Jump to content

AutoForum.com.br - Som automotivo e automóveis  - O fórum dos maníacos por som automotivo e automóveis
- Proibido conteúdo impróprio para menores em tópicos públicos: Nudez estrategicamente coberta; Roupas transparentes; Poses obscenas ou provocantes; Close-ups de seios, nádegas ou virilhas; (em cumprimento a normas do Google) Qualquer desvio, denuncie ao moderador.
- Usuários do Hotmail/Outlook/Msn - confira tutorial para receber emails do fórum;
- Qualquer problema em algum post, DENUNCIE ao moderador, utilize o link abaixo de cada post.
- Confira tutorial para enviar fotos. Tão fácil quanto um CTRL+V. (17/09/2015)
- Encontro Sound Quality em São Paulo/SP domingo (27/10/2019) *****

All Activity

This stream auto-updates     

  1. Past hour
  2. Pessoal, bom dia. Primeiramente gostaria de agradecer a todos que ajudaram! e pedir desculpas pela demora, pois estava em viagem. Vamos lá: Como descrito na época da abertura do tópico, fiz a instalação no civic dos seguintes equipamentos: - kit 2 vias audiophonic club - subwoofer de 10'' NAR 1004-SW2 (caixa regency) - Amp. Soundigital Sd600.4 Evo 4.0 ligando tudo, menos os falantes originais traseiros, que foram ligados direto no player. - Troquei a HU original e coloquei uma central multimídia da Kronos para o civic g10 por ter mais opções de configs e mais interatividade no geral. Como eu estava passando um tempo em SP, e pelo fato do carro estarna garantia de fábrica, fiz a instalação em uma loja especializada em SQ de som automotivo, pois vi que os caras eram muito bem avaliados, tanto pelo capricho na instalação quanto pela qualidade etc, dentre as zilhares de indicações. Realmente, a instalação ficou muito caprichada - nunca vi igual, e o pessoal de lá é muito bacana, atendimento sensacional. Porém pessoal, retornei para minha cidade de carro (3.000km distante de SP) e passei a notar os seguintes problemas: 1) ruído tipo "zzzzzzzzzzzzzz" quando o player esta ligado mas sem tocar nenhum som 2) ruído tipo uma turbina bem baixinho quando acelera o carro, tal ruído some ao desligar o player 3) estalo ao ligar e desligar o player. Entrei em contato com o pessoal da loja que fez a instalação via telefone (pois já estou em outro Estado) e eles me orientaram o seguinte: "diminuir um pouco o ganho do amplificador, mas ressaltaram que a qualidade do amp não ajuda, por isso os ruídos." Fiz o orientado porém não consegui resolver. Fui abaixando aos poucos e nada. Alguém tem uma luz para me ajudar??? confesso que bateu um desanimo com o som...
  3. Bom dia/tarde/noite a todos do fórum,gostaria de tirar uma dúvida quanto a 2 kits 2 vias o Bravox cs60p e o Hurricane Q6.2.Qual desses 2 me entregaria um som melhor ? Sei q não os melhores mas estão no valor q posso investir no momento (até 150$).Se puderem indicar mais algum nessa faixa de preço tbm será bem vinda a sugestão.
  4. Today
  5. FULLPOWER - Esta é a versão de entrada do Volkswagen T-Cross 2021. No vídeo a seguir, nós vamos falar sobre os equipamentos do SUV 1.0 automático, que ... Versão de entrada: testamos o Volkswagen T-Cross 200 TSI 2021 View the full article
  6. Subaru Legacy no chão Owner: Tiago Rodrigues View the full article
  7. Corolla, ES300 e Fit com as placas em acrílico @jdm_gaijinbr - cidades de Yokohama e Shinagawa / Japão . #spportcarbrautomotive #scbrautomotive #placasjaponesas #placajapao #scbrcustoms View the full article
  8. Nova Ranger só deverá chegar às ruas em 2022Renato Aspromonte/Quatro RodasA Ford deixou de fabricar automóveis no Brasil, mas vai continuar explorando o segmento de picapes com importados. Além da inédita Ford Maverick, mexicana, prepara a nova geração da Ranger, que terá visual inspirado na Ford F-150. Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 7,90 Os primeiros flagrantes da picape média surgiram há quase dois anos, no início de 2019, mas ainda não há exemplares circulando em teste pelas ruas – isso indica que faz sentido a previsão de lançamento (lá fora) para 2022. Em relação à identidade dos utilitários, dá para reconhecer os grandes faróis interligados à grade do motor, os apliques de plástico nos para-lamas dianteiros e um pequeno entalhe nas janelas das portas traseiras. No caso particular da Ranger, também há caixas de rodas bem mais volumosas e salientes que nas irmãs. Continua após a publicidade Quanto à motorização, a Ranger deverá aposentar o atual cinco-cilindros 3.2 turbodiesel de 200 cv para receber os mesmos conjuntos que já são utilizados pela F-150 nos EUA: quatro-cilindros 2.0 turbodiesel de 213 cv de potência e 50,9 kgfm de toque; e V6 3.0 turbodiesel de 253 cv e 61,1 kgfm nas mais caras. Desenho divulgado pela VW antecipa Amarok com base da FordReprodução/VolkswagenDesta vez, a picape média da Ford dividirá a plataforma com a próxima encarnação da Volkswagen Amarok – que, segundo os próprios alemães, só continuará existindo por conta do acordo com os norte-americanos. Mas cada picape terá identidade própria. Aliás, isso já ficou bem claro pelo que foi dito até agora. Na dança das cadeiras do segmento, poderemos ter aqui somente a versão com emblema oval azul, já que a irmã será fabricada somente na África do Sul para mercados de África, Europa e Oriente Médio. Já a futura Ranger continuará produzida em General Pacheco, na Argentina, de onde será trazida ao Brasil. Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital. Mais lidas NotíciasNotíciasRenault lança aluguel de carro por assinatura mais barato do Brasil NotíciasNotíciasNovo Honda HR-V está confirmado para fevereiro; Brasil verá SUV mais tarde NotíciasNotíciasGAC, Geely, Changan e GWM: quem são as interessadas nas fábricas da Ford? NotíciasNotíciasComo Stellantis pode mudar carros Peugeot, Citroën, Fiat e Jeep no Brasil Continua após a publicidade View the full article
  9. Jah que tem tanto medo de estragar os kits, arruma logo algum osciloscopio e regula isso.
  10. Se nao estah vindo medio grave suficiente das portas, eh bem provavel que a porta nao estah servindo como caixa acustica, e nao tem como resolver sem tratar acusticamente. A blindagem pode ajudar bastante, pois adiciona bastante massa, provavelmente soh vai precisar de algum material pra vedar as passagens de ar e o amortecimento, pq massa jah tem.
  11. TA eh alinhamento de tempo, pra acertar a posicao dos instrumentos. Retirar os falantes do tampao tambem, pois eh impossivel acertar um som stereo com o som vindo da nuca, e tambem pra abrir espaco pro grave entrar no carro. Sobre o som pra fora, se nao quer uma caixa tipo trio, um ou mais pares de coaxiais vao resolver, mas nao vai ficar forte. Soh foge dos triaxiais, tetraxiais, porraxiais...
  12. Yesterday
  13. Fala meu povo, Apenas a critério de atualização de projeto e atualização de experiência de vida com som automotivo... hehehehe Mexi no meu som inteiro, não estava muito contente com o resultado que meu som estava apresentando, sentia um som com distorção e algumas vezes achava que meu kit não estava aguentando o "tranco", ao aumentar o som ele começava a "estourar", além de achar que o tweeter estava muito estridente. Então resolvi começar do zero. 1- Troquei meu kit 2 vias, 2 vezes, primeiro pelo Focal Access 165 e depois pelo Morel Tempo. Em resumo, consegui realmente entender o que muito li aqui no fórum, o kit 2 vias é gosto pessoal, não existe um melhor ou pior, existe um com mais médio, um com mais agudo, um com o tweeter mais presente e etc... o resto é o conjunto + regulagem. O que posso falar dos 3 kits que utilizei, Hertz DSK, um bom kit, toca bem, porém achei o tweeter bem estridente e o kit no geral um pouco fraco de potencia, o Focal Access, gostei bem do medio grave dele, é um kit forte e aguenta um pouco mais que o hertz, ficando em segundo na minha preferencia, o Morel Tempo, eu gostei bem mais, um kit mais equilibrado, aguenta bastante potencia e achei mais fácil de chegar nas regulagens corretas para ele. Decidindo assim ficar com o Morel Tempo. 2- Troquei o módulo Mb Quart ONYX 4.80 pelo Lightning audio S4.400, quis fazer este teste para entender melhor como cada amp se comportava e para verificar se a ligação via entrada alta seria melhor do que usando o conversor RCA, e se essa diferença iria interferir tanto assim em qualidade ou não. Consegui perceber a diferença dos 2 amplificadores, na minha opinião o MB quart tem um pouco mais de qualidade, principalmente em frequências altas, o LA S4, achei bem forte para médio e grave. No caso da entrada alta ou RCA, não consegui ver muita diferença, utilizando a saída alta ficava um pouco mais flat o som, do que com o conversor, que manda um pouco mais de potencia na frequência alta, mas a diferença é quase nenhuma e pode ser ajustada na regulagem do som. 3- Troquei o conversor RCA, troquei o conversor da EATECH pelo conversor DAT, na pratica a única diferença entre ele no final, é que o DAT desliga o amplificador quando o som está pausado, por exemplo, já o eatech não faz isso, o amp sempre fica ligado. Sendo assim não vi diferenças entre os conversores. 4- Eu havia escrito aqui que o Viper4Android não havia dado muita diferença... Mentira!!!! Faz diferença sim, vale a pena instalar o honda hack e instalar esse processador digital, como ele consigo regular o som e melhor as frequências de grave e subgrave que são atenuadas na CM, quem tem Civic da 10ª geração eu recomendo demaisssss o uso!!!! Não sei se esqueci de relatar algo, se lembrar acrescento por aqui. Agora irei fazer a troca do LA S4.400 pelo Hertz HCP4 e vou comprar um módulo para o JL, estou querendo pegar um SD 400.2, mas está difícil de achar. Ainda não sei se ligarei o Hertz utilizando as saídas altas ou o RCA, farei um teste para ver se ele vai se comportar como o LA. Instalando tudo atualizo aqui para ver se ajuda alguem. Atualizando o projeto:- Conversor RCA eatech;- Módulo Lightning audio S4.400; (UP para o Hertz HCP4) - UP Módulo SD 400.2 para o Sub;- Kit 2 vias Morel Tempo 6";- Coaxiais originais ligados no Multimídia;- Sub JL 10Wx4;
  14. Coaxial Stage 2 🎼 . A sinfonia de um coaxial produzido no Brasil, desenvolvido em alta qualidade, para gerar um som com definição de áudio e nacional 🇧🇷 . #stereodesignsteam #stereodesigns #sq #highquality #som #brasil (Feed generated with FetchRSS) View the full article
  15. O design do ADV foi inspirado no irmão maior X-ADVCaio Mattos - Divulgação/HondaVocê sabia que 87% dos compradores de scooters têm automóveis em casa? Essa estatística é da Honda, que oferece cinco modelos desses em sua linha e acaba de lançar mais um: o Honda ADV. Pois é, qual o motorista que nunca pensou em ter um scooter para aqueles deslocamentos rápidos, fugindo do trânsito e da angústia de procurar uma vaga para estacionar? Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 7,90 O ADV é um scooter com habilidades off-road. Não dá para fazer trilhas radicais, mas é possível pegar aquela estradinha do sítio sem aperto. Resumindo, o ADV está para os scooters assim como os aventureiros urbanos (Argo Trekking, Stepway) estão para os carros. As letras ADV, vêm de adventure. Esse tipo de fusão de propostas é comum na indústria automobilística, o que resultou em peruas off-road, cupês de quatro portas e os próprios SUVs, que seriam uma mistura de tudo. A maior distância do chão, o ADV permite inclinar mais nas curvasCaio Mattos - Divulgação/HondaConceitualmente, o ADV é derivado do X-ADV, um scooter grande equipado com motor de 750 cc, que foi lançado em 2017. O ADV tem motor de 150 cc. O X-ADV é importado do Japão. Chega aqui por R$ 69.900. O ADV é feito em Manaus (AM) e custa R$ 17.490. PCX 150 aventureiro? Mecanicamente, o ADV é derivado do PCX 150, o scooter mais popular da Honda no Brasil. Além do motor monocilíndrico, com arrefecimento líquido e câmbio CVT, ele usa o mesmo chassi tubular de berço duplo. O tanque de combustível de 8 litros também é igual. Mas as coincidências param por aí. O chassi foi reforçado para suportar as novas aplicações e o motor recebeu mudanças na admissão e no escape para respirar melhor e conseguir mais torque em baixas rotações, de acordo com a fábrica. Na admissão, o caminho do ar ficou 2 centímetros mais longo e, no escape, em vez daquele silenciador horizontal, a Honda adotou um escapamento elevado, como nas motos trail, o que aumentou a contrapressão. A scooter traz de série a chave presencialCaio Mattos - Divulgação/HondaSegundo os engenheiros, mudaram as curvas de potência e de torque, mas valores totais não mudaram, ou seja: 13,2 cv e 1,38 kgfm. No mais, tudo no ADV é bem diferente do PCX. As suspensões são um exemplo. Relacionadas TestesHonda GL 1800 Gold Wing: a moto mais cara e tecnológica que um Civic25 mar 2019 - 10h03 NotíciasHonda CG 125: relembre a trajetória da icônica moto recém-aposentada5 fev 2019 - 14h02 TestesTeste: Honda CRF 450RX muda pouco para correr no Rali dos Sertões8 nov 2020 - 14h11 Na traseira, os amortecedores Showa contam com reservatório de gás externo e, na frente, a suspensão é do tipo convencional, mas também da Showa e, no que diz respeito ao curso, o conjunto tem 130 mm na dianteira e 120 mm na traseira, enquanto o PCX tem 100 mm nos dois eixos. Com isso, a altura em relação ao solo passou de 137 mm, no PCX, para 165 mm, no ADV. E a altura do assento foi de 764 mm a 795 mm. Os pneus são de uso misto e rodam no asfalto e na terra. Continua após a publicidade Lanterna, farol e piscas têm lâmpadas de ledCaio Mattos - Divulgação/HondaSempre com rodas de liga leve. Outra coisa típica de motos off-road são os discos de freio do tipo wave (onda), que têm desenho irregular, para evitar o acúmulo de sujeira nas pastilhas. Mas tão interessantes quanto os recursos para enfrentar as trilhas são os equipamentos para rodar no asfalto. Começando pela dianteira, há os faróis full-led com luzes de posição. O para-brisa é ajustável manualmente, em duas posições, para proteger o piloto do vento. E o painel digital LCD é um capítulo à parte: além de velocímetro e odômetro, tem temperatura ambiente, computador de bordo com informações de até dois deslocamentos (trip A, trip B), indicador de carga na bateria, momento de troca de óleo e um indicador de consumo instantâneo. Além de mais largo, o guidão fca mais distante do piloto, graças ao ângulo de suspensão mais fechadoCaio Mattos - Divulgação/HondaNão há conta-giros. A chave é presencial e não falta nem o sistema start-stop, que desliga o motor nas paradas, para economizar combustível. E, por falar em consumo, segundo a fábrica, o ADV faz 50,9 km/l na cidade, e 34,2 km/l na estrada (a 80 km/h constante). Em nosso test-drive pudemos avaliar o comportamento do ADV na estrada e também na terra. Não fosse a posição dos pés apoiados na base do scooter, eu poderia pensar estar pilotando uma trail de baixa cilindrada. O que dá a impressão de que o ADV é uma trail é o guidão principalmente, porque ele é mais largo que o que equipa o PCX e também está mais distante do piloto, proporcionando melhor alavanca. Porta-objetos traz tomada 12 VCaio Mattos - Divulgação/HondaIsso aconteceu porque a Honda fechou um pouco o ângulo de caster da suspensão dianteira, afastando o volante e, consequentemente aproximando a roda dianteira da traseira, o que teve um efeito secundário bom, que foi o de reduzir a distância entre-eixos da moto (que ficou mais ágil e fácil de manobrar). O espaço para as pernas do piloto é reduzido. Eu, com meu 1,70 m de altura, me encaixei bem. Mas os mais altos talvez fiquem desconfortáveis. O motor é esforçado. Enquanto no plano, ele vai bem com velocidade de cruzeiro ao redor dos 80 km/h. Mas nas subidas é preciso enrolar o cabo do acelerador. Sob o banco há espaço para 27 litrosCaio Mattos - Divulgação/HondaOs freios são bem confiáveis, assim como a estabilidade nas retas em velocidade e nas curvas como o ADV é mais alto que o PCX, é possível inclinar mais nas curvas. Como todo bom scooter que se preze, ele tem porta-objetos, um na parte frontal (com 2 litros de capacidade e tomada 12 V) e outro sob o assento (27 litros, suficientes para um capacete fechado e um conjunto de chuva, por exemplo). Os scooters são veículos típicos das cidades, mas esse ADV encoraja a fazer até mesmo deslocamentos maiores, como o que fizemos para esta avaliação. Veredicto Por R$ 17.490, ele é 21% mais caro que o PcX (R$ 14.410). Mas recompensa o investimento. Ficha técnica Preço: R$ 17.490 Motor: gasolina, monocilíndrico, arrefecimento líquido, OHC, 149,3 cm3, 13,2 cv a 8.500 rpm, 1,38 kgfm a 6.500 rpm câmbio: CVT Suspensão: telescópica convencional (diant.) e duplo amortecida (tras.) Freios: disco, 220 mm Rodas e pneus: liga leve, 110/80 – 14 (diant.); 130/70 – 13 (tras.) Dimensões: compr., 195 cm; largura, 76,3 cm; altura, 115,3 cm; entre-eixos, 132,4 cm; altura do assento 79,5 cm; distância mínima do solo, 16,5 cm; peso, 127 kg; tanque, 8 l Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital. Mais lidas NotíciasNotíciasRenault lança aluguel de carro por assinatura mais barato do Brasil NotíciasNotíciasNovo Honda HR-V está confirmado para fevereiro; Brasil verá SUV mais tarde NotíciasNotíciasGAC, Geely, Changan e GWM: quem são as interessadas nas fábricas da Ford? NotíciasNotíciasComo Stellantis pode mudar carros Peugeot, Citroën, Fiat e Jeep no Brasil Continua após a publicidade View the full article
  16. FULLPOWER - A Chevrolet anunciou nesta semana o retorno da versão LTZ à gama de configurações do Cruze. O Cruze LTZ 2021 adota um parachoque de estilo ... Chevrolet Cruze retoma versão LTZ na linha 2021 View the full article
  17. Paratoca 🥰 View the full article
  18. Fábrica da Jaguar Land Rover em Itatiaia, RJ.Divulgação/Land RoverO encerramento da produção nacional da Ford parece ter preocupado os governantes do País. Medidas começaram a ser tomadas para evitar novas surpresas e, consequentemente, manter empregos em polos industriais. Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 7,90 O governo do estado do Rio de Janeiro já anunciou que fará reuniões com representantes de montadoras de automóveis, principalmente com as cerca de 200 fábricas localizadas no polo automotivo do Médio Paraíba formado por doze municípios e que reúne fábricas de Volkswagen Caminhões, PSA Peugeot Citroën, Nissan e da BMW Hyundai. Segundo o governo do estado, o setor automotivo na região emprega cerca de oito mil funcionários. A primeira conversa foi com a fabricante britânica Jaguar Land Rover, para tratar da fábrica de Itatiaia, que hoje monta apenas o Discovery Sport. Relacionadas NotíciasFord fechará fábricas no Brasil e EcoSport e Ka saem de linha11 jan 2021 - 16h01 NotíciasNovos Land Rover Discovery Sport e Evoque monitoram até a qualidade do ar25 ago 2020 - 20h08 NotíciasNovo Land Rover Discovery Sport chega ao Brasil em 2020 e será nacional11 set 2019 - 07h09 NotíciasAudi pode abandonar fábrica no Brasil por calote milionário do governo25 set 2020 - 09h09 Segundo o Secretário Estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações internacionais, Leonardo Soares, a empresa pode investir mais R$ 19 milhões (aproximadamente 2,5 milhões de libras) nos próximos anos para manter o funcionamento da linha de produção e ainda se comprometeu a gerar novos 400 empregos diretos no local. Continua após a publicidade Nova Lange Rover Discovery Sport montada na fábrica de Itatiaia, RJ.Divulgação/Land RoverA fábrica foi inaugurada em 2016 com o intuito de firmar um compromisso com o consumidor brasileiro e protegê-lo das inconstâncias da variação cambial. Ao todo, foram investidos mais de R$ 750 milhões para inaugurá-la em um plano de expansão de mercado da fabricante. Inicialmente, eram produzidos os modelos Evoque e Discovery Sport, irmãos de plataforma e modelos mais populares da marca no Brasil. <span class="hidden">–</span>Divulgação/Land RoverNo entanto, com nenhuma das previsões comerciais se cumprindo e sem a disposição de investir mais capital em Itatiaia para atualizar a linha de montagem, a empresa optou por encerrar a produção do Evoque quando o modelo ganhou uma nova geração. De acordo com o site Automotive Business, o valor de investimento anunciado pelo secretário não cobria os gastos para viabilizar a produção de um novo modelo e a contratação de novos funcionários. Portanto, é possível que o local seja sublocado novamente para uma empresa terceira. Essa estratégia já é implementada na fábrica, que tem parte de suas instalações cedidas a um laboratório de emissões do Idiada. Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital. <span class="hidden">–</span>arte/Quatro Rodas Mais lidas NotíciasNotíciasRenault lança aluguel de carro por assinatura mais barato do Brasil NotíciasNotíciasNovo Honda HR-V está confirmado para fevereiro; Brasil verá SUV mais tarde NotíciasNotíciasGAC, Geely, Changan e GWM: quem são as interessadas nas fábricas da Ford? NotíciasNotíciasComo Stellantis pode mudar carros Peugeot, Citroën, Fiat e Jeep no Brasil Continua após a publicidade View the full article
  19. Por fora, apenas rodas menores identificam versão de entradaDivulgação/PorscheA Porsche revelou uma nova versão “básica” do Taycan. A quarta variante do modelo elétrico não tem sobrenome e se junta aos Taycan 4S, Turbo e Turbo S. A principal diferença está em ter apenas um motor elétrico, instalado na traseira, mas tem dois níveis de potência – cada um com suas vantagens e desvantagens. Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 7,90 Assim, o novo modelo mais simples tem sempre tração traseira, enquanto os demais, com motor também no eixo dianteiro têm tração integral. A opção mais em conta tem também bateria menor e 326 cv. Como opcional, o Taycan básico pode receber o pacote Performance Plus, que eleva a autonomia e a potência para 380 cv. <span class="hidden">–</span>Divulgação/PorscheSem o pacote, a versão com 326 cv pode rodar até 431 km por recarga. A mais forte, de 380 cv, chega aos 484 km de autonomia máxima. Curiosamente, o desempenho é igual para as duas configurações, a despeito da diferença de potência. O Porsche Taycan acelera de 0 a 100 km/h em 5,4 segundos e chega aos 230 km/h de velocidade máxima. Há ainda uma função overboost, que eleva a potência para 408 cv ou 476 cv dependendo da variante. Ela é acionada pelo controle de largada ou quando o motorista pisa até o fundo no acelerador. O câmbio mantém as duas marchas dos demais modelos mais potentes. Continua após a publicidade <span class="hidden">–</span>Divulgação/PorscheSegundo a marca, as duas variantes da versão básica podem ser carregadas de 5% a 80% em 22,5 minutos plugado a um carregador de alta velocidade. O mais simples dos Taycan pode ser recarregado a até 225 kW e a Performance Plus a até 270 kW. Relacionadas NotíciasPorsche Taycan entre em pré-venda no Brasil e é mais barato do que parece31 jul 2020 - 14h07 TestesImpressões: Porsche Taycan prova que dá para ser divertido e ecológico25 nov 2019 - 07h11 NotíciasVídeo: aceleramos o Porsche Taycan, o novo esportivo elétrico de 761 cv24 out 2019 - 12h10 Por fora, as diferenças visuais estão nas rodas, menores, de 19 polegadas. As pinças de freio são pretas, mas podem ser coloridas opcionalmente. O restante é igual ao Taycan 4S. Difusores traseiro e laterais são também pretos, e há lanternas traseiras de LED, com o característico filete atravessando a traseira. Os faróis também são de LED. <span class="hidden">–</span>Divulgação/PorscheA cabine é mais simples, com bancos apenas parcialmente de couro. No entanto, há ajustes elétricos para motorista e passageiro. Segundo a Porsche, o Taycan leva 407 litros de bagagem no porta-malas traseiro e 84 litros no dianteiro. Como opcional, o Taycan também pode receber suspensão a ar inteligente. O sistema pode aprender onde o motorista costuma levantar sua altura frequente, em saídas de garagens ou lombadas. <span class="hidden">–</span>Divulgação/PorscheA versão já pode ser encomendada no Brasil a partir ainda de janeiro. Os preços partem de R$ 589.000 para a variante com 326 cv. Segundo a Porsche, o valor inclui a instalação de um carregador na casa do comprador. Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital. <span class="hidden">–</span>arte/Quatro Rodas Mais lidas NotíciasNotíciasRenault lança aluguel de carro por assinatura mais barato do Brasil NotíciasNotíciasNovo Honda HR-V está confirmado para fevereiro; Brasil verá SUV mais tarde NotíciasNotíciasGAC, Geely, Changan e GWM: quem são as interessadas nas fábricas da Ford? NotíciasNotíciasComo Stellantis pode mudar carros Peugeot, Citroën, Fiat e Jeep no Brasil Continua após a publicidade View the full article
  20. Saveiro Trio Goiano Taramps MD5000.1, MD 8000.1 Deboxe Cuiabá https://www.taramps.com.br/ Clique no link para se INSCREVER! ►►► http://bit.ly/SeInscrevaCanalTaramps Se gostou, não esqueça de clicar em GOSTEI! E não deixe de COMPARTILHAR este vídeo! Contato Suporte Técnico: Suporte Linha de Áudio: 18 3266 4050 WhatsApp: 18 99748 7039 E-mail: suportetecnico@taramps.com.br NOSSAS REDES SOCIAIS: FACEBOOK - https://www.facebook.com/TarampsOficial/ INSTAGRAM - https://www.instagram.com/tarampsgroup/ #TarampsOfficial #ModuloTaramps View the full article
  21. visit: http://www.stevemeadedesigns.com https://www.youtube.com/channel/UCAn7KfxuoxUur8dP-lFCjdA/join View the full article
  22. Estou com o mesmo problema.. Multimidia Pioneer, modulo sd800.4 evo4 e kit 2 vias audiophonic k6.3. Fica um chiado chato nos tw e ja fiz todo tipo de teste que encontrei na net. Passei outro rca (rca de qualidade), aumentei bateria, cabeamento ok, cabos passando longe um do outro, atenuei o cross a -3, passei positivo e negativo pro player direto da bateria, aterramento de rca (por incrivel que pareça, piorou o ruido), e nada tira o ruido. Sem nada tocando, volume no 0, quanto mais aumento o ganho do amp, maior o ruido. Hoje estou usando com o ganho nos 10% pro 2 vias pra nao incomodar tanto (Y).
  23. Honda Fit: mais um daqueles que não tem quase nada pra fazer. Revisão básica de fluidos e filtros, verificação de freio, suspensão, injeção. @autosom.net.br pregado não vidro. #spportcarbrautomotive #scbrautomotive #revisaohonda #mecanicahonda #hondafit #fitfam View the full article
  24. Cria da casa, Corolla GLI ( transporte executivo @hkm_transporte_executivo ) nas Eibach e TSW 19” #spportcarbrautomotive #scbrautomotive #toyotacorolla #corollagli #corolla2018 View the full article
  25. Phoenix Gold announced an all-new line of GX amplifiers and subwoofers with more power and larger form factors than its current MX line. The new line also offers more sophisticated installation features such as proprietary plugs on the amplifiers for easy removal and installation. Also, the amplifier line now goes up to 6 channels. Where […] The post Phoenix Gold Intros New Line of Amps, Subs appeared first on ceoutlook.com. View the full article
  26. Press Release: Irvine, CA -Elettromedia-USA is proud to announce our Rep of the Year awards for our rep firms as well as individual rep awards. Rob Wempe, Vice President of Elettromedia-USA said, “We would like to thank our entire sales team for the hard work and dedication to deliver the best year in our company’s […] The post Elettromedia Names Reps of the Year appeared first on ceoutlook.com. View the full article
  27. Press Release (UNEDITED): SEATTLE– – AudioControl (audiocontrol.com) has introduced the ACX-BT1, an ultra-simple, high-performance Bluetooth adapter, providing Bluetooth connectivity to any sound system with RCA or AUX audio inputs. The ACX-BT1 is also ideal for all-weather applications, making it perfect for marine and motorsports entertainment systems. The AudioControl ACX-BT1 is the ultimate solution for […] The post AudioControl Intros Weather Resistant Bluetooth Adapter appeared first on ceoutlook.com. View the full article
  1. Load more activity

AutoForum.com.br

O fórum para os maniacos por som automotivo e automóveis

×
×
  • Create New...