Jump to content

AutoForum.com.br - Som automotivo e automóveis  - O fórum dos maníacos por som automotivo e automóveis
- Proibido conteúdo impróprio para menores em tópicos públicos: Nudez estrategicamente coberta; Roupas transparentes; Poses obscenas ou provocantes; Close-ups de seios, nádegas ou virilhas; (em cumprimento a normas do Google) Qualquer desvio, denuncie ao moderador.
- Usuários do Hotmail/Outlook/Msn - confira tutorial para receber emails do fórum;
- Qualquer problema em algum post, DENUNCIE ao moderador, utilize o link abaixo de cada post.
- Confira tutorial para enviar fotos. Tão fácil quanto um CTRL+V. (17/09/2015)
- Encontro Sound Quality em São Paulo/SP domingo (18/08/2019) *****

RobôAutoforum

Membro Pró
  • Content Count

    3,144
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    1

RobôAutoforum last won the day on August 15

RobôAutoforum had the most liked content!

Community Reputation

2 Neutral

About RobôAutoforum

  • Rank
    veterano

Dados Adicionais

  • Complete real name
    Marcelo S. Motitsuki

Profile Information

  • Sex
    Masculino
  • City/State/Contry
    São Paulo/SP
  • Interests
    Divulgar notícias sobre som automotivo, carros e acessórios

Recent Profile Visitors

4,298 profile views
  1. Mais de 25 mil unidades de Ecosport foram chamadas em setembro. Número deve subir agoraFordA Ford anunciou hoje (14) uma extensão ao recall de Ecosport, Ka e Ka Sedan, realizado no dia 3 de setembro. O chamado da fabricante é para corrigir um defeito na estrutura do encosto do banco dianteiro. Em síntese, o banco pode se soltar em caso de colisão. Tanto a versão hatch quanto a sedã do Ka estão envolvidas no recallQuatro RodasConfira abaixo a lista atualizada dos veículos convocados: Veículos Modelos Chassis (8 últimos dígitos) Data de Produção Unidades Ecosport 2019 2020 2019: de K8734610 até K8763895 2020: de L8733757 até L8801066 De 11 de outubro de 2018 até 22 de janeiro de 2019 De 23 de janeiro de 2019 até 19 de setembro de 2019 31.597 Ka 2019 2020 2019: de K8209779 até K8377461 2020: de L8322607 até L8446026 De 10 de outubro de 2018 até 1º de junho de 2019 De 18 de fevereiro de 2019 até 19 de setembro de 2019 99.316 Ka Sedan 2019 2020 2019: de K8224627 até K8375260 2020: de L8322604 até L8433629 De 10 de outubro de 2018 até 1º de junho de 2019 De 19 de fevereiro de 2019 até 19 de setembro de 2019 45.694 A fabricante ainda informou que a verificação tem duração estimada de 20 minutos e a substituição da peça, caso necessária, deve durar 1 hora. Veja também NotíciasOs recalls de carro no Brasil em 201927 set 2019 - 15h09 Auto-serviçoDeixar de fazer um recall vai bloquear o licenciamento do carro no Brasil?2 out 2019 - 07h10 Auto-serviçoFord inicia recall de Fusion anunciado há mais de três meses26 set 2019 - 12h09 O atendimento já pode ser agendado pelo telefone 0800 703 3673 ou em qualquer concessionária Ford. View the full article
  2. Hyundai HB20 Comfort Plus 1.6Quatro RodasA profunda reestilização do Hyundai HB20 e a nova geração do Chevrolet Onix chegaram há pouco tempo, mas os reflexos já podem ser vistos no mercado. Mas, para quem gosta de Onix e HB20 antigos, ainda dá tempo de correr a uma concessionária e comprar uma das últimas unidades zero-quilômetro da linha 2019 em estoque. E ainda é possível negociar um bom desconto. Queima de estoque derruba preços Chevrolet Onix Joy 2019ChevroletQUATRO RODAS entrou em contato com três concessionárias da Hyundai e outras três da Chevrolet no estado de São Paulo. Nas três da Hyundai, ainda havia em estoque a versão Unique 1.0, que antes era vendida por R$ 44.490 e agora sai por R$ 40.990. Também havia a versão Comfort Plus 1.6, em oferta a preço de 1.0: R$ 45.990. Nas lojas da rede Chevrolet, os Onix 2019 também estão em promoção. A antiga versão de entrada, Joy, era vendida por R$ 46.590 e agora pode ser encontrada na faixa dos R$ 42.000, com pouca variação entre as lojas. Já a versão LTZ, topo de linha, sai por R$ 58.000, pouco diferente dos R$ 59.190 praticados antes da chegada da nova geração. Cuidado: desvalorização é maior que a de rivais Onix Activ é o que menos desvalorizouQuatro RodasTambém fizemos um levantamento junto com a KBB da desvalorização dos modelos, comparando com outros três rivais: Volkswagen Polo, Toyota Yaris e Fiat Argo. Na média, o HB20 2019 apresentou um bom índice de 6,04% de perda de valor, perdendo apenas para os 4,76% do Polo. Já o Onix foi o “lanterna” do quinteto: 7,27%, ante 6,16% do Argo e 6,67% do Yaris. Se desmembradas as versões, quem teve a menor desvalorização (5,01%) foi o Onix Activ, ficando em R$ 60.846 no preço médio de revenda. Depois vem o HB20 Comfort Plus 1.0 manual, que teve desvalorização de 5,38%, sendo avaliado em R$ 43.639. Ambos ficaram posicionados atrás de versões de Argo, Yaris e Polo. O veículo com menor desvalorização na pesquisa (2,84%), por exemplo, foi o Argo Precision 1.8, com avaliação média de R$ 59.264 no mercado de usados. Veja também NotíciasAs muitas semelhanças entre o novo Hyundai HB20 e o Chevrolet Agile4 out 2019 - 12h10 NotíciasNovo Chevrolet Onix hatch chega às lojas só no fim de novembro4 out 2019 - 07h10 NotíciasQUATRO RODAS de outubro: novos Hyundai HB20 e Chevrolet Onix lado a lado30 set 2019 - 15h09 Por outro lado, o modelo que teve maior desvalorização foi o Onix Joy, 8,43%, sendo revendido em média por R$ 40.846. View the full article
  3. 1º Honda Civic: 100,2 O campeão dos sedãs médios também foi o campeão de “Os Eleitos 2019”HondaA supremacia do Civic fica evidente em duas informações bem simples de entender. Pelo terceiro ano consecutivo, o modelo da Honda ultrapassou a barreira invejável dos 100 pontos, uma indicação de que entregou aos proprietários mais do que eles esperavam no momento da compra. Não bastasse, foi mais longe e acabou de conquistar o tricampeonato seguido entre os sedãs médios. Se quiser descobrir o que tanto encantou os donos, prepare-se para uma lista longa: venceu Cruze e Corolla em 12 tópicos, dos 23 avaliados. Arrasou em tamanho do porta- -malas (113,6), facilidade de acesso aos comandos (108), espaço interno (107,9), boa visibilidade (107) e design (105,1), entre outros. Como perfeição não existe, também vieram as críticas: seu público reclamou muito de tudo que pesa no bolso. Reprovaram principalmente o preço de compra (81,9), o valor das peças (88,2) e o custo do seguro (93,7). Pontuação no anterior: 100,3 Os elogios: Porta-malas Espaço interno Acesso aos comandos As críticas: Preço de compra Preço das peças Preço dos seguros “É meu segundo ano com o carro e não podia estar mais satisfeito. E pretendo trocar por outro Civic. Parabéns à Honda por aliar um belo design a uma condução prazerosa.” Vanderson Michell Monteiro Fernandes, Imperatriz (MA) 2º Chevrolet Cruze: 99,6 O Cruze se manteve na segunda colocação da categoriaQuatro RodasEncarar o Civic de igual para igual é um feito e tanto, pois o japonês costuma estar entre os melhores de Os Eleitos ao longo dos anos. Portanto, o Cruze só tem a comemorar: conseguiu superar o campeão entre os sedãs em nove atributos, como rapidez de arranque (107), tamanho da rede (105,3), consumo na estrada (104) e facilidade de ultrapassagem (103,4). Mas precisa melhorar em nível de ruído (89,9) e preço de revenda (92,4). Pontuação no anterior: 99,3 Veja também NotíciasNovo Honda Civic Si tem câmbio mais curto e simula ronco de motor22 ago 2019 - 14h08 NotíciasChevrolet Cruze é o primeiro GM com nota máxima em segurança no Latin NCAP21 ago 2019 - 16h08 NotíciasQUATRO RODAS de setembro: colocamos o novo Corolla na pista5 set 2019 - 15h09 3º Toyota Corolla: 96,8 O Corolla amargou a última colocação da categoria novamenteToyotaO peso da idade parece que chegou ao Corolla: às vésperas de uma mudança radical, ele perdeu feio para os rivais. Enquanto Civic e Cruze ficaram só 0,6 ponto distantes entre si, o Toyota manteve-se 2,8 pontos atrás do vice deste grupo. Dos três, foi o pior em 12 de 23 quesitos, com destaque negativo para modernidade do projeto (90,2) e nível de equipamentos (92). Porém, foi o melhor em durabilidade das peças (96,5) e nível de ruído (95,6). Pontuação no anterior: 98,1 View the full article
  4. Novo Actros traz câmeras que substituem os retrovisoresQuatro RodasO mais novo Mercedes-Benz é um dos modelos mais seguros e conectados da marca. Seu piloto automático é adaptativo e preditivo. Ou seja: além de seguir o veículo à frente mantendo velocidade e distância segura, ele ajusta as respostas do motor às necessidades do traçado e do relevo das vias. Ele se orienta por mapas digitais das estradas e sinais de GPS. Outra inovação a bordo é o Assistente de Frenagem Ativo, capaz de identificar outros veículos e até pedestres à frente, e acionar os freios autonomamente. Fabricado no Brasil ele chega às lojas em abril de 2020Quatro RodasComo você vê pela foto acima, o veículo em questão não é mais um sofisticado sedã ou SUV de luxo da marca, nem mesmo um superesportivo: estamos falando de um caminhão. O novo Actros está sendo mostrado esta semana no Fenatran (Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Cargas), que acontece de 14 a 18 de outubro em São Paulo (SP). E começará a ser vendido no Brasil no início de 2020. Nós já dirigimos esse caminhão, na véspera de seu lançamento, no Campo de Provas da Mercedes em Iracemápolis (SP), e contamos aqui como ele é. As telas que reproduzem as imagens captadas pelas câmeras ficam junto às colunas da cabineQuatro RodasAlém dos itens acima, a lista de equipamentos tem dispositivos como faróis inteligentes, auxiliar de partida em rampa, controle de estabilidade (que inclui o implemento), sensor de chuva, detector de pontos cegos, alerta de mudança involuntária de faixa e sensor de fadiga do motorista. A vida a bordo é beneficiada por equipamentos como botão de partida sem chave, berço de carregamento de celular por indução, ar-condicionado, geladeira e até uma confortável cama de solteiro, na parte de trás da cabine. Como nos espelhos tradicionais, telas exibem dois ângulos de visãoQuatro RodasO que chama mais a atenção, entre todos os recursos a bordo, porém, são as inéditas câmeras que substituem os espelhos retrovisores. Batizadas de MirrorCam, as câmeras estão localizadas na parte externa do caminhão, no alto das portas, em braços ancorados nos mesmos pontos de apoio superiores dos retrovisores tradicionais. Câmera reduz o arrasto aerodinâmico, contribuindo para economia de combustívelQuatro RodasElas projetam as imagens para dentro da cabine, por meio de duas telas que ficam na altura correspondente à dos retrovisores físicos aposentados, na região das colunas dianteiras. O uso é muito simples para o motorista, porque as telas ficam na mesma região para a qual se costuma olhar quando se procura os retrovisores. Câmera se ajusta aos movimentos do caminhão nas manobrasQuatro RodasAs telas retangulares têm 15,2 polegadas cada uma e são divididas em duas partes, como os retrovisores duplos com visão normal e ampliada de um caminhão comum. A finalidade dessas câmeras é melhorar a aerodinâmica do caminhão, já que os retrovisores externos convencionais configuram dois anteparos ao vento enquanto o caminhão se desloca. Segundo a Mercedes, com a retirada dos retrovisores a economia de combustível pode chegar a 1,3%, dependendo da condição de uso do caminhão. Tela reúne as informações dos instrumentos, computador de bordo e luzes espiaQuatro RodasE há também a vantagem mais óbvia, que é a de favorecer a visão do motorista. Ao eliminar os retrovisores externos fixados nas extremidades e posicionar as câmeras junto à coluna A, o campo de visão do motorista é ampliado durante o deslocamento. Para trás, além de mostrar as imagens dos espelhos tradicionais, as telas possuem indicações (como aqueles gabaritos das câmeras de ré de alguns automóveis, só que mais simples) que são muito úteis. Central reúne os comandos dos sistemas de conforto e conectividadeQuatro RodasAs linhas sinalizam onde termina a carga, o que ajuda a avaliar a distância e a velocidade relativa de outros veículos que se aproximam, bem como o espaço necessário para uma manobra de mudança de faixa, por exemplo. Nas curvas, é possível enxergar o tempo todo a traseira do caminhão porque a câmera se movimenta de modo a exibir sempre o reboque inteiro. Na hora de engatar a ré, a câmera também se posiciona para facilitar a visão do motorista. Actros tem versões para diferentes aplicações com tração 4×2, 6×2 e 6×4Quatro RodasAs imagens projetadas transmitem total confiança ao motorista. Tanto que, me sentindo no controle da situação, pedi para estacionar o Actros de ré ao lado de outros caminhões no Campo de Provas. Apesar de termos testado o item durante o dia, a Mercedes garante que a visibilidade é otimizada também em uso noturno. Detalhe: o caminhão que eu dirigia puxava um implemento duplo, que os técnicos chamam de bitrem (dois semirreboques acoplados), com 25 metros de comprimento. Para esse tipo de manobra, porém, não basta enxergar bem: é preciso ter experiência que eu não tenho. Por isso, além das câmeras precisei do auxílio de meu instrutor para concluir a manobra. Dirigimos o Actros no Campo de Provas da Mercedes, às vésperas do lançamentoQuatro RodasO novo Actros chega ao mercado em cinco versões, dependendo da motorização e da tração. O motor OM 460 oferece três faixas de potência (450, 480 e 510 cv) e a tração pode ser do tipo 4×2, 6×2 e 6×4. A versão 2553 6×2, de 510 cv e 244 mkgf, se mostrou bastante forte quando carregada (o bitrem do teste estava lastreado com 54 toneladas) e ágil quando vazia (dirigimos outra unidade sem carga). Motor diesel OM 460 é apresentado com três faixas de potência: 450, 480 e 510 cvQuatro RodasA direção relativamente leve e a boa posição de dirigir deu a impressão de que é possível dirigir o Actros por longas distâncias sem cansar. O amortecedor do banco também facilitou a nossa vida, ao mesmo tempo que a suspensão se revelou cumpridora de seu papel. Matada a vontade de dirigir o bruto e ver as câmeras funcionando, foi possível fazer reparo no visual e em detalhes de acabamento do caminhão. Nosso modelo é ligeiramente mais baixo que o vendido na AlemanhaQuatro RodasExternamente, o destaque é o novo design da linha nacional (o Actros é produzido no Brasil) que está igual ao da versão recém-lançada na Alemanha. A única diferença fica na altura da cabine, que na Alemanha é maior, uma vez que lá vãos das pontes, viadutos e túneis são mais altos. Por isso, a grade dianteira do nosso tem uma lâmina a menos. Mesmo assim, é preciso vencer quatro degraus para entrar no caminhão. Na cabine há uma cama de solteiro e uma geladeria (gaveta sob a cama)Quatro RodasNa cabine da versão topo de linha, além do painel bicolor, com uma faixa em aço escovado dividindo as duas partes, e bancos ergonômicos, o Actros exibe duas telas LCD de 10,25 polegadas cada: uma com as funções do painel de instrumentos e outra com os recursos da central multimídia. O Actros permite conectar até dois celulares (com sistemas Apple Carplay e Android Auto) e conta com aplicativos para facilitar a vida dos transportadores. Entre os aplicativos há o Mercedes-Benz Uptime, que usa inteligência artificial e telemetria para monitorar o funcionamento do caminhão e ajudar no plano de manutenção. É possível conectar dois celulares à central e recarregá-los por induçãoQuatro RodasE o Habbl que possibilita a criação de um ambiente de relacionamento entre as diferentes pessoas e departamentos envolvidos no transporte, do caminhoneiro ao cliente passando pela transportadora e pela rede autorizada Mercedes. Há ainda outros recursos que ajudam o motorista no dia-a-dia com dicas de condução e check-list para ser feito antes de sair da garagem. Veja também NotíciasImpressões: domamos o caminhão de R$ 1 milhão que puxa até 500 toneladas18 jul 2019 - 07h07 TestesComparativo: Mercedes-Benz Actros e Mercedes-AMG E 63 S13 mar 2018 - 21h03 NotíciasActros e L-1111: guiamos dois ícones dos caminhões Mercedes-Benz13 dez 2017 - 15h12 Na linha 2020, os preços do Actros subiram cerca de 10% em relação ao modelo anterior. O que não é muito considerando as melhorias. Os valores variam de R$ 585.000, na versão de entrada 2045 4×2, a R$ 715.000, na versão completa, 2653 6×4. A 2553 6×2 mostrada aqui sai por R$ 680.000. View the full article
  5. Série 2 Gran Coupé chegará ao Brasil no ano que vemBMWO BMW Série 2 Gran Coupé foi mostrado oficialmente, mas as primeiras imagens do modelo – pode chamar de Série 1 cupê de quatro portas, se quiser – vazaram antes. Apesar do jeito mais esportivo, essa carroceria tem boa dose de funcionalidade. Além do novato, há o Série 8 com a mesma proposta de formato. No início de 2020, será a vez do Série 4. <span class="hidden">–</span>BMWE olha que a aposta dos bávaros faz sentido: os Mercedes-Benz Classe A Sedan e CLA tiveram sucesso nos segmentos de entrada graças a esse estilo premium. Voltando ao Série 2 Gran Coupé, ele aproveita base e conjunto mecânico do hatch da marca. Essa é exatamente a fórmula que a rival da estrela aplicaram antes. <span class="hidden">–</span>BMWConsiderando que a BMW não vende o Série 1 nos EUA, caberá ao estreante ser a porta de entrada de novos clientes à marca. E com o estilo que agrada por lá. Claro que esse modelo será global, mas é importante ressaltar a importância dele na América do Norte, onde ficará abaixo dos US$ 30.000, bem como o CLA 250. Tração dianteira permite melhor aproveitamento do espaço internoBMWEm relação ao visual, a dianteira se mantém fiel ao hatch. Mas, a partir da metade da carroceria, as linhas seguem para uma traseira mais longa e de queda suave. São 4,53 m de comprimento, o que está longe de ser um carro pequeno. O VW Virtus, por exemplo, o maior sedã do segmento dos compactos, tem 4,48 m. Modelo é mais comprido que um Volkswagen Virtus, por exemploBMWSe a tração dianteira pode desagradar os puristas da marca, faz todo sentido quando a ideia é praticidade: há mais espaço para passageiros e bagagens. O porta-malas com 430 litros é 40 litros maior que no Série 2 Coupé, que tem a tradicional arquitetura da BMW. E há 3 cm a mais para pernas na segunda fileira. Painel é igual ao do hatch que serve de base ao novatoBMWPena que, na parte de trás, ainda que dificilmente viajem mais que dois adultos, o túnel central alto é bem incômodo. Ao menos as portas traseiras são grandes. Do hatch Série 1 também vieram bancos, painel e comandos, assim como os bons níveis de conforto, qualidade percebida e os sistemas de assistência à condução. Cabine é igual à do Série 1BMWEm relação às opções de motorização, nem mesmo a versão topo de linha M235i xDrive, com 306 cv, será um risco ao M2 Competition, mais caro e com 410 cv. Além da configuração mais potente, haverá outras três versões: 218i (140 cv), 220d (190 cv) e 228i xDrive (231 cv), esta última exclusiva para os EUA. Túnel central dificulta a vida do quinto passageiroBMWA apresentação do Série 2 Gran Coupé está marcada para o Salão de Los Angeles, no fim de novembro. Já o lançamento na Europa será em março do ano que vem. Veja também NotíciasImpressões: BMW X1 aumenta grade e tela multimídia para ser um mini-X730 set 2019 - 07h09 NotíciasNovo BMW 320i chega por R$ 187.950, mas só para quem pagar à vista25 set 2019 - 15h09 TestesImpressões: novo BMW Série 1 na encruzilhada entre emoção e racionalidade28 ago 2019 - 07h08 Para o Brasil, ainda não foram confirmadas configurações, lista de equipamentos nem preços. A data de chegada também não está cravada, mas isso deve ocorrer em algum momento de 2020. View the full article
  6. T-Cross tem risco de trinca do eixo traseiroVolkswagenA Volkswagen convocou nesta terça-feira (15) os proprietários de 7.741 unidades do T-Cross, ano/modelo 2020, para recall. Os modelos envolvidos pertencem ao intervalo (não sequencial) de chassi L4006098 até L4028156, fabricados entre 3 de maio e 22 de julho deste ano. De acordo com a empresa, o chamado é para inspeção e, caso necessário, substituição de todo o eixo traseiro. A marca diz que o motivo do recall é a “possibilidade de trinca do eixo traseiro, com o surgimento de ruído” por conta do componente ter sido produzido fora das especificações. A fabricante ainda afirma que em casos extremos, o problema pode prejudicar a dirigibilidade do veículo podendo provocar acidentes com danos físicos e materiais aos ocupantes e a terceiros. Veja também Auto-serviçoDeixar de fazer um recall vai bloquear o licenciamento do carro no Brasil?2 out 2019 - 07h10 NotíciasOs recalls de carro no Brasil em 201927 set 2019 - 15h09 Auto-serviçoFord inicia recall de Fusion anunciado há mais de três meses26 set 2019 - 12h09 Segundo a Volkswagen, a inspeção deve durar cerca de 20 minutos, mas caso seja necessária a troca do eixo, o serviço deve passar de quatro horas. O serviço é gratuito e o atendimento começará em 21 de outubro. Para agendar o atendimento, os donos dos veículos envolvidos devem entrar em contato com a rede de concessionárias da empresa. View the full article
  7. Modelo ganhou visual polêmico na oitava geraçãoReproduçãoO novo Volkswagen Golf já havia vazado no início deste ano. E se você já achou o visual polêmico na época, temos uma má notícia: ele será assim mesmo. Os flagras mais recentes, divulgados pelo fã-clube da marca na República Tcheca, mostram por completo as linhas do hatch médio, inclusive na cabine. Interior tem detalhes que remetem a outros carros da marca e do grupo VWReproduçãoPor manter a plataforma MQB da geração anterior, o modelo manteve o visual de antes nas laterais e nas colunas. Já a dianteira mudou completamente. O para-choque está bem mais avançado, seguindo a tendência do segmentos para atender às exigências nos testes de proteção ao pedestre, por exemplo. Esboço sugere um Golf agressivo, o que não acontecerá na práticaVolkswagenJá os faróis estão praticamente unidos pelo friso que começa como luzes diurnas de leds. Na grade estreita, destaque para o novo logotipo da empresa. O painel, por sua vez, aposta no quadro de instrumentos digital unido à central multimídia, como acontece nos Mercedes-Benz com o sistema MBUX. Novidade é a integração do painel com a central multimídiaVolkswagenOs difusores de ar estão em posição mais baixa e discreta, uma solução inspirada no Passat. Já a presença de uma alavanca de câmbio manual deixa os fãs mais puristas aliviados. Ainda não dá para ver detalhes dos equipamentos, mas é possível observar que o novo Golf terá os comandos de iluminação parecidos com os do Audi Q8. Sistema híbrido parcial unifica motor de partida e alternadorVolkswagenEm relação à motorização, a principal novidade é que será adotado, pela primeira vez, um sistema híbrido parcial com bateria de 48V para reduzir o consumo. Para o Brasil, a situação do hatch deverá se complicar ainda mais: a produção do antecessor em São José dos Pinhais (PR) já acabou em favor dos SUVs. Notou a diferença no logotipo?InternetA importação do México também está descartada, já que a VW decidiu não fazer o modelo por lá. A única possibilidade, então, seria trazê-lo da Alemanha, muito provavelmente apenas nas versões mais esportivas (e caras). Veja também NotíciasMelhor Compra: vale a pena comprar um Volkswagen T-Cross?30 jul 2019 - 18h07 NotíciasExclusivo: VW mata o GTI e põe fim ao Golf brasileiro. GTE é o substituto9 ago 2019 - 18h08 NotíciasFlagra: Volkswagen Polo GTS roda sem camuflagem em testes finais24 maio 2019 - 16h05 O lançamento na Europa estava previsto para o Salão de Frankfurt, mas isso não aconteceu. Mas o hatch chegará às lojas ainda neste ano com linha 2020. View the full article
  8. Novo desenho frontal é a principal modificação do Honda City 2020ReproduçãoNão deu pra escapar. Pouco antes de sua apresentação oficial na Tailândia, o Honda City 2020 bem que tentou se camuflar, mas acabou sendo flagrado na Índia e também na Tailândia. A linha 2020 do sedã compacto premium passou por uma renovação. O novo visual da parte frontal, combinados faróis, pára-choque e grade mais larga, deixam clara a inspiração do veículo: o Civic. Junção de capô com os faróis será inspirada no CivicHondaA principal relação com o desenho do irmão maior está na junção do capô com os faróis dianteiros, diferentemente do modelo atual, que prolonga a peça até a grade frontal. O City ganhará novos equipamentos para a Ásia, como carregador de celular por indução e central multimídia com tela sensível ao toque compatível com Apple CarPlay e Android Auto, já disponível aqui no Brasil. Nova geração do sedã poderá manter mesmo motorização do atualQuatro RodasSegundo o portal Indian Autos Blog, o veículo deverá chegar a Tailândia com um motor VTEC 1.0 turbo de 120 cv e 20,3 kgfm, que pode ter câmbio automático CVT ou manual de seis marchas. Além disso, uma versão híbrida com o mesmo sistema já utilizado pelo Honda Accord será oferecida, mas com propulsor i-VTEC 1.5 e outros dois motores elétricos. Estreia para o Brasil poderá acontecer no próximo Salão do AutomóvelQuatro RodasNa Índia, o Honda deve ser visto pela primeira vez na edição 2020 do Indian Auto Expo, salão do automóvel realizado no mês de fevereiro em Budh. Para o mercado indiano, o sedã é esperado com motor a gasolina 1.5 i-VTEC e também a diesel 1.5 I-DTEC. A transmissão poderá ser automática CVT, além de manual com cinco ou seis velocidades. E, assim como na Tailândia, o veículo deverá ter versões híbrida e híbrida parcial. Veja também TestesComparativo: novo Honda City EXL encara VW Virtus Highline9 maio 2018 - 11h05 NotíciasSegredo: novo Honda Fit é flagrado sem camuflagem no Japão11 out 2019 - 12h10 TestesVídeo: Honda HR-V Touring 1.5 turbo é uma boa compra a R$ 139.990?9 out 2019 - 14h10 Para o Brasil, ainda não existe uma data certa para a chegada do City. Mas, com a estreia na Tailândia marcada para este ano e na índia para início de 2020, é provável que o sedã apareça no Salão do Automóvel de São Paulo em 2020. Por aqui o veículo deverá manter o mesmo propulsor i-VTEC de quatro-cilindros 1.5 com 115/116 cv e 15,3 mkgf que já é oferecido, mas não indícios de uma possível versão híbrida. Atualmente os preços partem de R$ 62.800. View the full article
  9. FULLPOWER - O carro mais vendido do mundo se tornou neste ano o primeiro veículo do planeta a contar com opção de motor híbrido flex. Mas será ... O Corolla híbrido é mesmo econômico? Testamos o consumo com etanol View the full article
  10. Novo Evoque parece um SUV de shopping, mas só pareceLand RoverNão dá para negar que o Range Rover Evoque continua a ser um dos carros mais chamativos à venda no Brasil. Falamos por experiência própria: bastou colocá-lo na rua para que os olhares curiosos se voltassem a ele, ainda mais sabendo que a unidade testada ostentava o chamativo tom metálico vermelho Firenze. É verdade que o SUV compacto de luxo perdeu um pouco do apelo vanguardista da primeira geração. Afinal, os traços da linha 2020 são todos inspirados no irmão maior Velar, que por sua vez bebeu da fonte do próprio Evoque 1. Evoque pode ser facilmente confundido com um VelarLand RoverMas ele ainda impõe respeito. Na estrada, por exemplo, são muitos os motoristas que querem segui-lo de perto. Houve até quem tenha piscado os faróis altos para nos cumprimentar. A diferença é que, agora, o SUV de “entrada” da Land Rover não é mais tão acessível quanto em 2011, quando foi lançado a R$ 165 mil. Em tempos atuais, parte de mais de R$ 280.000 e supera os R$ 322.000 na versão avaliada, a de topo R-Dynamic HSE. Novo Evoque tem 4,37 m de comprimento e 2,68 m de entre-eixosLand RoverEsta vem munida de pintura metálica, coluna de direção com regulagem elétrica de altura e profundidade e pacote estilístico Black (emblemas, grade, tomadas de ar, saias dos para-choques, ponteiras de escapamento e capas dos retrovisores em preto brilhante. Sem os opcionais citados, o valor cai para R$ 312.900. Há outra, menos potente e mais em conta. Ainda assim, um outro patamar de valores. É por isso que será muito mais difícil ver um desses na rua do que seu antecessor. QUATRO RODAS já publicou um vídeo sobre a nova geração do Evoque, com direito a impressões de seu comportamento em uso citadino. Confira: Mas nossa experiência foi além de perímetros urbanos: incluiu quase 400 km de trechos rodoviários e uma boa dose de trilha em estradas de terra. Porque, apesar da banca de inglesinho criado em condomínio fechado, o Evoque continua a ser essencialmente um Land Rover. E, portanto, tem lá o seu apreço por aventuras. Range Rover está ainda mais rápido em nova geraçãoLand RoverEm rodovia, por exemplo, o motor 2.0 turbo de injeção direta da família Ingenium, com duplo fluxo, 16 válvulas e comandos variáveis de admissão e escape, demonstra pujança e elasticidade totalmente compatíveis com as expectativas. Mas não é só ele que merece os créditos pelo desempenho. A plataforma PTA prevê o uso de alumínio em diversas partes do monobloco, reduzindo o peso, além de um posicionamento mais baixo do motor, aprimorando o centro de gravidade. Dinâmica agrada, mas jamais nos faz esquecer que estamos num SUVLand RoverNão à toa, o novo Evoque foi de 0 a 100 km/h em 8,08 segundos no nosso teste, ganho de 0,42 s em relação ao antigo 2.0 a gasolina que equipava a geração anterior. Em ambos os casos, o câmbio é automático de nove marchas da ZF. Se as acelerações e as respostas de direção e pedais lembram as de um hatch médio, a dinâmica do novo Evoque nos faz lembrar que estamos num SUV. Visual do Evoque chama muita atenção, ainda mais nesta pinturaLand RoverApesar da presença de barras estabilizadoras nos dois eixos mais sistema anticapotamento, a carroceria rola um bocado em curvas. E a calibração das suspensões é voltada mais ao conforto do que à rigidez. Tal opção se mostra vantajosa em alguns momentos, mas o conjunto não tem tanto curso quanto se poderia imaginar e isso fica perceptível ao passar por ondulações mais severas. No off-road Evoque vai melhor do que se poderia esperarLand RoverPara uso em rodovias, o controle de cruzeiro adaptativo e as assistências de permanência em faixa, de ponto cego e de frenagem emergencial são bastante eficientes. Já a câmera para auxílio à visão traseira no retrovisor interno, que teoricamente reduz o ponto cego, demanda um bom tempo para se acostumar. Além disso, é praticamente inútil à noite, pois a visão fica totalmente turva. Melhor seguir usando o espelho convencional. Novo Evoque dispõe de um retrovisor interno com visão ampliada por câmera traseiraLand RoverSó que o Evoque apresenta sua faceta mais surpreendente, mesmo, no fora-de-estrada. E não apenas pela presença de tração integral sob demanda. Nem pelos generosos ângulos de ataque (20,8°), rampa (20,7°) e saída (30,6°). O sistema Terrain Response 2 permite selecionar o mais adequado para a ocasião entre seis modos de condução (areia, asfalto, automático, cascalho ou lama), aprimorando a aderência em pisos não pavimentados. Evoque só não vai melhor na terra pela ausência de pneus mais adequados para issoLand RoverAlém disso, o novo Evoque conta com um vasto cardápio de câmeras, incluindo imagens laterais dos para-lamas e uma projeção que torna o capô “invisível”, a fim de auxiliar a passagem por transições bruscas de relevo ou locais estreitos. Encaramos até mesmo algumas transições por córregos, aproveitando a boa capacidade de imersão de 60 cm. Faltaram apenas pneus de uso misto para deixá-lo ainda mais valente no off-road. Nada que vá atrapalhar a vida de um morador de cidade, mas dono de sítio no interior. O estilo do Evoque é o mesmo: limpo, com poucos botões e telas táteis para os diversos sistemasLand RoverA maior decepção talvez esteja na parte eletrônica, costumeiro calcanhar de Aquiles de carros ingleses. Isso porque o conjunto de duas telas de 10 polegadas no console central, que controlam funções de central multimídia, modos de condução, configurações do veículo e ar-condicionado, são menos rápidos e práticos do que pomposos. Em nossa experiência, o ar-condicionado chegou a travar numa velocidade e temperatura que só conseguimos alterar após desligar e religar o veículo. Durante nossa experiência, os comandos digitais do ar ficaram travadosLand RoverVeredicto O Evoque perdeu o apelo vanguardista, mas continua a ser um carro que arranca suspiros por onde passa, além de entregar desempenho e capacidade off-road condizentes com um Land Rover. Mas custa bem mais caro do que outrora, deixou de ser nacional e peca em alguns detalhes. Teste – Range Rover Evoque R-Dynamic HSE P300 Consumo Urbano: 7,6 km/l Rodoviário: 10,6 km/l Consumo Urbano: 7,6 km/l Rodoviário: 10,6 km/l Consumo Urbano: 7,6 km/l Rodoviário: 10,6 km/l Consumo Urbano: 7,6 km/l Rodoviário: 10,6 km/l Aceleração 0 a 100 km/h: 8,08 s 0 a 1.000 m: 29,13 s – 183,61 km/h Velocidade máxima: n/d Retomada (D) 40 a 80 km/h: 3,5 s 60 a 100 km/h: 4,22 s 80 a 120 km/h: 5,5 s Frenagens 60/80/120 km/h – 0 m: 14,93/26,97/61,33 m Ficha técnica – Evoque R-Dynamic HSE P300 Preço: R$ 322.300 Motor: gas., dianteiro, transversal, 4 cilindros, 1.998 cm3, DOHC, turbo de duplo fluxo; 16V com duplo comando variável, 300 cv a 5.500 rpm, 40,8 mkgf a 1.500-4.500 rpm Câmbio: automático, 9 marchas, tração 4×4 integral Suspensão: McPherson (dianteira) / multilink (traseira) Freios: discos ventilados (dianteiro) / sólidos (traseiro) Direção: elétrica Rodas e pneus: liga leve, 235/50 R20 Dimensões: comprimento, 437,1 cm; largura, 190,4 cm; altura, 164,9 cm; entre-eixos, 268,1 cm; peso, 1.850 kg; tanque, 67 l; porta-malas, 591 l Itens de série: seis airbags; faróis de led com DRL e luzes fluidas de seta; assistente de farol alto automático; retrovisores externos com aquecimento, memória, rebatimento elétrico, luzes de aproximação e função antiofuscante; retrovisor interno com câmera de auxílio à visão traseira; tampa do porta-malas com sensor de gestos; chave inteligente; ar-condicionado digital bizona; sistema Terrain Response 2 com controles de estabilidade, tração, cruzeiro adaptativo, arrancada com baixa tração, partida em aclives e anticapotamento; central multimídia de 10 polegadas com projeção de celulares e controle por voz; sistema de som Meridian; assistente de ponto cego; frenagem autônoma emergencial; câmera de 360 graus; câmeras de visão lateral, traseira e de projeção sob o capô; monitoramento de tráfego em ré; bancos dianteiros elétricos; rodas de liga leve aro 20″; teto solar panorâmico. View the full article
  11. Nomes como Astra, Vectra e Corsa estimulam a nostalgia dos fãsQuatro RodasA Chevrolet fez história ao vender modelos como Astra, Corsa, Meriva, Omega, Vectra e Zafira no Brasil entre os anos 90 e 2000. Só que a marca nunca mais poderá usar esses nomes por aqui. O motivo pelo qual todos esses batismos ficaram para os livros de história (ou edições guardadas de QUATRO RODAS) é que agora pertencem ao grupo PSA, atual dona da Opel. Nova geração do Corsa conseguiu seguir uma linha de estilo independente do 208OpelConsulta feita por QUATRO RODAS constatou que todos os registros dos nomes desses modelos no Inpi (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) estão em nome da Opel Automobile GMBH, vendida no início de 2017 aos franceses. Só que, curiosamente, os registros “Chevrolet Astra” e “Chevrolet Vectra” ainda existem, mas não na categoria “veículos automotores”, mas sim nas de brinquedos ou roupas. Ou seja: novos Astra ou Vectra vendidos aqui pela GM, só em miniatura. Já nomes como Corsa, Omega e Zafira sequer possuem essa alternativa. Furgão de passageiros aproveita o nome da minivan Zafira, que fez sucesso no BrasilOpelAo longo dos quase 90 anos sob comando General Motors, o fabricante europeu forneceu uma série de modelos ao país: do Opala a todos os citados lá em cima. Desde então, a Chevrolet brasileira apostou por bases mais simples e de outras origens, como a GSV (Cobalt e Spin), desenvolvida em parceria com os coreanos da Daewoo, e GEM (Onix e Onix Plus), criada com os chineses da SAIC. Corsa é o maior expoente de vendas dos Opel com insígnia Chevrolet no BrasilEnquanto isso, a Opel passou a utilizar a mesma plataforma de modelos Peugeot e Citroën. Exemplo dessas mudanças é que o Corsa é um 208 e a Zafira é um Citroën Jumpy rebatizado. Já os SUVs Crossland X e Grandland X têm alma de 2008 e 3008. SUV Crossland X, com base PSA, substituiu a Meriva na EuropaQuatro RodasApesar dos registros de patente por aqui, é pouco provável que a Opel retorne ao Brasil – dessa vez como marca própria, ao invés de “emprestar” seus carros à Chevrolet. Segundo apuração do repórter Henrique Rodriguez durante o Salão de Frankfurt, na Alemanha, o grupo PSA pretende fortalecer as marcas já atuantes no país. Prova disso é o investimento recém-anunciado pela empresa para produzir na fábrica de Porto Real (RJ) novos modelos de entrada com plataforma modular. Novo Peugeot 208 chegará ao Brasil em 2020PeugeotCom lançamento previsto para 2021, a família – chamada internamente smart car – deverá ter três representantes: um hatch, um sedã compacto e um SUV. Ainda não há definição de qual marca será utilizada pelos novatos, que podem chegar às lojas com emblema Citroën para não brigar com os novos 208 e 2008. O hatch compacto da Peugeot já estreará na primeira metade do próximo ano e será igual ao modelo vendido na Europa. Só que a produção será na Argentina. Veja também NotíciasCorsa, Astra, Zafira: carros da “francesa” Opel que queríamos no Brasil12 set 2019 - 07h09 NotíciasPeugeot-Citroën traz plataforma global para fazer novos carros no Brasil8 out 2019 - 15h10 TestesImpressões: novo Peugeot 208 usa visual e tecnologia como armas de sedução15 jul 2019 - 18h07 Sendo assim, restará aos brasileiros ceder à licença poética (outra vez) e aceitar que, o mais próximo que teremos do Corsa por aqui, terá outra marca na grade (ou estará nas prateleiras das lojas de brinquedos). View the full article
  12. Kwid acelerou de zero-quilômetro a 60.000 km em um ano e meioQuatro RodasCom o hodômetro já se aproximando dos 60.000 km, nosso Renault Kwid vai a campo para ter aferida a sua potência junto ao mercado de usados. Como acontece com todos os carros de Longa Duração, é hora da simulação de venda. A desvalorização real é um dos itens mais considerados pelo consumidor brasileiro. Não à toa, a simulação de venda costuma ser um dos momentos mais comentados na trajetória dos modelos avaliados. Como um consumidor comum, nosso piloto de teste Eduardo Campilongo visitou lojas independentes e concessionárias (Renault e de marcas concorrentes), fingindo estar interessado em trocar de carro. Nas autorizadas Renault, as ofertas foram de R$ 25.000 na Sinal e R$ 27.000 na Itavema. A melhor proposta partiu da R-Point (R$ 29.000), a mesma concessionária que nos vendeu o Kwid, em março de 2018, por R$ 40.390, valor de tabela à época. No giro entre as concessionárias da concorrência, altos e baixos. Na Caoa Chery, onde manifestamos interesse num QQ, oferta de R$ 25.000, mesmo valor ouvido na Fiat Amazonas, na troca por um Mobi. Veja também NotíciasLonga Duração: Renault Kwid não destranca a porta nem desliga a tela12 ago 2019 - 07h08 NotíciasLonga Duração: Renault Kwid chega à reta final com avalanche de queixas17 jul 2019 - 07h07 NotíciasLonga Duração: quase tudo vibra ou range no Renault Kwid após 53.000 km18 jun 2019 - 08h06 A última rodada de cotações foi feita em lojas independentes. Na média, valores muito próximos aos obtidos nas concessionárias: R$ 25.000 na PSG, R$ 28.000 na Sunny e R$ 29.000 na Tiago Veículos. Todas as autorizadas e lojas independentes são da capital paulista. Com a calculadora na mão, dá para dizer que, passados 60.000 km e um ano e meio da estreia, nosso Kwid usado vale entre 61,9% e 71,8% de um zero-quilômetro. Afinal, nossa simulação de venda apurou que o mercado de usados paga por ele entre 18,6% e 29,8% abaixo da tabela Fipe. Bolsa de Valores Valor em março de 2018 R$ 40.390 Valor atual do modelo novo R$ 42.490 Valor do usado na Tabela Fipe R$ 35.636 Melhor oferta na simulação R$ 29.000 Pior oferta na simulação R$ 25.000 Kwid – 59.950 km Ficha técnica: Renault Kwid Versão: 1.0 12V Intense Motor: 3 cilindros, transversal, 12V, 70/66 cv a 5.500 rpm, 9,8/9,4 mkgf a 4.250 rpm Câmbio: Manual, 5 marchas Consumo: No mês: 14,8 km/l com 33% de rodagem na cidade Desde mar/18: 15,1 km/l com 29,5% de rodagem na cidade Combustível: flex (gasolina) Gastos no mês: Combustível: R$ 396 Seguro: R$ 1.043 (Perfil Quatro Rodas) Revisões: Até 60.000 km – R$ 2.688 View the full article
  13. Veículo possui um porta-malas de 500 litrosChevroletComo adiantado no último mês por QUATRO RODAS, o antigo Chevrolet Prisma sedã passou oficialmente a se chamar Joy Plus e não carregará nem o nome do antigo Prisma e nem o do Onix. Com nova identidade, o veículo chega ao mercado ainda este mês, a partir de R$ 51.290. Seguindo o padrão visual do Prisma 2019, o novo sedã de entrada da fabricante traz como opcional o acabamento Black, com emblemas frontal e traseiro de fundo preto e moldura da grade e retrovisor vem em preto brilhante. Este eleva o preço a R$ 51.990. Além disso, a versão conta com luz de posição em LED, rodas de aço de 15 polegadas e calotas escurecidas. Joy Plus chega em seis opções de cores: Branco Summit, Prata Switchblade, Vermelho Chili, Cinza Graphite, Preto Ouro Negro e a nova cor Azul Blue Eyes.ChevroletNo interior, os bancos são revestidos com couro sintético nas faixas externas e tecido no centro, e incluem regulagem de altura para o motorista. Ar-condicionado, direção elétrica e travas e vidros elétricos são outros itens de série do Joy Plus. Mas a central multimídia, o sensor de estacionamento e o ajuste eletrônico dos retrovisores externos são ofertados apenas como acessórios. No quesito segurança, o veículo não inova muito. Traz os obrigatórios freios ABS e airbag duplo, além de aviso sonoro de cinto de segurança para motorista, sistema Isofix e Top Tether para fixar cadeirinhas infantis e alarme antifurto. Veja também NotíciasNovo Chevrolet Onix hatch chega às lojas só no fim de novembro4 out 2019 - 07h10 NotíciasMais fraco e equipado: as diferenças do Onix Plus brasileiro e chinês25 set 2019 - 07h09 NotíciasChevrolet Onix e Prisma fazem dobradinha no ranking de vendas de setembro2 out 2019 - 17h10 O motor segue sem mudanças: será o mesmo quatro-cilindros 1.0 8V com até 80 cv de potência e 9,8 mkgf de torque, aliado a câmbio manual de seis marchas. A produção será em São Caetano do Sul (SP). View the full article
  14. No acabamento R-Line, o veículo conta com detalhes em preto e rodas de liga leve de 21 polegadasVolkswagenA Volkswagen enfim tirou do papel o projeto de um SUV cupê grandalhão mais acessível a BMW X6, Audi Q8 e afins. Apresentado como conceito em março de 2018, o Atlas Cross Sport agora ganha vida sobre a plataforma MQB, mesma de Golf, Tiguan e afins, e completará a família dos utilitários da marca alemã. Serão oito tipos de acabamento disponíveis, iniciando pela versão S (de entrada) e indo até a SEL Premium R-Line (topo de linha). Entre elas, poderão ser encontradas as versões: SE, SE Tech, SE Tech R-Line, SEL, SEL R-Line e SEL Premium. Com 4,97 metros de comprimento, 1,99 m de largura e 1,71 m de altura, o Atlas Cross Sport é 7,1 cm menos comprido e 5,8 cm mais baixo que o Atlas convencional, mas 2 cm mais largo. E manteve algumas linhas do irmão maior. O novo formato da carroceria dá uma outra visão do SUV cupê, que parece ser destinado a um público mais jovem. A distância entre-eixos, porém, é a mesma do Atlas de sete lugares, 2,97 metros. Veículo será produzido em Chattanooga, nos Estados Unidos, na mesma fábrica em que são fabricados o Atlas convencional e o PassatVolkswagenNo exterior, o veículo conta com faróis que acompanham as barras da grade frontal. O para-choque dianteiro é parecido com o do Volkswagen Touareg e possui detalhes cromados que contornam as entradas de ar. A coluna C com uma largura maior e a linha da carroceria acentuada indo de encontro ao teto, mostram os detalhes do formato de cupê do SUV. No interior, a maior parte dos itens foram compartilhados da versão maior do Atlas, mas com algumas atualizações. O volante, por exemplo, é novo e possuí controles mais intuitivos, ainda tem o acabamento de bancos com detalhes de costura e o carregador indutivo para celulares. Além disso, há outros recursos como: bancos e volantes com aquecimento, guarda-sóis traseiros e sistema de som Fender Premium Audio System, com 12 alto-falantes. O painel de instrumentos 100% digital é conhecido de nossos Polo, Virtus e T-Cross, mas fica à disposição apenas nos acabamentos SEL e SEL Premium. SUV ainda conta com uma exibição das sinalizações da pista, onde são mostrados limites de velocidades, zonas escolares e mais informações no painel de instrumentoVolkswagenO proprietário pode contar também com o Car-Net que permite o usuário interagir e coletar informações do veículo pelo celular. Ele também aceita comandos de voz e disponibiliza internet 4G para até quatro dispositivos. Para a segurança, o Cross Sport conta com aviso de colisão, frenagem autônoma, monitoramento de pontos cegos e de tráfego traseiro, sensores de estacionamento, controle de cruzeiro, assistente de engarrafamento e de manutenção de faixa e start-stop. Veja também NotíciasVW Atlas Cross Sport aparece mais careta em versão de produção13 dez 2018 - 18h12 TestesImpressões ao dirigir: novo Touareg, o primo rico da VW27 abr 2018 - 19h04 TestesExclusivo: dirigimos o VW Atlas, SUV turbo para brigar com Audi e BMW3 dez 2018 - 12h12 Volkswagen ainda deixa a disposição dois motores diferentes. Um deles é um V6 3.6 de 280 cavalos e o outro é o 2.0 TSI de quatro-cilindros turbo-alimentado com injeção direta e 238 cv. Estamos falando do mesmo propulsor do Golf GTI, só que um pouco mais potente. Os dois propulsores contam com transmissão automática de oito marchas e podem contar com o sistema de tração integral. View the full article
  15. Em 2014 eram cerca de 84 mil unidades vendidas para PCD e em 2018 foram aproximadamente 246 mil veículos destinado a esse públicoFiatA Fiat lançou nesta segunda-feira (14) uma versão do Cronos destinada ao público PCD. Com a alta de mais de 200% na procura por carros do segmento durante os últimos cinco anos, a fabricante decidiu integrar o sedã ao seu grupo de veículos destinados ao segmento. Atualmente, a marca já disponibiliza versões de Mobi, Uno, Argo e Grand Siena para pessoas com deficiência. O cliente ainda pode escolher sem custo algum entre cores sólidas (Branco Banchisa) e metálicas (Prata Bari e Cinza Silvestone).FiatO Cronos para PCD chega com o valor de R$ 54.655, já com desconto de IPI e isenção do ICMS. O modelo tem motor 1.8 de 139 cv de potência e 19,3 mkgf de torque com câmbio automático de seis marchas. O veículo sai de série com central multimídia touchscreen de sete polegadas compatível com Apple CarPlay e Android Auto. Além disso, vem com regulagem de altura no banco do motorista e volante multifuncional. Veja também TestesTeste: esportivado, Fiat Cronos HGT marca a morte da versão 1.8 manual6 ago 2019 - 17h08 NotíciasToyota Yaris 2020 deixa de ter rodas de liga leve em versões para PcD21 ago 2019 - 16h08 Guia de ComprasMelhor Compra 2019: carros novos para PcD8 ago 2019 - 07h08 Para a segurança do condutor, o Cronos conta com alarme antifurto, sensor de estacionamento, sensor de pressão de pneus, controle de tração, controle de estabilidade, alerta de frenagem de emergência, auxiliar de rampa e direção elétrica progressiva. Porém, não possui faróis de neblina. View the full article

AutoForum.com.br

O fórum para os maniacos por som automotivo e automóveis

×
×
  • Create New...