. Facebook: https://www.facebook.com/infinitysomautomotivo View the full article
  5. Chegou a hora! O Mercedes Benz 500 E é o CarrosClássicosPioneer da vez! Não vale mentir que acertou, hein? 😅😝 View the full article
  6. Em visita ao Brasil, o CEO global da Hyundai, Euisun Chung, se encontrou com o Presidente Lula em Brasília, nesta quinta-feira (22), para anunciar investimentos bilionários de olho no hidrogênio ‘nacional’. De acordo com Chung, a Hyundai investirá US$ 1,1 bilhão no País pelos próximos oito anos — o equivalente a R$ 5,4 bilhões em valores atuais. Esse dinheiro será aplicado em tecnologias ligadas a carros híbridos e elétricos e ao hidrogênio verde. Ainda que tenha sua fábrica em Piracicaba (SP), porém, a sul-coreana informou que não deverá produzir veículos desse tipo na unidade. Relacionadas TestesToyota Mirai é o carro a hidrogênio que quer aproveitar nosso etanol9 nov 2023 - 16h11 NotíciasVW cria Virtus conversível para Lula repetir foto de 1959 com JK e Fusca2 fev 2024 - 17h02 Carros elétricosDirigimos o BMW iX5 a hidrogênio que prepara o futuro da marca alemã18 jan 2024 - 17h01 O que de fato será realizado permanece incerto, à medida que a Hyundai preferiu não detalhar o assunto por agora. Mas é natural que uma parte do dinheiro sirva para importar veículos eletrificados, que naturalmente renovarão o catálogo da marca, e que haja foco no hidrogênio verde. Produção de hidrogênio verde vem crescendo no BrasilReprodução/ReproduçãoExportação de hidrogênio Historicamente, fabricantes de carros sempre deixaram a produção de combustível para as empresas do setor energético. Agora, a Hyundai acredita que o caminho é unir esses processos, de maneira parecida com as marcas que desenvolvem as próprias baterias de seus carros elétricos. Compartilhe essa matéria via: WhatsAPP Telegram Além do mais, o Hyundai Motor Group é reconhecido por verticalizar seus negócios. Tem empresas nos ramos de logística, TI, siderurgia, autopeças, construção, plásticos, financeiro e até mesmo de publicidade. Hyundai Nexo: o primeiro veículo desenvolvido pela marca com uma plataforma própria para carrros a hidrogêniodivulgação/HyundaiO Brasil está em posição de destaque na produção do hidrogênio, já que produzimos o dobro da energia que consumimos e a abundância de energia eólica e solar é crucial para o famoso hidrogênio verde, criado através de um processo que gasta apenas eletricidade vinda de fontes renováveis. O combustível produzido aqui (através do etanol, também) poderia ser exportado para outros lugares através de navios e dutos, por exemplo. A própria Hyundai tem planos para vendê-lo não apenas para automóveis, mas para trens, embarcações e até aeronaves, que podem ser consumidores importantes de combustível limpo num futuro próximo. Continua após a publicidade É uma indústria que se retroalimenta: as leis ficam mais rígidas, novas tecnologias surgem para sanar o problema ambiental e novos mercados surgem para atender às novidades, como fornecedores. A produção de hidrogênio limpo também serviria para a Hyundai bater suas metas de emissões e, claro, ajudar a popularizar veículos do tipo (FCEVs). Atualmente, os coreanos já vendem o SUV Nexo e o caminhão XCIENT com essa tecnologia. Publicidade View the full article
  7. A Mercedes pretende facilitar o processo de recarga de carros para os seus clientes. Para isso, o novo Flexible Charging System Pro foi projetado e servirá como um “carregador de parede transportável”. Essa espécie de wallbox ambulante pesa apenas 5 kg e vem em uma bolsinha discreta, mas é poderoso. Relacionadas TestesNovo Mercedes E300 é híbrido leve com 39″ de telas e preço surreal15 fev 2024 - 06h02 NotíciasMercedes-Benz renova linha de caminhões, mas continua sem elétrico31 jan 2024 - 20h01 NotíciasMercedes-Benz Sprinter de luxo tem PS5 e TV e custa R$ 1,1 milhão5 jan 2024 - 18h01 O sistema é compatível com praticamente todos os tipos de entradas de carregadores europeus e consegue fornecer até 22 kW de potência de carregamento, dependendo da infraestrutura. É o suficiente para recarregar um carro em coisa de 3h, dependendo de outros fatores. <span class="hidden">–</span>Divulgação/Mercedes-BenzAlém de ser possível monta-lo na parede da garagem, o novo Flexible Charging System Pro pode ser armazenado no veículo, permitindo o uso fácil de em qualquer lugar. Depois do carro estar conectado, o sistema consegue gerenciar de forma autônoma o processo de carregamento, se ajustando automaticamente à potência de carregamento ideal do momento. Para que isso funcione de forma concreta, há recursos de segurança como um detector de corrente de falha e um sensor de temperatura, que servem para manter o carro seguro. Além disso, o carregador é a prova de água. Para o funcionamento, o cabo pode ser conectado à internet, que permite com que o processo de carregamento possa ser controlado pelo celular. Tudo funciona através do aplicativo Mercedes-Benz Charger. Continua após a publicidade <span class="hidden">–</span>Divulgação/Mercedes-BenzCom o aplicativo, os usuários podem controlar suas metas de energia, os custos, atualizações para o carro, etc. O sistema também o acompanha a sua atividade diária, o que facilita para acompanhar o seu uso de energia no carro. Para armazenar o carregador, a Mercedes também desenvolveu uma bolsa premium. Ela mantém todos os elementos organizados e arrumados para facilitar o uso. O Flexible Charging System Pro pesa cerca de 5 kg e já está disponível na Europa por cerca de £ 715,20 (R$ 4.481). Publicidade View the full article
  8. Modelo de entrada da chinesa Zeekr, o 001 passa por sua primeira atualização visual desde o seu lançamento, há três anos, para adequar-se à nova linguagem de design da marca. Tido como um liftback, ele foi o carro elétrico mais vendido da Rússia em 2023 e se pode estrear em breve no Brasil. Relacionadas NotíciasNovo Porsche Panamera E-Hybrid roda até 100 km como elétrico22 fev 2024 - 10h02 Carros elétricosNovo Dacia Spring é Kwid elétrico da Europa, mas com visual do Duster21 fev 2024 - 15h02 Carros elétricosBaojun Cloud é carro elétrico da GM mais barato que o BYD Dolphin20 fev 2024 - 16h02 O novo desenho externo do carro foi inspirado na versão esportiva, a 001 FR, e traz atualizações nos para-choques, mantendo o estilo característico da marca vista em outros modelos, mas sem modificações muito bruscas. Na dianteira, permaneceram os faróis divididos, agora com as peças inferiores mais afiladas e horizontais. As peças superiores ficam na mesma posição, com iluminação vertical. <span class="hidden">–</span>Zeekr/DivulgaçãoAtrás, o 001 tem lanternas totalmente iluminadas por leds e que atravessam toda a tampa do porta-malas. De lado é possível notar um formato que foge do visto em cupês, sedãs ou hatches. Por isso a classificação como um liftback. As dimensões do veículo também foram ligeiramente ajustadas, com um aumento de 7 mm no comprimento, chegando a 4,97 m, com uma largura de 1,99 m. A largura e a distância entre-eixos permaneceram inalteradas, em 3,00 m, enquanto a altura na posição padrão da suspensão pneumática é de 1,54 m. Compartilhe essa matéria via: WhatsAPP Telegram No interior, as mudanças são sutis, com pequenos retoques nos detalhes, como botões tradicionais que foram substituídos por alavancas. O sistema de desbloqueio das portas foi atualizado, e elementos como as saídas do ar-condicionado e os botões do volante foram redesenhados. Há poucos botões físicos, como os posicionados acima da alavanca de câmbio, e os do volante. <span class="hidden">–</span>Zeekr/DivulgaçãoA maior novidade na cabine fica para a modernização da central multimídia, que agora é equipada com um processador Snapdragon 8295 e uma tela com mais de 15 polegadas. O Zeekr 001 mantém sua construção na plataforma SEA, com a adição de motores elétricos mais potentes. Mesmo na versão básica, a potência do motor traseiro aumentou para 422 cv, enquanto a versão de tração integral agora conta com um motor dianteiro de 367 cv, podendo atingir uma potência total combinada de 789 cv. <span class="hidden">–</span>Zeekr/Divulgação Publicidade View the full article
  9. VW Nivus HL - Sistema de áudio SQ. Instalamos um kit de 2 vias e coaxial Audison, montagem nos lugares originais, com tratamento acústico full. A caixa selada em MDF e fibra, com 01 sub woofer de 10 pol. da Hertz. Instalamos um amplificador Hertz HCP de 4 canais empurrando o Kit e o sub, instalado embaixo dos banco dianteiro. Sistema ficou tocando com muita qualidade, refinamento e graves fortes se for exigido. O veículo não perde a garantia de fábrica, pois não alteramos ou cortamos qualquer chicote do veículo. A Audio Design dá garantia PERMANENTE em suas montagens desde 1994, excelência em vender , projetar e instalar. Mais de 25 anos construindo tendências e obras primas em áudio, acabamentos e acessórios. @vwnivus #vwbrasil #volkswagendobrasil #dasauto #volks #vw #polo #vwupclubsp #vwpassat #jetta #meuvw #vwpolo #vwpoloclub #vwpolobrasil #volkswagenpolo #vcup #volkswagen #vwlove #vwlovers #polo_virtus_clube #vwclub #nivus #nivushighline #vwnivus #nivusvw #nivusclube #nivus2021 #nivusbr #nivusclubebr #vwnivusbrasil View the full article
  10. ESTRANHO AUDIO PARTS - Use o cupom de desconto RAYLLAN5 e compre direto da fabrica https://loja.estranhoaudioparts.com.br WANDO ATUALIZACOES Comprar link MUSICAS ATUALIZADAS So chamar https://wa.me/message/WRTVBNF2E44IJ1 Meu facebook https://www.facebook.com/rayllansom/ Para comprar produtos online segue o link para compra AMAZON https://amzn.to/3B5gXlb Shopee https://shope.ee/apjpxVjd Ja conhece meu canal no youtube https://www.youtube.com/c/RAYLLANSOM Hashtags: dinheiro som somautomotivo nubank carro viagem bradesco rayllansom caixaeconomica audio financiamento banco vendas negocios Volkswagen Fiat Toyota Hyundai GM JEEP RENAULT HONDA NISSAN PEUGEOT CITROEN BMW BYD MITSUBISHI PORSCHE FORD Seja membro deste canal e ganhe beneficios: https://www.youtube.com/channel/UCg0mdazek-we xML7cHrr1g/join O seu canal de Som Automotivo /nordeste. Nao esqueca de deixar seu LIKE e de se INSCREVER-SE para continuarem atualizados e ajudar nossa familia crescer. Instagram TikTok kwai e Facebookr rayllansom GRUPO TELEGRAM LINK DO GRUPO--- https://t.me/joinchat/HAimD4-0PoXFuQz1 Caixa Bob Esponja trio como fazer passo a passo taramps stetsom grave shiver 3.8 View the full article
  11. sqpl somautomotivo lowbass hairtrick fbaudio sq Sextou e Low ----------------------------------------------- Mais informacoes do Nosso Curso Presencial Instalacao de Som na Razor fale direto no meu Whatsapp pessoal 19 99144-0998. Marcio Low Bass. ----------------------------------------------- Faca seu projeto com a Razor em Sao Paulo. Whatsapp 11 94714-3336. Nesse Corolla XEi 2023 tem os seguintes equipamentos: - Subwoofer Bravox P12X-S4 Em caixa selada - Kit 2 Vias Pioneer TS-C1790BR - Conversor RCA Stetsom - Amplificador Falcon DF 1200.5EX de 5 Canais ----------------------------------------------- Temos Nosso Curso: qAPRENDA TUDO SOM AUTOMOTIVO ONLINEq Acesse pelos links abaixo: https://go.hotmart.com/D61464418N e https://go.hotmart.com/D61464418N dp 1 --------------------------------------------- Tenha acesso a milhares de musicas de Low Bass na descricao do video abaixo: https://www.youtube.com/watch v QfGOEc eph8 View the full article
  12. ESTRANHO AUDIO PARTS - Use o cupom de desconto RAYLLAN5 e compre direto da fabrica https://loja.estranhoaudioparts.com.br WANDO ATUALIZACOES Comprar link MUSICAS ATUALIZADAS So chamar https://wa.me/message/WRTVBNF2E44IJ1 Meu facebook https://www.facebook.com/rayllansom/ Para comprar produtos online segue o link para compra AMAZON https://amzn.to/3B5gXlb Shopee https://shope.ee/apjpxVjd Ja conhece meu canal no youtube https://www.youtube.com/c/RAYLLANSOM Hashtags: dinheiro som somautomotivo nubank carro viagem bradesco rayllansom caixaeconomica audio financiamento banco vendas negocios Volkswagen Fiat Toyota Hyundai GM JEEP RENAULT HONDA NISSAN PEUGEOT CITROEN BMW BYD MITSUBISHI PORSCHE FORD Seja membro deste canal e ganhe beneficios: https://www.youtube.com/channel/UCg0mdazek-we xML7cHrr1g/join O seu canal de Som Automotivo /nordeste. Nao esqueca de deixar seu LIKE e de se INSCREVER-SE para continuarem atualizados e ajudar nossa familia crescer. Instagram TikTok kwai e Facebookr rayllansom GRUPO TELEGRAM LINK DO GRUPO--- https://t.me/joinchat/HAimD4-0PoXFuQz1 memes Som dos INSCRITOS 403 - TOP 10 TOCANDO com MUITA PRESSAO rayllansom View the full article
  13. visit: http://www.stevemeadedesigns.com/board join today This was a fun box to build and it does sound great DC Audio Level 2 subs later switched to level 3 tuned nice and low. Part 3 coming next Full video with much more detail here for those that can click. https://youtu.be/ciGiOlui52Y si 9iY1hiq2psXnZ8Gw Check out DC Audio products here: http://www.dcsoundlab.com SMD Products can be found at http://www.wcCarAudio.com Amazon Ebay and more Support these videos here http://www.patreon.com/meade916 Instagram: http://www.instagram.com/meade916 car audio subwoofer View the full article
  14. O lançamento do BYD Dolphin Mini está marcado para 28 de fevereiro, próxima quarta-feira. Mas o carro elétrico mais barato da BYD poderá esgotar antes disso. O modelo terá pré-venda à partir de domingo e será anunciada durante o programa Caldeirão do Huck. Relacionadas Carros elétricosBYD Dolphin Mini partirá dos R$ 99.800 e terá itens que o Dolphin não tem6 fev 2024 - 20h02 TestesBYD Dolphin Mini: como anda o carro elétrico que terá preço de hatch 1.030 jan 2024 - 17h01 Carros elétricosBYD Dolphin Mini: como é carro elétrico de R$ 100.000 que chega em 202430 dez 2023 - 17h12 A ação durante o programa tem previsão para durar 25 minutos durante o programa de Luciano Huck e ainda um intervalo inteiro do Fantástico. Isso marcará o início da pré-venda do Dolphin Mini, que será feita por meio do Mercado Livre. <span class="hidden">–</span>Henrique Rodriguez/Quatro RodasOs interessados deverão pagar um sinal de R$ 10.000 reais por meio do Mercado Pago antes mesmo do preço do carro ser divulgado. Informações obtidas por Quatro Rodas dão conta de que a BYD já tem 3.000 unidades do seu novo carro elétrico faturadas. Seriam todas as unidades do primeiro lote importado para o Brasil. Continua após a publicidade A rede de concessionárias da BYD conta com a divulgação do preço do carro pela televisão. Procurada, a BYD confirmou que haverá uma ação no domingo mas negou que o preço será divulgado no mesmo dia. <span class="hidden">–</span>Henrique Rodriguez/Quatro RodasOu seja, os preço seria mantido em segredo até o lançamento. Interessados no carro terão que pagar o sinal antes do preço ser revelado. E quem deixar para depois corre o risco de ter que esperar os lotes seguintes. Continua após a publicidade Como é o BYD Dolphin Mini A expectativa geral é a de que o BYD Dolphin Mini será lançado com preço abaixo dos R$ 100.000. Isso explica suas dimensões: são 3,78 m de comprimento (10 cm a mais que um Renault Kwid) com bons 2,50 m de entre-eixos (mesma medida dos primeiros Hyundai HB20). O porta-malas tem 230 litros. Compartilhe essa matéria via: WhatsAPP Telegram Seu motor elétrico gera 75 cv e 13,8 kgfm, e é alimentado por uma bateria de 38,8 kWh. A autonomia divulgada conforme as medições chinesas é de 405 km. O carro precisa de 14,9 segundos para chegar aos 100 km/h. A velocidade máxima é de 130 km/h. Continua após a publicidade Confira nossas primeiras impressões do Dolphin Mini clicando aqui. Publicidade View the full article
  15. A BMW tem assumido desafios ousados nos últimos anos, seja em design ou posturas de mercado. Mas, no Brasil, sua aposta mais inovadora ou corajosa, é o novo i7. Além do design polêmico, a versão elétrica do Série 7 chega como a única opção do sedã mais caro da marca. Ou seja, enquanto a concorrência ainda oferece versões a combustão, o Série 7 entra de vez na era elétrica por aqui. Mais do que isso, o grande sedã chega ao mercado brasileiro como um dos carros mais luxuosos e tecnológicos à venda por aqui. Por isso, depois deste texto e do vídeo que você pode ver acima, talvez os R$ 1.321.950 cobrados por ele, em sua versão única xDrive60, passem a não ser tão assustadores assim. BMW i7Fernando Pires/Quatro RodasGrade iluminada e faróis com cristais Como diversos outros modelos atuais da BMW, o novo Série 7 – ou, neste caso, i7 – fez barulho por seu design disruptivo. Pessoalmente, precisamos dizer, essa polêmica cai por terra. O sedã tem um desenho muito elegante e imponente, e mesmo com a carroceria preta (com um evidente tom azulado) chama atenção por onde passa. Relacionadas Carros elétricosBMW i5 Touring é perua elétrica charmosa com mais de 600 cv18 fev 2024 - 10h02 NotíciasBMW supera Tesla e lança piloto automático que é automático de verdade27 nov 2023 - 17h11 Carros elétricosOs absurdos do Mercedes-AMG EQS 53, o sedã elétrico que anda como Ferrari1 dez 2022 - 17h12 Quem também não deixa que o i7 passe despercebido são suas dimensões. O sedã tem 5,39 metros de comprimento (maior que uma Toyota Hilux, com seus 5,33 m) e 3,21 metros de entre-eixos (40 cm a menos que um Fiat Mobi inteiro) – por isso, as rodas traseiras giram até 3,5° para ajudar em manobras. BMW i7Fernando Pires/Quatro RodasA dianteira tem faróis separados em dois pares: as peças superiores abrigam as assinaturas diurna e noturna, além de cristais Swarovsky; as peças inferiores têm os faróis baixo e alto. Para se diferenciar das versões a combustão, a grade cromada ostenta a letra “i”, que identifica a linha elétrica da BMW, e tem as bordas iluminadas. Continua após a publicidade Compartilhe essa matéria via: WhatsAPP Telegram Nas laterais se destacam as grandes rodas de 21 polegadas com pneus 255/40 na dianteira e 285 35 R21 na traseira, e a quantidade de sensores instalados na saia inferior. Já na traseira o desenho do i7 é simples e limpo, com lanternas mantendo a identidade da marca e o para-choque pronunciado, que protege bem, além das lanternas, a tampa do porta-malas. BMW i7Fernando Pires/Quatro RodasChofer tecnológico O BMW i7 é tão tecnológico que até os simples atos de abrir ou fechar as portas viram um capítulo a parte. Por fora são três opções de abertura: a primeira é do modo tradicional, colocando a mão na maçaneta, que é embutida, e pressionando um botão. A porta se abrirá um pouco e você termina de puxá-la. A segunda é por outro botão, mais exposto. Basta apertá-lo e deixar o caminho da porta livre para que ela se abra completamente de forma automática. A terceira é pelo botão coringa da chave. É possível configurá-lo para abrir qual ou quais portas quiser. Botão redondo na maçaneta é para abrir as portas automaticamenteFernando Pires/Quatro RodasPara fechá-las, é só empurrar, apertar o mesmo botão redondo das portas, ou apertar e segurar a tecla da chave. Vale dizer, porém, que caso exista um obstáculo, a porta o detectará pelos diversos sensores laterais e abrirá até onde for possível, no caso da abertura automática. Ou, a depender da proximidade do obstáculo, nem abrirá. O mesmo vale na hora de fechar. Por dentro, são sete opções para abrir e fechar as portas – com uma possibilidade extra para fechamento. Como no exterior, há um botão que abre apenas uma fresta e o ocupante termina de empurrar, outro para abertura automática e o botão na chave. Há ainda, na porta, um puxador para abertura mecânica em caso de emergência. Continua após a publicidade No painel, o botão com a letra “A” abre as portas sem o esforço do ocupanteFernando Pires/Quatro RodasTem ainda como abrir e fechar pela central multimídia, ou por voz, pedindo para que o veículo abra ou feche determinada porta. No caso da porta do motorista, também basta pisar no freio, que a porta se fecha sozinha. Nas portas traseiras tudo isso se repete. Só há um problema, porém. O botão que faz apenas uma abertura inicial e o ocupante precisa terminar o processo fica em uma altura da porta muito próxima ao joelho do ocupante. Assim, é possível que aconteça um esbarrão – como aconteceu durante nosso teste, enquanto estávamos parados em um semáforo. A porta se abriu. Central multimídia tem tela dedicada para abertura das portasFernando Pires/Quatro RodasMateriais de primeira e luzes comunicativas O acabamento do i7 é obviamente irretocável, com materiais de alta qualidade e macios mesmo em partes do painel onde ninguém vê ou toca. No centro do painel há faixas com efeito de cristal lapidado iluminadas com as cores correspondentes ao modo de condução selecionado ou em uma tonalidade escolhida. Existem até degradês entre as opções, em um efeito muito bonito. Essas cores são repetidas em outros pontos da cabine e em faixas desenhadas no vidro do teto solar. BMW i7Fernando Pires/Quatro RodasEssas luzes podem até comunicar os ocupantes de algumas ocorrências. Por exemplo: quando o pisca-alerta está ligado, as faixas piscam em vermelho; quando algum ocupante tenta abrir as portas, mas há obstáculos, elas piscam em vermelho; quando o veículo está carregando, elas ficam azuis. Continua após a publicidade O sedã mescla botões físicos com comandos sensíveis ao toque, mas deixa as principais funções do veículo à mão, diferentemente de outros modelos que agrupam comandos importantes na central multimídia e tornam a operação complicada. BMW i7Fernando Pires/Quatro RodasO quadro de instrumentos tem 12,3 polegadas e muitas visualizações diferentes, de layout ao tipo de informações apresentadas. A central multimídia é ainda maior, com 14,9”, com imagem de alta definição e Android Auto e Apple CarPlay sem fio. Aqui nem tem mais opção de espelhamento via cabo, só via bluetooth. Ainda entre os equipamentos, exceto o banco central traseiro, todos os demais têm ajustes elétricos com memórias de posição, massagem, ventilação e aquecimento. Linhas do teto se acendem à noiteFernando Pires/Quatro RodasO sistema de som da Bowers and Wilkins é, assim como o do BMW iX, um dos melhores sons automotivos da atualidade. São 2.000 Watts de potência e 36 alto-falantes espalhados pelo carro, sendo que alguns deles estão dentro dos bancos. A sensação é de se estar em um cinema com som, graves e vibrações vindo por todos os lados. Primeira classe todos os dias Na prática, é o banco traseiro que o dono do i7 ocupará a maior parte do tempo. Esse é um carro pensado pra levar os ocupantes atrás, com o luxo e as comodidades de uma primeira classe. Continua após a publicidade BMW i7Fernando Pires/Quatro RodasMesmo com os bancos em suas posições normais, o espaço para pernas já é excepcional e leva mesmo pessoas mais altas com folga. Porém, isso vale apenas para os dois assentos laterais, já que um terceiro ocupante central não é bem vindo. Além do incômodo e alto túnel central no assoalho, ele acabará prejudicando a vida a bordo dos demais ocupantes. O encosto central, por exemplo, pode ser baixado e transformado em um porta-objetos, além de um carregador de celular por indução. Com mais um botão, são revelados dois porta-copos. BMW i7Fernando Pires/Quatro RodasA viagem no i7 vai ficando ainda melhor para quem estiver na lateral direita, atrás do passageiro. Nessa posição é possível alterar o banco para a função lounge, que reclina o encosto e estica o assento, com apoio para as pernas. O ocupante fica praticamente deitado. Para isso, o banco do passageiro é deslocado para próximo ao painel, liberando espaço total na traseira e, de quebra, um apoio para os pés de quem for atrás. Por causa do motorista, não é possível atingir essa posição no banco esquerdo. BMW i7Fernando Pires/Quatro RodasPara selecionar essa posição e diversas outras funções do veículo, cada porta traseira tem uma tela de 5,5 polegadas. Nelas estão os ajustes de bancos, massagem, ventilação, aquecimento, cor da iluminação ambiente, modo de condução, volume do som, persianas, enfim. Porque, novamente, o dono do carro estará no banco traseiro. Ou seja, ele precisa ter controle sobre o carro dele. O ponto alto do BMW i7 vem agora. Na mesma tela existe o modo teatro, que fecha todas as persianas (do teto, das janelas laterais e do vidro traseiro) e revela uma tela de 31 polegadas e resolução 8K que fica “camuflada” no teto quando não está em uso. Continua após a publicidade Televisão tem 31 polegadas, resolução 8K, conexão 5G e entrada HDMIFernando Pires/Quatro RodasNela é possível assistir o que quiser. Há YouTube, serviços de streaming, e dá para ligar videogames pela tem entrada HDMI na parte de trás. Também é possível conectar seus fones bluetooth pra assistir a um filme sem incomodar ninguém. Dá pra assistir aos vídeos da Quatro Rodas no YouTube, claro. Isso é acontece porque o veículo tem uma conexão 5G própria. Até existe a possibilidade de se abrir as persianas enquanto a tela está em funcionamento, mas a sensação de cinema com tudo escuro, a tela, e o sistema de som, não tem igual. É bastante impressionante. A tela tem ajustes de brilho, zoom e posição/inclinação. Portas traseiras têm telas de 5,5″ para comandar inúmeras funções do veículoFernando Pires/Quatro RodasLogo atrás, o porta-malas tem 500 litros de capacidade. Porém, boa parte é tomada pelo estepe que é uma exclusividade para o Brasil. Os pneus do i7 são runflat, há o kit de reparo, mas a BMW também inclui o estepe para seguir o gosto do brasileiro, que não tem tanta familiaridade com o runflat. Nem parece que pesa 2.700 kg O BMW i7 xDrive60 é equipado com dois motores elétricos, um em cada eixo, o que caracteriza tração integral. Ao todo, são 544 cv de potência e 76 kgfm de torque instantâneos. Mas, mesmo que ele tenha cerca de 2.700 kg, é muito rápido. De acordo com a BMW, o sedã vai de 0 a 100 km/h em 4,7 segundos, e a velocidade máxima é limitada a 240 km/h. BMW i7Fernando Pires/Quatro RodasTal desempenho é bem notável. O i7 tem arrancadas e retomadas muito fortes, e chega a causar estranheza considerando seu peso e tamanho. O comportamento do modelo, no entanto, muda bastante de acordo com os modos de condução, que tem variações bem definidas. O Personal é um meio termo; o Efficiency deixa o carro mais “amarrado”, com acelerações mais progressivas, para poupar bateria; já o Sport, deixa o i7 bem arisco, com vontade de acelerar. BMW i7Fernando Pires/Quatro RodasMas ainda há mais do que isso: no modo Sport, o desempenho fica ainda mais insano através da aleta atrás do volante, no lado esquerdo, com a função Boost. Ela libera todo o desempenho do modelo por 10 segundos, com direito a uma contagem regressiva no quadro de instrumentos. O efficiency também tem um segundo modo, de autonomia máxima, que desliga até o ar-condicionado para render o máximo. BMW i7Fernando Pires/Quatro RodasHá outros modos, como o Digital Art, o Theater, o Relax e o Expressive. Mas esses não mudam a mecânica, apenas a ambientação, como cores, massagem, sons, são modos de “estados de espírito”. Vale dizer os modos também alteram o som emitido nas acelerações. No Sport, por exemplo, o ruído virtual fica mais evidente. Mas dá para desligar, caso isso não te agrade. A dirigibilidade do i7 é excepcional. A direção é bem direta, mas muito confortável, mesmo ajuste da suspensão. O contato com o solo é quase imperceptível de tão confortável, macia e suave que é a suspensão. Afinal, é um carro de alto luxo, ele tem que ser confortável e muito silencioso. Mas ao mesmo tempo é super estável, até porque precisa acompanhar o desempenho de esportivo. No fim, ele se parece com um tapete voador. BMW i7Fernando Pires/Quatro RodasPara acompanhar tanto desempenho, a bateria do i7 xDrive60 é enorme, são 101,7 kWh. Para efeito de comparação, um BYD Dolphin de entrada tem bateria de 44,9 kWh, menos da metade. E, de fato, faz diferença. No ciclo do Inmetro são 479 km. Já no WLTP, fica entre 591 e 625 km. Na prática, passa fácil dos 550 km em ciclo misto Também para dar conta de um bateria tão grande, o i7 tem boas capacidades de recarga. Em redes lentas, AC, ele pode ser recarregado a até 22 kW. Em redes DC, rápidas, a até 195 kW. O i7 vem acompanhado de três carregadores de série: dois wallbox de 22 kW cada, para que o proprietário instale em dois locais diferentes, e um carregador pra tomada comum, residencial, de 11 kW. BMW i7Fernando Pires/Quatro RodasVeredicto A BMW apostou forte na eletrificação, mesmo no topo do mercado. E parece ter acertado. O i7 é um carro de alto luxo, com muito conforto, tecnologia e potência, e tudo isso com bastante silêncio a bordo. O mais importante, porém: pode fazer tudo isso em longas viagens. Ficha Técnica – BMW i7 xDrive60 Preço: R$ 1.321.950 Motor: 2 elétricos, um em cada eixo; potência 544 cv (258 cv, diant.; 313 cv, tras.) Baterias: íons de lítio, 101,7 kWh Câmbio: automático, 1 marcha, tração integral Direção: elétrica Suspensão: duplo A (diant.), multibraços (tras.) Freios: disco ventilado Pneus: 255/40 R21 (dianteira), 285 35 R21 (traseira) Dimensões: compr., 539,1 cm; larg., 195 cm; alt., 154,4 cm; entre-eixos, 321,5 cm; peso, 2.640 kg; porta-malas, 500 l Desempenho (dados de fábrica): 0 a 100 km/h, 4,7 segundos; velocidade máxima, de 240 km/h Recarga: carga pot. máx. DC 195 kW, 34 min. (10 a 80%); pot. máx. AC 22 kW, 5h30 (10 a 100%) Autonomia: 479 km (Inmetro); de 591 a 625 km (WLTP) Publicidade View the full article
  16. O segmento das e-bikes é um dos que mais cresce hoje em dia, o que tem levado alguns fabricantes a se unir na hora de fazer um projeto. Algumas parcerias chamam atenção, uma delas é a nova bicicleta elétrica feita pela austríaca Husqvarna, cujo motor é feito pela Yamaha. A Grand Pather 6 é o primeiro modelo voltado ao dia a dia urbano do fabricante, os demais são do tipo mountain bike, mais voltados à aventura offroad. Não é a primeira empreitada conjunta das duas. Curiosamente, a Husqvarna já produz veículos com motorização da empresa japonesa, no entanto, são cortadores de grama. Relacionadas NotíciasUsar esses remédios e dirigir aumenta risco de acidentes22 fev 2024 - 11h02 NotíciasNovas baterias mais baratas podem durar muito, basta descarregar tudo19 fev 2024 - 18h02 NotíciasEsse Caravan autônomo não precisa de ninguém para pilotá-lo16 fev 2024 - 17h02 A propulsão fica a cargo do motor elétrico Yamaha PW-X3 de 250 Watts e 8,6 kgfm de torque instantâneo. Só para você ter uma ideia, o primeiro Fiat Uno Mille tinha 7,1 kgfm. A marca não afirma qual seria a velocidade máxima atingida. Da mesma maneira, não foi divulgado o tempo de recarga exato ou autonomia da bateria 720 Wh. O que há é uma estimativa de 100 km de alcance. Com estrutura de alumínio, a Grand Pather 6 pesa apenas 25,7 kg, sendo capaz de levar até 150 kg de carga. Há duas opções de quadro, um dele com barra central elevada, enquanto o outro dispensa a estrutura para adotar o chassi baixo, considerado mais confortável por muitos, pois facilita o ato de subir e descer da bicicleta. Somado a isso, são quatro tamanhos de quadros disponíveis: pequeno, médio, grande extra grande. Só o XL não conta com essa segunda opção. Independentemente de qual seja, todos têm baterias integradas ao conjunto. Continua após a publicidade A bateria da Yamaha fica integrado na parte da frente do quadroHusqvarna/DivulgaçãoComo uma boa bicicleta de uso cotidiano, as rodas são de 28 polegadas. Para lidar com as irregularidades, a roda dianteira tem a suspensão a ar da Suntour, cujo curso chega a 88 mm. Já a roda traseira não tem amortecimento, uma pena. Compartilhe essa matéria via: WhatsAPP Telegram Os freios a disco são da Shimano, tradicional marca que fornece também a transmissão de dez marchas e seu conjunto de engrenagens traseiras. Embora pareça um sistema tradicional, por ser elétrica, a bike tem uma tecnologia adaptativa de tração que conta com cinco modos de assistência, além de poder se adaptar às condições da via ou de inclinação. Continua após a publicidade Há quatro opções de tamanho do quadro e dois tipos de designHusqvarna/DivulgaçãoA Yamaha também fornece parte da eletrônica, incluindo o pequeno quadro de instrumentos digital. São várias funções práticas, tais como a conexão por bluetooth e micro USB. Dito tudo isso, é claro que ela não poderia ser barata, o que é um mal comum no mundo das eBikes. São pedidos 5 mil euros, na verdade, 4.999 euros. Já dá para comprar uma latinha pequena de Coca Cola com esse euro. É cara até quando comparada a um scooter elétrico. Na Europa, o Yamaha Neo sai por 2.999 euros, para citar um exemplo. Mas não tem a grife da Husqvarna. Publicidade View the full article
  17. Falamos aqui na FULLPOWER no fim de janeiro sobre o lançamento da Orca, a primeira moto aquática 100% elétrica à venda no Brasil. Agora, você vai saber como esse interessante e curioso “jet” se comporta acelerando na água ao comando da jornalista (/motociclista/pilota/jipeira/influencer/criadora de conteúdo) Karina Simões. A Orca é produzida pela Taiga Motors, do Canadá, e o produto é oferecido no mercado brasileiro pela Ventura Marine, um dos maiores estaleiros do país e importador de embarcações. O modelo disponível no mercado brasileiro é a versão Performance, com motor elétrico de 120 kW e 17,3 kgfm de torque. Custa R$ 149.900. De acordo com o fabricante, o motor elétrico da Orca tem um desempenho comparável ao de uma moto-aquática com motor a gasolina de 230 hp. Moto aquática com motorização totalmente elétrica pode acelerar na água a até 100 km/h (Divulgação)A moto aquática importada do Canadá pode acelerar até a velocidade máxima de 100 km/h, segundo a Taiga. Outro ponto interessante no veículo é seu baixo centro de gravidade, devido ao posicionamento das baterias abaixo da linha d’água, que garante maior estabilidade na condução. A bateria de íon de lítio da Orca é totalmente selada para funcionar com segurança em todo tipo de ambiente aquático, inclusive na água salgada e sob fortes vibrações, garante o fabricante. O acumulador fornece energia para até duas horas de pilotagem. Baterias de íon de lítio rendem até duas horas de condução na Orca (Divulgação)O carregamento da bateria pode feito em qualquer tomada, com sistema de recarga Tipo 2, em 3h30. Outra opção é adquirir o carregador rápido da marca canadense que recupera 80% da carga em menos de 40 minutos. Modelo vem com painel digital com recursos de conexão com smartphone (Divulgação)Taiga Motors desembarca no Brasil Ainda desconhecida no Brasil, a Taiga Motors é uma empresa com os produtos certos no momento ideal. Toda linha da empresa, composta por veículos aquáticos e modelos terrestres off-road, são impulsionados por sistemas de motorização elétrica. Além da moto aquática Orca, outro produto da empresa é o Nomad, um snowmobile (moto de neve) – que por sinal foi o primeiro do mundo com motor elétrico. Moto aquática da Taiga Motors está à venda no Brasil por R$ 149.900 (Divulgação)A curiosa linha de veículos de zero emissão rendeu a Taiga alguns prêmios importantes. Em 2023, a fabricante venceu o prêmio Fast Company 2022 World Changing Ideas Award e o Best of What’s New Award, da revista Popular Science. A Orca, por sua vez, foi considerada uma das 200 melhores invenções de 2022 pela TIME Magazine. O post Orca: pilotamos a primeira moto aquática 100% elétrica que chegou ao Brasil apareceu primeiro em Revista Fullpower. View the full article
  18. A Citroën iniciou nesta semana as vendas on-line do novo C3 Aircross 7, de sete lugares. O carro está disponível nas versões Feel, Feel Pack e Shine, com preço inicial de R$ 117.990. Por esse valor, o SUV compacto da marca francesa é o mais acessível do mercado brasileiro com capacidade para sete ocupantes. A chegada das versões do C3 Aircross ocorre dois meses após a estreia do modelo, que foi o último veículo lançado no Brasil, em dezembro de 2023. Todas as versões do carro vêm o motor flex de três cilindros 1.0 litro com turbocompressor, o Turbo 200 do grupo Stellantis, de até 130 cv e torque de 20,4 kgfm, e câmbio automático CVT de sete marchas simuladas. Nova versão com sete lugares tem nome próprio: C3 Aircross 7 (Divulgação)Como manda a nova legislação nacional de segurança veicular, o novo Aircross vem equipado de fábrica com sistemas de controle de estabilidade e tração. Conta ainda de série com assistente de partida em rampa, luzes de rodagem diurna com LEDs, direção elétrica, ar-condicionado e sistema multimídia com tela de 10,25 polegadas com Android Auto e Apple Carplay e seis alto-falantes. Tira banco, coloca banco Bancos adicionais da terceira fileira podem ser rebatidos ou retirados do carro individualmente (Divulgação)O grande diferencial das novas versões do C3 Aircross, os dois bancos adicionais da terceira fileira possuem um curioso mecanismo de acionamento. É possível rebatê-los na área do porta-malas ou então removê-los individualmente, liberando o espaço no bagageiro (para até 493 litros). A Citroën diz que cada banco pesa cerca de 8 kg e eles podem ser armazenados em uma bolsa da Mopar, que é vendida à parte. Sem os bancos traseiros, o porta-malas do Aircross 7 comporta 493 litros (Divulgação)Ar-condicionado para a turma do fundão Nenhum passageiro do Aircross com sete lugares vai passar calor. O carro possui um sistema de ventilação suplementar no teto que reforça a climatização na segunda e terceira fileira de assentos, com ajustes de velocidade individual e independente. Os ocupantes contam ainda com porta-copos e conectores USB para recarga de celulares distribuídos pela cabine, inclusive no “fundão”. Sistema de ventilação suplementar no teto do C3 Aircross de sete lugares (Divulgação)Preços do novo Citroën C3 Aircross com sete lugares Novo Aircross 7 Feel Turbo 200 AT – R$ 117.990 (venda on-line) Novo Aircross 7 Feel Pack Turbo 200 AT – R$ 127.990 Novo Aircross 7 Shine Turbo 200 AT – R$ 136.590 O post C3 Aircross ampliado: Citroën lança versão de sete lugares por R$ 117.990 apareceu primeiro em Revista Fullpower. View the full article
  19. Todos sabem que beber e dirigir é proibido, uma vez que a atitude aumenta, e muito, o risco de acidentes de trânsito. Mas remédios não são alvos da mesma conscientização. Para mudar isso, a ABRAMET (Associação Brasileira de Medicina do Tráfego) publicou uma diretriz sobre o assunto. O documento resume dados de testes científicos e propostas para a mudança da conduta médica, além do pedido para alteração de rótulos e uma lista de medicações que causam riscos à segurança do trânsito. A entidade os chama de MPPCVA (Medicamentos Potencialmente Prejudiciais ao Condutor de Veículos Automotores). Muitos são facilmente encontrados e não exigem receita, o que pode levar ao arriscado processo de automedicação. Os remédios com substâncias psicoativas são um dos focos. O objetivo da Abramet é conscientizar médicos e autoridades. Relacionadas Carros elétricosSUV da Fisker pode ter problemas se você abusar do controle de largada20 fev 2024 - 21h02 NotíciasNovas baterias mais baratas podem durar muito, basta descarregar tudo19 fev 2024 - 18h02 NotíciasEsse Caravan autônomo não precisa de ninguém para pilotá-lo16 fev 2024 - 17h02 “Esta diretriz pode orientar a formulação de uma norma na área da saúde, levando para a embalagem dos medicamentos o alerta visual de risco para o condutor, quando pertinente”, explica Antonio Meira Júnior, presidente da entidade “Na medida em que o uso de medicamentos diversos se acentua, é nosso papel manter o especialista e as autoridades atualizados sobre o assunto”, completa. Continua após a publicidade A Abramet chegou a recomendar à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a utilização de um “símbolo de alerta” para as embalagens dos medicamentos potencialmente prejudiciais aos motoristas, no entanto, isso aconteceu em 2009 e, até agora, a sugestão não foi acatada. A Anvisa afirma que a mera consulta à bula é suficiente. O aviso na caixa é usado em países como a Espanha e França. Embora a Organização das Nações Unidas (ONU) e a OMS (Organização Mundial da Saúde) já tenham posições que o consumo de remédios aumenta os fatores de risco de acidentes, ainda não há nenhuma legislação brasileira sobre o assunto. Os remédios psiquiátricos são também fonte de preocupação, tendo registrado um aumento considerável pós-pandemia. De acordo com o Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos (Sindusfarma), a venda de medicamentos para ansiedade aumentou 10% entre 2019 e 2022; o de sedativos do sono saltou 33%; e o de antidepressivos chegou a 34% de incremento. Mas eles não são a única fonte de preocupação. O foco também inclui analgésicos opióides, anti-histamínicos, anfetaminas, antipsicóticos e relaxantes musculares. Confira a lista de classificação de remédios em relação ao risco. Antidepressivos: Sonolência, hipotensão, tontura, diminuição do limiar convulsivo, prejuízo nas funções psicomotoras. Continua após a publicidade Anti-histamínicos: Sedação, aumento do tempo de reação e desempenho psicomotor prejudicado. Benzodiazepínicos: Quase todos os domínios cognitivos do desempenho do condutor são afetados. Hipnóticos: Sedação, lapsos de atenção, erros de rastreamento, diminuição do estado de alerta, instabilidade corporal. Opiáceos: Sedação, diminuição do tempo de reação, reflexos e coordenação, déficit de atenção, miose (constrição da pupila) e diminuição da visão periférica. Continua após a publicidade Algumas medicações não aumentam o risco, exemplos de aspirina, paracetamol ou anti inflamatórios não não esteróides – os esteróides têm efeitos que podem influenciar na segurança do trânsito, o principal é a sonolência. De qualquer forma, a orientação do médico é vital para o paciente entender os riscos. Publicidade View the full article
  20. A Toyota está sendo investigada e pode receber possíveis penalidades do Ministério dos Transportes do Japão por má conduta. Isso porque a empresa é acusada de adulterar testes de emissões de poluentes em motores a diesel utilizados na Hilux, no Land Cruiser 300, no Hiace e em alguns outros modelos fabricados no Japão. Relacionadas SegredoToyota terá picape híbrida 4×4 baseada no Corolla e fabricada no Brasil21 fev 2024 - 12h02 NotíciasToyota liderou vendas globais em 2023 com menos de 1% de carros elétricos18 fev 2024 - 10h02 NotíciasEscândalo na Daihatsu faz Toyota mudar presidência na América Latina14 fev 2024 - 11h02 De acordo com relatório do jornal Nikkei Asia, a Toyota Industries, que é a divisão de fabricação de motores da empresa, admitiu em janeiro que “que alterou dados relevantes, incluindo a adulteração de dados de teste de desempenho para vários modelos de motores de automóveis e empilhadeiras”. O Ministério pegou a empresa em flagrante e, portanto, está preparando ações e sanções para que isso não volte a acontecer. Toyota Hiace.Divulgação/ToyotaAinda não se sabe como serão essas penalidades, mas o órgão poderá até mesmo revogar a certificação para tais motores. O Ministério parece estar focado em penalizar a empresa por má conduta. As alegações também incluem motores usados em empilhadeiras. No fim de janeiro, a Toyota suspendeu entregas de 10 veículos diferentes com alegações de “irregularidades de certificação”. Continua após a publicidade Hilux gringa teveDivulgação/ToyotaCarros vendidos no Brasil têm programação de motores diferentes e não estão incluídos na lista de modelos envolvidos no escândalo. A Toyota afirma que só descobriu o problema após alguns testes em suas empilhadeiras a diesel. No total, desde 2020, cerca de 84.000 veículos com motores “suspeitos” foram comercializados. Continua após a publicidade Agora, com todo esse alvoroço, a empresa planeja remodelar sua gestão e fornecer acesso imediato ao governo japonês para credibilizar seus novos protocolos de testes. Quaisquer motores que o governo retire a certificação terão que ser alterados antes de retornar para linha de produção. Compartilhe essa matéria via: WhatsAPP Telegram De acordo com relatório da Bloomberg, o presidente da Toyota culpou a falta de comunicação e compreensão como a principal razão para este problema. Continua após a publicidade Modelos afetados pela denúncia de irregularidades <span class="hidden">–</span>Reprodução/Internet Publicidade View the full article
  21. Fábrica da Jeep, Ram e Fiat deve iniciar produção de modelos híbridos até o final deste ano A Stellantis confirmou que irá anunciar em breve um novo ciclo de investimentos na fábrica de Goiana, Pernambuco. O Polo Automotivo Stellantis de Goiana receberá capital para ampliar a produção mas principalmente para a fabricação de veículos híbridos. Atualmente a fábrica produz os modelos Jeep Commander, Compass e Renegade, Ram Rampage e Fiat Toro. Este veículos devem começar um ciclo de transição para a motorização híbrida nos próximos anos. “O plano que anunciaremos levará a Stellantis a um novo patamar. Avançaremos como protagonistas da mobilidade segura, sustentável e acessível, gerando desenvolvimento e riqueza para a região e todo o país”, disse o presidente da Stellantis para a América do Sul, Emanuele Cappellano. De acordo com a Stellantis, os investimentos irão contemplar novos produtos e serviços, além da expansão da cadeia de fornecedores para o desenvolvimento e localização de novas tecnologias para acelerar a descarbonização da mobilidade. Para firmar o acordo de continuidade dos investimentos, uma reunião feita em Recife com a Governadora de Pernambuco, Raquel Lyra, o presidente da Stellantis Emanuele Cappellano e outros executivos foi realizada na sede do governo estadual. “Exportamos para o mundo nossos produtos e muito conhecimento, incluindo os softwares desenvolvidos em Pernambuco, graças à capacidade técnica dos nossos engenheiros brasileiros e pernambucanos. Isso nos enche de orgulho e traz a certeza de que estamos no caminho certo”, declarou Cappellano. O pólo industrial da Stellantis em Goiana gera 60.000 empregos diretos e indiretos na região. Em 2023 o grupo celebou um recorde na exportação de veículos com faturamento de R$ 2,5 bilhões no Porto de Suape, crescimento de 23% sobre o volume de 2022. Matéria Stellantis confirma investimentos para fazer carros híbridos em Pernambuco publicada no Portal Revista AutoMOTIVO. View the full article
  22. Depois de apresentar a nova geração do Taycan, a Porsche anuncia agora duas novas versões híbridas plug-in do Panamera, o 4 E-Hybrid e o 4S E-Hybrid. A promessa é de mais potência e maior autonomia elétrica para o sedã. Relacionadas Carros elétricosTaycan Turbo S 2025 é o Porsche mais rápido e potente da história11 fev 2024 - 11h02 Carros elétricosPorsche Macan EV é lançado com para-brisa 3D e pode chegar a 639 cv26 jan 2024 - 16h01 NotíciasPorsche prepara 911 escalador e quebra recorde mundial de altitude18 jan 2024 - 11h01 Uma novidade comum às duas versões é o motor elétrico de 190 cv e 45,8 kgfm de torque (o antigo tinha 136 cv). Para suprir esta mudança, a nova bateria de 25,9 kWh tem capacidade 45% maior em relação ao modelo anterior, tendo uma autonomia máxima de 96 km. <span class="hidden">–</span>Divulgação/PorscheA grande diferença entre cada versão híbrida está no motor a combustão utilizado. Agora o V6 2.9 biturbo do Panamera 4 E-Hybrid passa a gerar 304 cv, sendo a potência combinada de 470 cv. O torque fica na casa dos 66,2 kgfm. Sendo assim, o Panamera 4 E-Hybrid pode ir de 0 a 100 km/h em apenas 4,1 segundos. Para a versão 4S E-Hybrid, que é mais focada em desempenho, o mesmo V6 biturbo consegue gerar 353 cv, o que resulta em uma potência combinada de 544 cv e 76,4 kgfm. O 0 a 100 km/h desta variante é de 3,7 segundos e sua velocidade máxima pode chegar aos 290 km/h. <span class="hidden">–</span>Divulgação/PorscheAlém dessa novidades, o novo carregamento plug-in do Panamera híbrido também mudou e suporta até 11 kW em corrente alternada, o que diminui a recarga completa para 2h39min. Compartilhe essa matéria via: WhatsAPP Telegram <span class="hidden">–</span>Divulgação/PorscheAtualizações visuais As duas novas versões híbridas surgem para complementar a gama de versões da reestilização do Porsche Panamera, apresentada em novembro passado. <span class="hidden">–</span>Divulgação/PorscheAgora, todas as versões do Panamera têm faróis em LED matrix como padrão e uma entrada de ar horizontal adicional. A traseira do sedã esportivo mantém a imensa lanterna afilada que vai de um lado até o outro do carro. Valores e data de estreia para o novo Porsche Panamera no Brasil ainda não foram divulgados pela marca, mas serão divulgados nos próximos meses. Publicidade View the full article
  23. Que o Peugeot 208 será reestilizado ainda em 2024, já sabíamos. O visual acompanhará o 208 vendido na Europa, que foi atualizado no ano passado. A novidade é que agora o novo design do compacto foi registrado no Instituto de Propriedade Industrial da Argentina – onde são fabricados os carros destinados ao Brasil. Relacionadas SegredoNovo Peugeot 2008 estreia no meio do ano como resposta ao Kardian5 fev 2024 - 00h02 NotíciasPeugeot 208 de luxo? Novo Lancia Ypsilon é elétrico e tem até SALA3 fev 2024 - 10h02 Carros elétricosPeugeot E-Rifter é tudo que um Fiat Doblò elétrico gostaria de ser13 nov 2023 - 17h11 A reestilização será acompanhada de alterações na mecânica. A mais notável será a aposentadoria do motor 1.6 EC5 aspirado e do câmbio automático de seis marchas. Também são esperados novos equipamentos, que ajudarão a dar peso ao lançamento do Peugeot 208 2025 no Brasil. O que muda no Peugeot 208 2025? A reestilização contempla novos faróis de led, agora sem as luzes diurnas integradas: estas desceram para o para-choque, ocupando o espaço da “presa” de led característica do modelo atual. O novo modelo tem três barras de led. Além disso, o novo 208 será responsável por lançar o novo logotipo da Peugeot, com a cara do leão, no Brasil. <span class="hidden">–</span>Divulgação/PeugeotA traseira tem mudanças mais discretas, mas que ainda são notáveis. As lanternas, que ficaram ainda mais escuras, mudam a orientação de três filetes, que passam a ser horizontais. A escrita por extenso do nome da marca também mudou de lugar e fica posicionado dentro da faixa preta que interliga as lanternas. Continua após a publicidade <span class="hidden">–</span>Divulgação/PeugeotO interior segue praticamente o mesmo, com central de infoentretenimento de 10”, quadro de instrumentos que poderá ser digital, dentre outros equipamentos. O padrão do acabamento de cada versão é que mudará. Compartilhe essa matéria via: WhatsAPP Telegram <span class="hidden">–</span>Divulgação/PeugeotMudanças nas versões e motorizações Além das mudanças visuais, alterações também serão feitas nas versões para venda do Peugeot 208 2025. De acordo com o Autos Segredos, a nova versão de entrada será chamada Access, que substitui a Like. As outras versões devem ser Active, Allure e Griffe, além da nova versão GT com rodas aro 17″ e o visual esportivo que antes era visto apenas no 208 elétrico. <span class="hidden">–</span>Instituto de Propriedade Industrial da Argentina/DivulgaçãoO novo 208 2025 também terá apenas duas motorizações, sendo uma o motor 1.0 Firely de 75 cv em conjunto de um câmbio manual, que estará disponível nas versões Access e Style. O outro é o motor 1.0 Turbo 200 de 130 cv, que estreou ano passado no modelo. Ele vem acompanhado de um câmbio CVT e estará disponível nas variantes Active, Allure, GT e Griffe. Preço e data de lançamento Junto com essas alterações, há de se esperar mudanças nos valores nos preços do Peugeot 208. Hoje, na tabela, o hatch está disponível a partir de R$ 91.990 na versão Like de entrada, mas há ofertas que baixam o preço para R4 73;990. Em relação a data, a expectativa é que até a metade de 2024 o carro já esteja à venda no Brasil. <span class="hidden">–</span>Instituto de Propriedade Industrial da Argentina/Divulgação Publicidade View the full article

AutoForum.com.br

O fórum para os maniacos por som automotivo e automóveis

×
×
  • Create New...