Jump to content

AutoForum.com.br - Som automotivo e automóveis  - O fórum dos maníacos por som automotivo e automóveis
- Proibido conteúdo impróprio para menores em tópicos públicos: Nudez estrategicamente coberta; Roupas transparentes; Poses obscenas ou provocantes; Close-ups de seios, nádegas ou virilhas; (em cumprimento a normas do Google) Qualquer desvio, denuncie ao moderador.
- Usuários do Hotmail/Outlook/Msn - confira tutorial para receber emails do fórum;
- Qualquer problema em algum post, DENUNCIE ao moderador, utilize o link abaixo de cada post.
- Confira tutorial para enviar fotos. Tão fácil quanto um CTRL+V. (17/09/2015)
- Encontro Som de Qualidade em São Paulo/SP domingo  21/Novembro/2021 *****

All Activity

This stream auto-updates     

  1. Past hour
  2. O sistema de arrefecimento de modelos Fiat e Jeep, fabricados pela Stellantis, é assunto recorrente na redação de QUATRO RODAS. Em dezembro de 2018, no desmonte do Renegade de Longa Duração, o radiador foi reprovado por causa de um vazamento. Na seção Autodefesa de abril de 2020, falamos de problemas no trocador de calor do câmbio dos Renegade. O mecânico Gabriel de Paula Dias, de São José do Rio Preto (SP), dono de um Argo HGT AT6 2017, conta que percebeu óleo do câmbio no reservatório do radiador e que na concessionária disseram ser o trocador de calor. Black Friday! Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 6,90 “Negaram garantia com a justificativa de eu ter passado 1.000 quilômetros na primeira revisão e pediram R$ 39.000 por um câmbio novo”, conta Gabriel, que diz ter um amigo, dono de um Cronos, que teve o mesmo problema. No WhatsApp, existe um grupo com mais de 200 proprietários de Fiat e Jeep que foi criado para relatos de problemas na refrigeração do câmbio Aisin, automático de seis marchas. <span class="hidden">–</span>Quatro Rodas/Quatro RodasEntre os membros está o engenheiro André de Maria, proprietário do autocentro Confiar Bosch Car Service, de Belo Horizonte (MG), que tem um Compass diesel 2018 e um Renegade flex 2019 na família. “A partir de 2018, a Jeep passou a recomendar a troca do fluido a cada 24 meses, o que não era mencionado nos manuais dos proprietários dos anos anteriores”, diz André. Outra mudança ocorreu na especificação e na concentração do líquido do radiador, passando de ASTM D3306, ASTM D4955, NBR 15297 e 9.55523-2 para FCA MS 90032 Mopar Antifreeze Coolant e de 30/70 para 50/50. “Um detalhe curioso está no rótulo do líquido de arrefecimento atual, onde existe a informação sobre a brasagem, processo de “solda” utilizado no trocador de calor e que gera resíduos que podem causar perfuração por corrosão no componente. Dessa forma, existe a suspeita se o líquido de arrefecimento, utilizado anteriormente, era de fato o mais adequado para proteger a peça do trocador de calor do que o adotado após 2018”, explica o engenheiro. Continua após a publicidade Essa ferrugem faz com que o fluido de arrefecimento se misture ao óleo do câmbio automático, condenando o componente. A Stellantis informa que os casos mencionados aqui não têm origem comum e que alterações em fluidos, peças e acessórios são processos evolutivos que podem impactar na periodicidade, no uso e na aplicação dos componentes citados, após as suas implementações. Na tentativa de sanar ou evitar o problema, proprietários têm partido para soluções não homologadas pela fabricante, mas que usa peças originais da fabricante. E por não ser homologada pela fabricante, não há garantia de que será eficiente a longo prazo. “Essa falha no trocador de calor é crônica, atendemos uma média de dois carros por mês e já atendemos mais de 20 proprietários. Substituímos o sistema de refrigeração do motor a gasolina pelo similar ao utilizado no motor a 2.0 diesel. O valor fica a partir de R$ 2.800, com peças, óleo da transmissão e mão de obra inclusos”, explica Honofre Emerick de Oliveira, proprietário da Emerick Câmbio Automático. Um dos clientes que fez a adaptação foi a empresária Patrícia Rigueira Brandão, de Ipatinga (MG), dona de um Argo AT6 2017. “Além de acontecer com a Toro do meu irmão, quando eu estava viajando, e parei para abastecer, a luz no painel indicou temperatura alta e não abaixou mais. Paguei R$ 12.000 por um câmbio e trocador de calor novos e a instalação do novo sistema de arrefecimento,” conta Patrícia. O sistema dos carros a diesel usa apenas ar para arrefecer o óleo do câmbio, o que a nosso ver pode limitar o resfriamento do óleo do câmbio. Quem faz essa adaptação pode estar colocando sua conta em risco. O ideal seria que a Stellantis, proprietária de Fiat e Jeep, oferecesse uma solução definitiva para estes casos, que não são poucos. O povo reclama “Percebi o aviso na temperatura do motor. No posto me mostraram o óleo do câmbio no reservatório de água.” Sandra Peralta, empresária, Ubatuba (SP), Argo Precision AT6 2017 “Na concessionária disseram que o problema é conhecido e pediram mais de R$ 50.000 pelo câmbio novo.” Juliana Eustachio, médica, Belo Horizonte (MG), Compass Longitude flex 2017 “Minha esposa percebeu o aumento na temperatura do motor. Era trocador de calor.”Robson Gil Ferro, administrador, Americana (SP), Compass Sport flex 2017 Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital. Continua após a publicidade The post Falha condena câmbio automático de Fiat Argo e dos Jeep Compass e Renegade appeared first on Quatro Rodas. View the full article
  3. Yesterday
  4. Boa noite possuo 1 módulo taramps ts800x4 2ohm, 1 pioneer cara preta 310 bobina simples 4ohm, 1 driver jbl d250x 8ohm, 1 super tweeter jbl ts200 8ohm, 1 kit 2 Vias Bravox Cs60bk Black 130 Wrms 6 Polegadas 4ohm driver e super tweeter ligados em paralelo 4ohm. Gostaria de saber se as ligações no módulo estão corretas: sum em 1 bridge e os outros ligados em bridge também. Gostaria de aproveitar e saber se tem uma música "correta" para fazer a regulagem dos ganhos do módulo
  5. 😑 View the full article
  6. Moto com Som Automotivo Taramps MD1200.1 http://www.taramps.com.br Clique no link para se INSCREVER! ►►► http://bit.ly/SeInscrevaCanalTaramps Se gostou, não esqueça de clicar em GOSTEI! E não deixe de COMPARTILHAR este vídeo! Contato Suporte Técnico: Suporte Linha de Áudio: 18 3266 4050 WhatsApp: 18 99748 7039 E-mail: suportetecnico@taramps.com.br NOSSAS REDES SOCIAIS: FACEBOOK - https://www.facebook.com/TarampsOficial/ INSTAGRAM - https://www.instagram.com/tarampsgroup/ #TarampsOfficial #SomAutomotivoTocando #MódulosTaramps View the full article
  7. Chevrolet Tracker foi o segundo mais emplacado e o Volkswagen T-Cross o terceiro mais comprado Hyundai Creta teve 6.099 unidades emplacadas no mês passado De acordo com os dados divulgados pela Fenabrave, o Hyundai Creta ficou na liderança do segmento de SUVs compactos em novembro com 6.099 unidades licenciadas. Bem perto do crossover sul-coreano ficou o Chevrolet Tracker, que teve 6.073 unidades negociadas. O terceiro colocado foi o Volkswagen T-Cross com 4.725 unidades emplacadas. Veja o ranking. Acessórios para carros PCD – Vantagem para o consumidor e para o lojista – Hyundai Creta 2020. Veja o vídeo! Com 4.233 unidades emplacadas, o Jeep Renegade ficou na quarta posição. Já o quinto colocado foi o Nissan Kicks, que teve 3.556 unidades adquiridas. O Honda HR-V, que teve 2.868 unidades vendidas, ficou na sexta colocação. Próximo do modelo japonês ficou o Citroën C4 Cactus, que teve 2.457 unidades comercializadas. 10 Acessórios Indispensáveis para nova Tracker 2021. Veja o vídeo! O Renault Duster foi o oitavo colocado com 1.764 unidades licenciadas. Com 1.251 unidades compradas, o Volkswagen Nivus ficou na nona posição. Fecha o top 10 SUVs compactos mais vendidos o Caoa Chery Tiggo 5x com 1.023 unidades emplacadas. Top 10 SUVs compactos mais vendidos 1 – Hyundai Creta – 6.099 2 – Chevrolet Tracker – 6.073 3 – Volkswagen T-Cross – 4.725 4 – Jeep Renegade – 4.233 5 – Nissan Kicks – 3.556 6 – Honda HR-V – 2.868 7 – Citroën C4 Cactus – 2.457 8 – Renault Duster – 1.764 9 – Volkswagen Nivus – 1.251 10 – Caoa Chery Tiggo 5X – 1.023 Acompanhe as últimas notícias do mercado automotivo no site da revista AutoMOTIVO, na nova edição de dezembro, nas redes sociais e também no canal do Youtube da TV AutoMOTIVO. Matéria Hyundai Creta foi o SUV compacto mais vendido em novembro desbancando Renegade publicada no Portal Revista AutoMOTIVO. View the full article
  8. Seu Milton: discreto mas sempre presenteAcervo/Quatro RodasSe há algo sobre o que eu não tenha dúvidas nesta vida, é o fato de a pessoa mais importante na carreira de tricampeão do Ayrton Senna ter sido o pai dele, Milton da Silva, seu Milton ou Miltão, como era chamado. Black Friday! Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 6,90 Convivi com ele enquanto fui assessor de imprensa do piloto, de 1987 até 1994, tendo ainda certo contato depois, por conta de trabalhar com o outro filho, o Leonardo Senna, a partir do início da importação dos veículos Audi para o Brasil. Junto com a esposa, a dona Neyde Senna da Silva, seu Milton foi um exemplo na educação dos filhos, Ayrton, Leonardo e Viviane. Mas, falando da influência dele na vida profissional do Ayrton, foi ele que deu o primeiro estímulo ao filho ao construir em sua metalúrgica o primeiro kart do Beco (apelido do Ayrton na família). Depois, quando viu o talento do menino, seu Milton fez de tudo para que o filho evoluísse participando de corridas nos kartódromos do Brasil, da América do Sul e da Europa. Zeloso, porém, o pai hesitou quando o garoto decidiu partir para o automobilismo, no início dos anos 1980. Seu Milton achava que seria muito perigoso. E era mesmo, bem mais do que hoje em dia. Mas quando Armando Botelho, seu sócio, conseguiu patrocinadores para o Ayrton correr na Inglaterra de Fórmula Ford, Miltão logo se animou e reconsiderou, voltando a apoiar o filho. A partir daí, o Senna não parou mais como todos nós sabemos, sempre com o incentivo do pai. Tenho convicção de que se o Senna foi o nosso herói, o Miltão foi o herói dele! A notícia da morte de Miltão (em 27 de outubro, aos 94 anos) me deixou muito triste e me jogou em uma grande onda de recordações. Ele foi uma das pessoas mais simples das centenas que conheci no meio do automobilismo. Mas também uma das mais inteligentes e discretas. Jamais me esqueço dele mostrando karts, capacetes e outros itens do Beco para o jornalista Reginaldo Leme, na gravação para o programa Globo Repórter, sob a condição de não aparecer em cena. Foi em 1988, logo depois de o Ayrton conquistar o primeiro título mundial. Aprendi muito com seu Milton, até no meu trabalho como assessor de imprensa. E recorri numerosas vezes a seus sábios conselhos. Um deles, foi quando desfiz um acordo com o pai de um piloto que começava carreira na Europa e disse não ter dinheiro para me pagar, como assessor de imprensa do garoto. O acordo celebrado verbalmente era de que ele não pagaria, mas me autorizava a comercializar espaço no macacão como forma de garantir alguma remuneração. Foi ele quem construiu o primeiro kart do Beco (apelido do Ayrton na família)Acervo/Quatro RodasÓbvio que, no começo, ninguém queria patrocinar o jovem piloto. E só consegui um patrocinador dois anos depois, quando o tal piloto começou a aparecer. Justamente quando consegui o patrocínio, porém, o piloto mandou me avisar que não queria mais os meus serviços. Aquela seria a última temporada. Tentei conversar com ele, lembrar do acordo feito com o pai, mas não teve jeito. Ou melhor, teve. Liguei para o patrocinador, pedi para suspender a parceria e cancelei uma entrevista coletiva que havia organizado, na véspera de uma corrida. Passada uma semana, encontrei o Miltão e contei a ele o que aconteceu, lamentando que havia perdido um dinheiro certo. E, como resposta, ouvi: “Você foi perfeito, Charles”. Como assim?, pensei. E ele continuou: “Fez o que deveria ter feito. Esse piloto não é ninguém ainda. Se está te tratando desse jeito agora, imagine o que vai acontecer se um dia ele for campeão mundial?” Continua após a publicidade Como eu continuava sem dizer nada, seu Milton completou: “Só que tem uma coisa, pode escrever o que estou falando, ele não vai ser campeão mundial nunca”. Dito e feito. Relacionadas NotíciasEstrela lança autorama do Ayrton Senna com carros da Lotus e McLaren5 out 2021 - 16h10 NotíciasQuando Ayrton Senna escapou de uma multa de trânsito com dois autógrafos8 jul 2021 - 23h07 EspecialA pauta que fez Ayrton Senna e o Audi S4 aparecerem no Jornal Nacional7 mar 2021 - 08h03 Outro exemplo da rapidez de raciocínio do Miltão ocorreu quando, a partir de 1991, os organizadores do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 decidiram que somente a Globo poderia cobrir treinos, classificação e corrida. Até essa temporada não havia exclusividade. Ia todo mundo. Eu organizava entrevistas com o Senna atrás dos boxes, era uma bagunça só no espaço apertado, mas sempre deu certo. Quando expliquei que, com exceção da Globo, as emissoras não poderiam mais cobrir a coletiva do Ayrton para o Miltão, de pronto ele disse que tinha uma ideia e propôs que o piloto desse as entrevistas para todas as tevês no escritório dele, no bairro de Santana, na zona norte de São Paulo. Assim, depois dos treinos, da classificação e da corrida, o Senna pegava um helicóptero e ia para o escritório, onde os jornalistas o aguardavam. Foi fantástico! Especialmente naquele domingo em que o Senna ganhou a corrida. Daria para fazer um livro com as histórias do Miltão. Vivemos outra passagem inesquecível quando o Ayrton começou a correr na McLaren. Por ocasião da corrida no Brasil, coube a mim fazer a divulgação de toda a equipe, incluindo os outros pilotos. Acontece que o novo parceiro de equipe do Senna era ninguém menos que seu rival, o Alain Prost, que havia vencido tantas vezes no Brasil que já era conhecido como o Rei do Rio (naquela época, o GP era disputado em Jacarepaguá). Ao ler o press-kit que montei, o Armando Botelho, empresário do Senna, perguntou se eu era assessor do Senna ou do Prost. Levei um susto e tentei explicar que o press-kit era para falar da equipe e eu deveria me ater aos fatos. Era um texto jornalístico. Ele não quis saber, mandou refazer os releases e voltar no dia seguinte. Saí indignado e no meio do caminho, dirigindo e já longe do escritório, resolvi voltar. Entrei na sala dizendo: “Armando, eu não concordo com você!” Sentei à mesa do empresário, e o pai do Senna, que estava no escritório e assistiu à cena aparentemente surpreso com a minha ousadia, saiu da mesa dele e se sentou a meu lado. Expliquei tudo de novo: “O Prost é o maior vencedor dos GPs do Brasil, bicampeão de F1, o Senna já ganhou várias corridas, mas ainda não é campeão mundial…” E aí mandei o estalo que tive no carro: “E tem mais, quanto mais a gente elogiar o Prost, maior vai ser a vitória do Ayrton sobre ele”. O Armando ficou meio espantado. Mas o Miltão não teve dúvida: “Nossa, Armando, o garoto tá certo! Você quer dar responsabilidade para o Becão, e se ele não vencer a primeira corrida…” Não precisei mudar os textos e naquele GP o Senna largou da pole position, mas o McLaren dele apagou na largada, ele voltou aos boxes e trocou de carro! O Prost começou liderando, na metade da corrida o Ayrton estava 25 segundos atrás dele e fazendo tempo melhor. Ainda faltavam muitas voltas para chegar junto e tentar ultrapassar. Mas ele foi desclassificado pela troca de carro. No fim daquele ano, Senna conquistou seu primeiro título de campeão da Fórmula 1. O seu Milton não foi herói só do Ayrton, foi também meu herói, assim como seu filho dele. Descanse em paz, Miltão! Você foi um grande homem! Charles Marzanasco é jornalista e trabalhou nove anos como repórter na QUATRO RODASAcervo Pessoal/DivulgaçãoJornalista, trabalhou nove anos como repórter na QUATRO RODAS, dez anos como assessor do piloto Ayrton Senna e 25 anos na Audi. Continua após a publicidade The post Inteligente e discreto, Miltão foi o herói de Ayrton Senna appeared first on Quatro Rodas. View the full article
  9. Veículos autônomos começam a se tornar realidade nas ruas e, se depender da Honda, logo essa tecnologia também irá auxiliar nas grandes indústrias. A empresa japonesa testou, em um campo de trabalho real, a segunda geração do seu Veículo Autônomo de Trabalho (ou AWV na sigla em inglês), uma pequena caminhonete off-road e elétrica que é “pau para toda obra”. O campo de testes foi cedido pela empresa de engenharia e construção, Black & Veatch e está localizado no Novo México, Estados Unidos. Black Friday! Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 6,90 O protótipo precisou realizar tarefas pesadas, como rebocar e carregar materiais e suprimentos por toda a área de mais de 400 hectares. Podendo ser dirigido de maneira autônoma ou por controle remoto, os funcionários da Black & Veatch receberam um treinamento dos engenheiros da Honda para aprenderem a utilizar o software que controla o veículo. O campo de trabalho não foi escolhido à toa. No local, funciona um projeto de construção de energia solar em grande escala, onde os painéis solares estão dispostos em forma de grade. Desse modo, a Honda pode testar a capacidade do AWV de parar em pontos precisos. Segundo a empresa, o veículo cumpriu bem a tarefa, estacionando a poucos centímetros do local designado por computador. Para que o funcionamento fosse possível, primeiro, a Honda precisou produzir um mapa em alta definição de toda região. Desse modo, os operadores puderam definir qualquer ponto como rota utilizando a interface digital, que roda em tablets e computadores. Através de um sistema GPS, radares e lidares (um tipo de radar que funciona com laser ao invés de ondas), o AWV consegue interpretar as coordenadas e chegar ao seu destino com precisão. Continua após a publicidade Com visual futurista, até parece que o AWV saiu de algum filme de ficçãoDivulgação/HondaOs testes também serviram para avaliar se o veículo aguenta o trabalho duro. O AWV foi capaz de carregar quase 400 kg em sua caçamba e de rebocar cerca de 725 kg. A bateria movimentou o carro e alimentou todos os sensores por aproximadamente oito horas, mesmo estando em um ambiente muito quente. A Honda disse que design e as especificações podem mudar até a versão final do AWVDivulgação/HondaPesando um total de 719 kg, o AWV é baseado na mesma plataforma off-road do buggy Pioneer e mede 2,89 m de comprimento, 1,86 m de altura e 1,50 de largura. Segundo a marca, ele é capaz de rebocar até 750 kg, incluindo o seu próprio peso, e tem um alcance de 45 km estando totalmente carregado. O carregamento completo de sua bateria leva aproximadamente seis horas. A Honda não indicou o número de motores nem suas especificações. A bateria consegue suportar horas de trabalho duro em dias de muito calorDivulgação/HondaAparentemente, a montadora ficou satisfeita com os resultados e pretende expandir o uso do AWV para outras áreas. “Acreditamos que o Honda AWV tem potencial para trazer maior eficiência, níveis mais altos de segurança e melhor desempenho ambiental para a indústria de construção e para outras indústrias que buscam uma solução off-road autônoma”. diz Kenton Williams, líder do projeto nos EUA. Por enquanto, a marca japonesa ainda não tem previsão de iniciar as vendas do seu veículo de trabalho autônomo, mas está aberta para que outras empresas se ofereçam para testar o protótipo nos mais diferentes campos de trabalho. Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital. A edição 751 de QUATRO RODAS já está nas bancas!arte/Quatro Rodas Continua após a publicidade The post Honda cria veículo autônomo e elétrico feito para o trabalho pesado appeared first on Quatro Rodas. View the full article
  10. Vendo Processador de audio AudioSigma Estética 9/10 Funcionalidade 10/10 Troco por amplificador 4 canais. https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-2105781635-processador-de-audio-audiosigma-cardsp-_JM
  11. Last week
  12. Adicionei outro duto de 2 polegadas. Porém troquei de módulo e por isso não pude comparar bem a diferença.
  13. Nissan Frontier 0KM - Sistema de áudio SQ. Instalamos um kit de 2 vias e coaxial Blam Audio, nos lugares originais, com tratamento acústico Stereo Designers. O veículo não perde a garantia de fábrica, pois não alteramos ou cortamos qualquer chicote do veículo. A Audio Design dá garantia PERMANENTE em suas montagens desde 1994, excelência em vender , projetar e instalar. Mais de 25 anos construindo tendências e obras primas em áudio, acabamentos e acessórios. #audiodesign #caraudio #soundquality #nissan #moema #brooklin #campobelo #blamaudio #nissanfrontier #frontier_xterra_titan_squad #nissanmafia #nissancommunity #nissanworldwide #liftedfrontier #4x4 #nissanpatroloffroad #nissan_frontier #nissanworldwide #nissanxterra #nissan4x4 #nissanoffroad #4x4offroad #offroadclub #nissanterra #nissanclube View the full article
  14. Conta pra gente a sua vibe? Naqueles passeios, naquelas viagens com os amigos, qual é o estilo que mais toca no seu BRAVOX dentro do carro e todo mundo se diverte? #bravox #bravox68anos #bravoxbrasil #somautomotivo #bestsound #somparacarro #somdequalidade #bass #somautomotivobr #audiocar #somautomotivobrasil #audiosystem #sistema #tecnologia #tecnology #somdemuitaqualidade #altaqualidadesonora #speakers #melhorautofalante #projects #carrodossonhos #projetomoderno #moderno #linhadeprodutos #subwoofer #woofers #subwoofers View the full article
  15. Utilitário será vendido no mercado norte-americano no começo de 2022; Se vier ao Brasil será rival da e-Expert e da ë-Jumpy Ford E-Transit foi projetada para atender a demanda de vários tipos de aplicações A nova Ford E-Transit já começou a ser testada por frotistas nos Estados Unidos, onde deve ser vendida no início do próximo ano. O utilitário norte-americano pode ser equipado com motor de 266 cv e deve ter autonomia entre 203 e 349 quilômetros. A marca ainda não informou se pretende vendê-la no Brasil, mas se trazê-la para cá já terá como concorrentes a Peugeot e-Expert e a Citroën ë-Jumpy, que foram lançadas recentemente por aqui. Ainda não há informação se a marca pretende trazê-la para o Brasil Além dos Estados Unidos, a montadora também já iniciou testes com a van elétrica na Europa. De acordo com a empresa, os frotistas participantes são de diferentes categorias como locação, entregas, serviços, manutenção de telecomunicação, entre outras categorias. Quem avaliar a novidade poderá identificar as melhores rotas e experimentar as soluções de carregamento e gerenciamento de frotas projetadas pela Ford Pro, que é uma nova divisão da marca feita para veículos comerciais. Inclusive, essa divisão já começou a operar no Brasil, onde a companhia também já lançou a versão a combustão, que é importada do Uruguai. Novidade conta com sistema de conectividade Ford Pro E-Telematics A Ford E-Transit foi projetada para atender a demanda de vários tipos de aplicações. Por isso, conta com oito configurações, que incluem uma versão de carga com três alturas de teto e três comprimentos e outra configuração chassi-cabine. Quem comprá-la poderá utilizar o sistema de conectividade Ford Pro E-Telematics, que fornece informações dos carros da frota em tempo real, além de mostrar a autonomia, alertas, monitoramento e histórico de carga e, também, permite fazer o rastreamento e configurar a programação da bateria para economizar energia. Para agilizar a vida dos frotistas estadunidenses, a Ford informou que dispõe de uma rede de carregamento com 19.500 estações e 63.000 plugues em todo território dos Estados Unidos. Montadora também já iniciou testes com a van elétrica na Europa A nova Ford E-Transit, que foi apresentada no Salão de Los Angeles no mês passado, deve ser equipada com uma bateria de 67 kWh, o que confere uma autonomia entre 203 e 349 quilômetros. Em um carregamento rápido de 115 kW é possível recuperar 80% da bateria. O modelo deve ter um motor elétrico de 266 cv com torque imediato de 430 Nm. Acompanhe as últimas notícias do mercado automotivo no site da revista AutoMOTIVO, na nova edição de dezembro, nas redes sociais e também no canal do Youtube da TV AutoMOTIVO. Matéria Ford E-Transit elétrica começa a ser testada nos Estados Unidos publicada no Portal Revista AutoMOTIVO. View the full article
  16. O que você gostaria de ter na garagem? Um morador do Texas, nos Estados Unidos, achou sensato ter um Lamborghini Urus e uma picape Ford F-350 para o trabalho no dia a dia, mas acabou preso pela polícia local e não poderá aproveitar os carrões. Black Friday! Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 6,90 O homem de 30 anos teria fraudado empréstimos de dinheiro por meio do programa Paycheck Protection (Programa de Proteção ao Salário), criado para conter os efeitos da pandemia, e utilizado o dinheiro para comprar os carros, um relógio de luxo e até bancar várias noitadas. O resultado foi uma sentença de pouco mais de nove anos de cadeia. O Urus foi comprado com dinheiro que o governo fornece para ajudar empresas durante a pandemiaDivulgação/LamborghiniLee Price III foi preso depois do Departamento de Justiça dos Estados Unidos descobrir que ele buscou US$ 2,6 milhões em fundos de auxílio durante a pandemia. Ele teria fraudado o número de funcionários e as despesas em nome de três empresas diferentes. Com esse esquema, Price recebeu ‘apenas’ US$ 1,6 milhão, algo próximo a R$ 10 milhões. Em uma das fraudes, o texano chegou a cometer o crime com o nome de uma pessoa que já estava morta. Ele também tinha registros fiscais forjados para suportar a sua trapaça. Continua após a publicidade Entre os modelos ‘escolhidos’ por Lee Price III está uma picape Ford F-350Divulgação/FordOs fundos eram reservados para ajudar empresas que passavam por um momento complicado com a pandemia do coronavírus. O pagamento da verba fazia parte de um programa de ajuda do governo estadunidense (Coronavirus Aid, Relief, and Economic Security [CARES]). Relacionadas NotíciasKim Kardashian apresenta Urus “de pelúcia” para promover marca de roupas15 jun 2021 - 15h06 NotíciasCom rodas que podem se soltar, Ford F-Series passa por recall nos EUA15 jun 2021 - 13h06 NotíciasVídeo: conheça o Lamborghini Urus, SUV mais poderoso do Brasil20 ago 2020 - 17h08 O homem, que confessou os crimes em setembro, teria usado o dinheiro para comprar um Lamborghini Urus – avaliado em US$ 230.000 – , uma picape Ford F-350, um relógio Rolex de US$ 14.000 e ainda quitou um empréstimo que havia feito para pagar uma propriedade residencial. A força policial ainda conseguiu recuperar US$ 700.000 do total que foi roubado por PriceDivulgação/LamborghiniA sentença é de 110 meses em regime fechado, um pouco mais de nove anos. Os policiais ainda conseguiram recuperar US$ 700.000 que Price havia conseguido com fraudes. Ele não é a primeira pessoa a ser pega em fraudes por uso indevido de fundos para ajuda durante a pandemia. Um outro homem do estado da Flórida foi sentenciado a seis anos de cadeia após comprar um Lamborghini Huracán 2020 com auxílios fraudados. Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital. A edição 751 de QUATRO RODAS já está nas bancas!arte/Quatro Rodas Continua após a publicidade The post Homem é preso por comprar Lamborghini Urus com fundos contra a pandemia appeared first on Quatro Rodas. View the full article
  17. As vendas de automóveis e comerciais leves seguem crescendo no Brasil. Com a retomada gradual do ritmo de produção na indústria, as vendas subiram 7,3% no último mês, em comparação com outubro, segundo a Fenabrave. A retomada da produção dá mais um sinal: o Chevrolet Onix está de volta à liderança. Black Friday! Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 6,90 Líder do mercado há seis anos consecutivos, o Onix foi fortemente prejudicado pela escassez de semicondutores, tendo sua produção suspensa por mais de cinco meses. Hatch e sedã voltaram a ser produzidos em meados de agosto, ainda em ritmo gradual. Em setembro, a empresa reforçou a produção retomando os dois turnos e, assim, ambos voltam ao pódio após meses na lanterna. Com produção retomada, Onix Plus voltou ao pódioFernando Pires/Quatro RodasO Onix hatch emplacou 9,327 unidades em novembro, contra 8.535 da Fiat Strada, que fica em segundo lugar. Logo em seguida vem o Onix Plus, com 7.521 unidades vendidas no período. O Argo, que chegou ao topo do ranking, agora ocupa o 6º lugar. Relacionadas TestesComparativo: Fiat Pulse e VW Nivus têm suas qualidades, mas qual é melhor?1 dez 2021 - 17h12 NotíciasJeep Commander fica mais caro antes mesmo de primeiro dono recebê-lo6 out 2021 - 16h10 TestesNovo Creta, Tracker ou T-Cross: qual o melhor SUV 1.0 turbo do Brasil?15 out 2021 - 18h10 Continua após a publicidade A surpresa fica para o Mobi, que acompanhou o Argo entre as primeiras colocações com mais de 4.000 unidades vendidas em um mês, mas agora não figura nem entre os 40 veículos mais vendidos do país, com apenas 638 unidades. Uma possibilidade é a realocação de componentes para lançamentos, como o Pulse – que fez sua estreia em 23º lugar, com 2.228 exemplares emplacados. Em seu primeiro mês cheio de vendas, Pulse vendeu mais de 2.000 unidadesFernando Pires/Quatro RodasA polêmica renovação do Hyundai Creta parece ter surtido efeito positivo para o modelo, que conquistou a liderança no segmento dos SUVs. O Tracker, porém, vem logo atrás, com uma diferença de apenas 26 unidades. Depois, estão Compass, T-Cross e Renegade. Não tem mais jeito A Chevrolet pode até ter recuperado a liderança mensal com o Onix, mas o ano é da Fiat. Isso porque a Strada já pode ser considerada como o carro mais vendido do ano ao ultrapassar a marca de 100.000 unidades emplacadas de janeiro a novembro de 2021, bem longe do segundo colocado, que tem 80.135 e, por acaso, também é um Fiat. Mais especificamente, o Argo. Entre as picapes o acumulado atual também aponta a Fiat Toro como segundo modelo mais vendido do país no ano, seguida da Toyota Hilux. Nos SUVs, mais Stellantis, com os Jeep Renegade e Compass disputando quem ficará em primeiro e segundo lugar. Fiat Strada já é o carro mais vendido do anoDivulgação/FiatVeja a lista dos carros mais vendidos de novembro: Posição Modelo Unidades 1º Chevrolet Onix 9.327 2º Fiat Strada 8.535 3º Chevrolet Onix Plus 7.521 4º Volkswagen Gol 6.866 5º Fiat Argo 6.340 6º Hyundai Creta 6.099 7º Chevrolet Tracker 6.073 8º Fiat Toro 5.921 9º Hyundai HB20 5.540 10º Jeep Compass 5.287 11º Volkswagen T-Cross 4.725 12º Jeep Renegade 4.233 13º Toyota Hilux 4.103 14º Renault Kwid 3.712 15º Nissan Kicks 3.556 16º Fiat Cronos 3.545 17º Toyota Corolla 3.505 18º Toyota Corolla Cross 3.454 19º Volkswagen Voyage 3.357 20º Chevrolet S10 3.103 21º Honda HR-V 2.868 22º Citroën C4 Cactus 2.457 23º Fiat Pulse 2.228 24º Volkswagen Saveiro 2.096 25º Hyundai HB20S 2.011 26º Nissan Versa 1.913 27º Renault Duster 1.764 28º Peugeot 208 1.653 29º Ford Ranger 1.610 30º Honda Civic 1.588 Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital. A edição 751 de QUATRO RODAS já está nas bancas!arte/Quatro Rodas Continua após a publicidade The post Vendas em novembro: Onix volta a ser líder e Creta é o SUV mais vendido appeared first on Quatro Rodas. View the full article
  18. Eu sinceramente acho menos custo vender esse sd400.4, que vende muito facil por ter uma alta procura e comprar um falcon HS 1500 DX. Pode nao ser uma marca muito comentada nesse meio, mas acredito que pelo baixo custo do seu projeto seja um amplificador interessante e vai casar perfeitamente com seus equipamentos. Pot. Max @ 13,8VDC a 4 Ohm : 90 WRMS x 2(Stereo)/240 WRMS x1(Subwoofer) Pot. Max @ 13,8VDC a 2 Ohm : 125 WRMS x 2(Stereo)/300 WRMSx1(Subwoofer)
  19. Potência @ 14,4V @ 2Ω: 4 x 112 W RMS Potência @ 14,4V @ 4Ω: 4 x 74 W RMS ou 2x224w rms a 4ohm em bridge. Nao, nao existe. se voce ligar o subwoofer na bridge corre o risco de queimar seu amplificador pela impedancia do falante ser menor do que a impedancia do amplificador. o que pode acontecer eh o contrario, amplificador de 1ohm ligar falante de 4ohm, mas nunca o inverso. Para usar o sd400.4 e ligar todo sistema so da certo da seguinte forma: Voce vai usar 2 canais do sd400.4 para cada lado do kit, mandando 74w rms e 1 canal do amplificador para ligar o subwoofer que vai receber 112w rms. uma outra opcao e barata, seria usar esse sd400.4 em bridge so para o kit 2 vias e comprar um amplificador mono para esse subwoofer. talvez ate mesmo um da propria falcon o Falcon Df-250.1dx
  20. Perguntamos aos nossos seguidores o que eles tinham a dizer sobre a Audiophonic, e ficamos muito felizes com a quantidade de mensagens elogiando os produtos! --- AUDIOPHONIC - ÁUDIO DE ALTA DEFINIÇÃO: SINTA ESTA EMOÇÃO! ✅ 2 anos de garantia.⠀ 🛍Faça sua pesquisa com os nossos distribuidores e encontre o melhor preço! www.audiophonic.net/distribuidores ⠀ #audiophonic #sensation #club #som #carro #somautomotivo #brasil #carros #carrosbaixos #BAS #sound #music #top #jobs #work #negocios #b2b #business #distribuição #somtop #sotocatop #tocamuito View the full article
  21. Pick-up vem equipada com motor turbodiesel de 2.8 litros que foi recalibrado para render 224 cv odelo foi desenvolvida pela divisão esportiva da marca nipônica Gazoo Racing – Fotos: Gabriel Raies/Reprodução A Toyota Hilux GR-Sport foi vista em testes na Argentina. A pick-up, que será produzida por lá, deve ser exportada para cá no próximo ano, quando brigará diretamente com a Ford Ranger Storm, a Chevrolet S10 Z71 e a Nissan Frontier Attack. O modelo vem equipado com motor turbodiesel de 2.8 litros que foi recalibrado para entregar 224 cv, ou seja, 20 cv a mais do que a versão convencional. As imagens foram feitas por Gabriel Raies, que é piloto de rali na Argentina. Não há imagens do interior da novidade – Fotos: Gabriel Raies/Reprodução Apesar de o carro estar todo sujo de barro nas fotos, é possível ver que a grade frontal será pintada de preto, assim como o capô do veículo, o que confere esportividade. Ainda terá grafismos na lateral do modelo e as rodas e o santoantonio também terão tons escurecidos. Não há imagens do interior da novidade, que foi desenvolvida pela divisão esportiva da marca nipônica Gazoo Racing. Novidade será produzida na fábrica da marca japonesa na Argentina – Fotos: Gabriel Raies/Reprodução O piloto argentino também confirmou a motorização, que utilizará o já conhecido motor de 2.8 litros turbodiesel, mas que será recalibrado para entregar 224 cv. Inclusive, essa potência só deve estar disponível para o Brasil e Argentina, já o Japão e Tailândia devem ficar com motores de 150 e 204 cv, respectivamente. Acompanhe as últimas notícias do mercado automotivo no site da revista AutoMOTIVO, na nova edição de dezembro, nas redes sociais e também no canal do Youtube da TV AutoMOTIVO. Matéria Toyota Hilux GR-Sport é vista antes do lançamento na Argentina; Modelo chega ao Brasil em 2022 publicada no Portal Revista AutoMOTIVO. View the full article
  22. A General Motors se mostra empenhada em cumprir os novos protocolos de emissão de gases poluentes. A empresa afirmou que seus modelos emitirão até 43% menos poluentes, prometendo adotar medidas que vão além das exigidas pela próxima fase do Proconve, a L7, mais rígida e que passa a valer já no início de 2022 no Brasil. Black Friday! Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 6,90 Enquanto na Europa, as fabricantes de automóveis buscam ter um catálogo 100% elétrico até 2030, no Brasil a realidade é outra. Por aqui as empresas buscam reduzir a emissão de gás carbônico e se posicionar dentro da legislação local, já que há menos infraestrutura e poder de compra para os elétricos. Os softwares do câmbio e do motor passaram por alterações para diminuir a emissão de gasesDivulgação/GMPara a redução das emissões, a GM investiu em pesquisa e desenvolvimento dos produtos, além da atualização das linhas de produção e montagem. Para os veículos, a fabricante afirma ter atualizado os sistemas de exaustão, o software que gerencia o motor e a transmissão. Como exemplo, a Spin, agora equipada somente com câmbio automático, passou a ter bicos injetores aquecidos no lugar do tanquinho, ganhou uma luz no painel que auxilia a ignição em dias frios, adotou uma nova calibração de motor e câmbio e aprimorou o tanque de combustível e o conversor catalítico. Continua após a publicidade Veja as principais mudanças adotadas na Chevrolet SpinDivulgação/GMEm motores a diesel, a Chevrolet incluiu um novo filtro que anula 95% do material particulado que seria expelido. Ele é responsável, principalmente, por aquela fumaça preta característica expelida pelo escapamento. Relacionadas NotíciasCarros elétricos serão mais baratos que os movidos a gasolina até 202714 Maio 2021 - 08h05 NotíciasBrasil: estudo mostra redução da emissão de monóxido de carbono11 jun 2014 - 18h06 NotíciasUnião Europeia adiará implantação de novas leis de emissão27 nov 2013 - 20h11 Para o L7, a empresa chegou a 43% de redução média na emissão de gases dos seus modelos. Santiago Chamorro, presidente da GM na América do Sul, reforçou o compromisso da marca com o meio ambiente. “A GM anunciou seu compromisso de se tornar uma empresa neutra em carbono até 2040 e estamos avançando globalmente neste sentido”, explica. Chamorro afirma ainda que uma parte importante do processo de descarbonização é tornar os veículos a combustão cada vez mais sustentáveis até a migração para os carros elétricos. O Bolt EV é um dos modelos elétricos da Chevrolet, mas antes de focar nos elétricos, a GM melhorará os modelos a combustãoChristian Castanho/Quatro Rodas Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital. A edição 751 de QUATRO RODAS já está nas bancas!arte/Quatro Rodas Continua após a publicidade The post GM promete reduzir em até 43% as emissões dos seus carros no Brasil appeared first on Quatro Rodas. View the full article
  23. Hora da terceira revisão da Fiat Strada. Marcamos o serviço na Fiat Sinal de Santo Amaro, em São Paulo. Foi um encaixe na hora do almoço com a promessa do carro pronto apenas no dia seguinte. Black Friday! Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 6,90 O serviço de 30.000 km prevê a troca dos 4 litros de óleo e dos filtros de ar e óleo do motor, além de verificações dos sistemas do carro, e estava tabelado em R$ 492. Contudo, saiu por R$ 481 e ainda pagamos R$ 179 pelo alinhamento (que fazemos em todas as revisões, chegando ao total de R$ 660. Relacionadas Longa DuraçãoLonga duração: descobrimos uma das fontes de barulho no motor do Onix Plus22 out 2021 - 10h10 Longa DuraçãoLonga duração: Jeep Compass 1.3 turbo é mais rápido do que parecia15 out 2021 - 09h10 Na “empurroterapia”, chamou atenção a sugestão para trocar o líquido de arrefecimento do motor, que a Fiat só recomenda que seja feita a cada dois anos, independentemente da quilometragem. Quando sugeriram a limpeza do ar-condicionado (R$ 250), pedimos apenas a troca do filtro antipólen (R$ 60), além da verificação de um barulho metálico na dianteira ao passar por irregularidades e questionamos sobre o nível do óleo do motor estar abaixando. Na entrega, o técnico disse que fizeram o reaperto de componentes da suspensão dianteira, o que eliminou o barulho. Quanto ao consumo de óleo, disse que foi feita a medição da compressão dos cilindros do motor e que estava tudo bem, e sugeriu que o motor poderia estar com um óleo de viscosidade errada, mais fina. Continua após a publicidade Difícil: além de ter sido colocado na revisão dos 20.000 km, a Strada usa óleo de viscosidade 0W20, o mais fino disponível hoje no mercado nacional. A nossa Fiat Strada<br />em viagem ao Rio de JaneiroHenrique Rodrigues/Quatro RodasFoi na verificação dos serviços que o técnico Fabio Fukuda, da Fu-kuda Motorcenter, percebeu que o filtro do ar-condicionado não havia sido trocado, nem sequer entrou na ordem de serviço e, por isso, também não foi cobrado. Por sinal, não fizeram também a verificação dele, conforme a Fiat preconiza: “Se tivessem visto, teriam trocado, pois estava bem sujo. O resto do serviço foi feito corretamente, até mesmo o rodízio dos pneus”, conta Fukuda. Falando nos pneus, os Dunlop Enasave aro 16 que estavam na dianteira já acusam um bom desgaste e não irão muito longe. Já era algo que prevíamos: esse modelo tem treadwear, índice que sinaliza a durabilidade dos pneus, de 240. É um número baixo: os Pirelli Scorpion ATR aro 15 que vêm de série na Strada Volcano têm treadwear 440, podem durar quase o dobro da quilometragem. Nova Fiat Strada – 30.405 km Ficha técnica: Versão: Volcano 1.3 8V Cabine Dupla 2020/2021 Motor: 4 cilindros em linha, dianteiro, transversal, 1332 cm3, 8V, aspirado, 109/101 cv a 6.250 rpm, 14,2/13,2 kgfm a 3.500 rpm Câmbio: manual, 5 marchas, tração dianteira Seguro: R$ 2.700 (Perfil Quatro Rodas) Revisões: Até 100.000 km – R$ 6.508 Gastos no mês: Combustível: R$ 895,70 Revisão: R$ 660 Consumo: No mês: 15,3 km/l com 27,3% de rodagem na cidade Desde fev/21: 12,6 km/l com 31,2% de rodagem na cidade Combustível: flex (gasolina) Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital. A edição 751 de QUATRO RODAS já está nas bancas!Arte/Quatro Rodas Continua após a publicidade The post Longa duração: Fiat Strada passa por revisão quase perfeita aos 30.000 km appeared first on Quatro Rodas. View the full article
  24. FULLPOWER - Esta é a versão de entrada do novo Jeep Commander. Com preço de R$ 212.843 e batizado de Limited T270, o SUV de sete lugares ... SUV de 7 lugares: testamos o novo Jeep Commander Limited 1.3 View the full article
  25. O Latin NCap divulgou nesta sexta-feira (3) os resultados de uma nova rodada de testes de impacto, nos quais os Fiat Argo e Cronos saíram com pontuação zerada. Os principais pontos críticos dos modelos, segundo o órgão, estão na baixa proteção lateral para adultos e na instabilidade da estrutura do habitáculo. Black Friday! Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 6,90 As unidades avaliadas são de versões de entrada fabricadas no Brasil e na Argentina, equipadas com airbags frontais, isofix, pré-tensionador dos cintos de segurança, lembrete de cinto de segurança e sistema manual para desligamento do airbag do passageiro. Airbags laterais e ESP não estavam no pacote por serem itens opcionais ou de versões superiores. De acordo com os testes, o abdômen e a pelve dos adultos obtiveram proteção considerada boa, mas insuficiente frente à proteção para tórax e cabeça, classificadas como fraco e pobre, respectivamente. A classificação pobre é a pior entre os cinco níveis adotados pelo Latin NCap: bom, adequado, marginal, fraco e pobre. Fiat Argo/Cronos Latin NCapLatin NCap/Divulgação Continua após a publicidade Nas provas de whiplash, que avalia o efeito chicote na cervical dos passageiros, Argo e Cronos foram penalizados pela grande deflexão dos encostos de cabeça e pela proteção pobre à cervical. Já nos impactos frontais, as avaliações ficaram entre boas e marginais. No entanto, é neste ponto que a estrutura do habitáculo é considerada instável pelo órgão. Relacionadas NotíciasToyota Yaris recebe uma estrela no Latin NCap por baixa proteção lateral29 out 2021 - 12h10 NotíciasDuster zera teste de segurança do NCAP: “segurança é direito como vacinas”27 ago 2021 - 12h08 TestesComparativo: Fiat Pulse e VW Nivus têm suas qualidades, mas qual é melhor?1 dez 2021 - 17h12 A avaliação envolvendo crianças teve resultados positivos, com boa proteção em todos os testes realizados. Porém, os modelos foram penalizados por sinalizações e avisos incorretos para ancoragens Isofix e desligamento de airbag frontal. Para pedestres, o Latin NCap diz que o veículo “não prova que está em conformidade com os padrões da ONU para proteção de pedestres” e, por isso, a proteção foi considerada baixa. Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital. Continua após a publicidade The post Fiat Argo e Cronos zeram em novos testes de impacto do Latin NCap appeared first on Quatro Rodas. View the full article
  26. Time que está ganhando não se mexe, exceto quando o jogador sente o peso da idade. Esse parece o pensamento da Fiat ao anunciar o novo Fiorino nesta sexta-feira (3). O furgão ganhou algumas alterações estéticas e significativas mudanças mecânicas em sua nova versão única, que custa R$ 99.990. Black Friday! Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 6,90 A mais notável dessas é a recalibração do motor 1.4 Evo Flex, que perdeu 2 cv de potência e, por conta de normas ambientais, agora tem 86 cv com álcool. Motor 1.4 ficou mais fraco por conta de novos limites de poluiçãoDivulgação/FiatEm compensação, mudanças que vão da unidade de potência ao sistema de ar-condicionado permitiram uma economia de até 11,8% de combustível em relação ao atual modelo. O ar também está mais eficiente e resfria o ambiente 18% mais rápido que antes. O facelift é bem notável na dianteira, onde o modelo recebeu grade frontal semelhante ao do Pulse e ganhou faróis do Fiat Uno, com direito a máscara negra. Também houve alterações nos para-lamas e vincos do capô e inclusão de faróis de neblina no carro. Interior de Strada Interior é baseado na Strada EnduranceDivulgação/FiatOs dois ocupantes da Fiorino terão à disposição um interior bem atualizado, mas sem abrir mão da simplicidade que, segundo a Fiat, é um desejo de quem compra o modelo. Relacionadas Carros elétricosCitroën e Peugeot lançam vans elétricas a preço de SW4 e freio “opcional”29 nov 2021 - 12h11 NotíciasMais fraco e com mesmo preço, Fiat Pulse 1.3 pode acabar com Argo Trekking20 out 2021 - 13h10 Baseada na Strada, a nova cabine oferece quadro de instrumentos com computador de bordo digital, saídas de ar mais esbeltas e novos estofamentos. Faróis de Uno e grade parecida com de Strada e Pulse são destaques estéticosDivulgação/FiatOs porta-objetos foram redesenhados e incluem até espaço para maquininhas de cartões, enquanto o porta-luvas ganhou iluminação interna. O rádio, entretanto, segue ausente, ainda que haja cabeamento e caixas de som pré-instaladas. Foco na cidade Suspensão traseira utiliza materiais mais leves para maior “eficiência e estabilidade”Divulgação/FiatA Fiat acertou ao elevar o nível de segurança do furgão, ainda que pouco. A partir da linha 2022, a Fiorino contará com controle de tração e estabilidade e sistema que, em frenagens bruscas, ativa o pisca-alerta automaticamente. Espaço para maquininhas de cartão indica maior preparo para o comerciante de hoje em diaDivulgação/Fiat Continua após a publicidade Mudanças significativas incluem a inclusão do Hill Holder — ou assistente de partida em rampa — que facilita a arrancada em vias íngremes, principalmente com os 650 kg de carga sendo utilizados. Câmbio manual foi recalibradoDivulgação/FiatO foco nos fretes urbanos que não param de crescer levaram ao ajuste na relação de marchas, com a ré, 2ª e 3ª ficando mais curtas ao passo que a 5ª marcha foi alongada. Medidas para “melhorar o consumo e diminuir ruído na cabine”, diz a Fiat. Fiat Fiorino Endurance 1.4 2022 Preço: R$ 99.990 Motor: gasolina, dianteiro, transversal, 4 cilindros, 8V, 1.368 cm³; 84/86 cv (gasolina/álcool) a 6.000 rpm; 11,8/12,2 kgfm a 4.000 rpm Câmbio: manual, 5 marchas, tração dianteira Direção: mecânica Suspensão: McPherson (dianteira), eixo rígido (traseira) Pneus: 175/70 R14 Peso: 1.131 kg Dimensões: comprimento, 440 cm; largura, 164 cm; altura, 189 cm; entre-eixos, 271 cm; compartimento de carga, 3.345 l Capacidade de carga: 650 kg Velocidade máxima: 160 km/h 0 a 100 km/h: 13,7 s Consumo (gasolina/álcool): urbano, 11,7 e 8,1 km/l; estrada, 12,4 e 8,4 km/l Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital. A edição 751 de QUATRO RODAS já está nas bancas!Arte/Quatro Rodas Continua após a publicidade The post Novo Fiat Fiorino é mais econômico e equipado, mas custa R$ 100.000 appeared first on Quatro Rodas. View the full article
  1. Load more activity

AutoForum.com.br

O fórum para os maniacos por som automotivo e automóveis

×
×
  • Create New...