Ir para conteúdo






  • Novo Tópico
  • Responder

Amplificador de alta voltagem com ponte retificadora direto na rede pú Amplificador de alta voltagem na rede pública com ponte retificadora

89 respostas neste tópico

#1
dsamaz

dsamaz

    novato

  • Membro
  • Posts: 10
  • Cadastrado: 04/06/2012
  • Cidade/UF:São Paulo
Colegas, tive um ideia boa, para funcionar os amplificadores atuais de alta voltagem diretamente na rede elétrica, ou em geradores...

Será que funcionaria?

Lógica...
1. A tensão, mais adequada, para funcionamento de alguns amplificadores HighVoltagem (alta voltagem), cuja corrente deve ser contínua, está na faixa de 140V a 280V.

2. Na rede elétrica, e com geradores, temos potência a vontade, na faixa de tensão de 110-120V ou 220-240V, cuja corrente é ALTERNADA.

3. Com algumas pontes retificadoras, poderíamos converter, com perdas teóricas mínimas (1,2v), a corrente de alternada para contínua – ou seja, teríamos como alimentar alguns amplificadores, quase que diretamente, na rede elétrica ou em geradores, sem precisar do banco de 10 a 20 baterias.

4. Na verdade, até capacitores seriam dispensáveis, visto que o banco capacitivo destes amplificadores são de pequena carga. Até para filtrar, talvez não seja obrigatório capacitor.

5. Mesmo que seja necessário capacitores, pelo o menos para estabilizar a tensão, e evitar picos, antes da ponte retificadora, em ferro velho se consegue os modelos de ar-condicionado, que são ótimos e baratos.

6. Não venham dizer que as ondas elétricas, após a ponte retificadora são “pulsantes”, e que não funcionariam. Temos dois SD 16K, que está a uns 3 anos sendo estabilizado por duas baterias, com alimentação direta por dois carregadores, sendo estes dois aparelhos compostos de apenas dois elementos: trafo 120 x 18v e ponte retificadoras. Nada mais! Ou seja, eles funcionam perfeitamente com ondas pulsantes. Mesmo que os aparelhos de AltaVoltagem não venham a operadar com estas ondas, instalando alguns capacitores de 250 ou 350v bi-polares resolveria este problema.

O amplificador ideal para prática desta ideia

1. A fonte de energia disponível está, ou nas tensões de 110v-120v ou 220-240v, logo, necessita-se que o amplificador tenha sua demanda de maior potência, o mais próximo possível desta faixa, porém, nunca menos. A demanda máxima de tensão do amplificador não deve ficar abaixo da tensão disponível. Por exemplo, o Stetsom HV S25k demanda 170v, logo, 220v é muito e inoperante (pode queimar); e 120v é pouco, resultando numa operação ruim (pouca potência). E não tem-se como alterar a tensão de forma fácil e descomplicada, sem o uso de gigantes transformadores.

2. O ideal para testes seria o Taramps 10k Alta Voltagem, que pena a Taramps ter um passado de mentiras nos valores das suas potências. É o ideal por vários motivos: 1. Menor preço (apesar de entregar um péssimo benefício); 2. A tensão máxima é 140V, e teria ótimo desempenho em 127V. Outro ponto negativo, seria chegar a impedância dos alto-falantes em 0,5ohm.

3. Outro ideal seria o Stetsom S35, visto que tem seu pico de tensão em 250V, se não me engano, o preço não é tão caro quanto os SD, é dá (ou pelo o menos deveria dar) esta potência em 1ohm. Pena que a Stetsom andou mentindo também nas potências, embora “mentisse” menos que a Taramps. Se é que pode-se graduar a mentira, em pouca, muita, ou demais... Mentira é mentira!

A ponte retificadora
1. Para converter a corrente da rede pública 120V para contínua, bastaria umas 3 ou 4 pontes retificadoras, um bom dissipador, com ventilação.

2. Um probleminha pequeno teríamos para passar de 240v alternada, da rede pública, para contínua, visto que as pontes “genéricas” são apenas monofásicas. Teríamos, então duas opções:
2.1 Antes da ponte, transformar de 120V para 240V com aqueles transformadores, “trafos” (onde poderíamos ter aqui uma fonte de problemas futuros, visto que estes transformadores são caros, pesados, esquentam e, os baratos não suportam muita corrente)
2.2 Utilizar diretamente duas fases, ligadas às pontes bifásicas, mas estas são raras, e caras. É mais fácil encontrar as pontes trifásicas, que as bifásicas.
2.3 Aparentemente tem como transformar pontes monofásicas (singles) em bifásicas, sendo esta uma operação simples, porém, esta operação carece de testes...

Uma dúvida sobre isto é... se é tão simples, por que ainda não fizeram isto??? É aquela estória, quando a esmola é demais, o santo desconfia... Deve ter algum problema insanável nesta teoria.


--------------------

Fica outra dúvida, para os colegas ajudarem... As potências Taramps melhoraram de alguns anos para cá? Será que a Taramps mente na potência da T10kw de alta voltagem? Pergunto isto, pois a tensão de saída seria a mesma de entrada, logo mais difícil de mentir neste aspecto. Agora, ela pode estar “sacaneando” na corrente, assim como adota a medição numa impedância baixíssima...

Pelo sim, pelo não, considerando logo a medição da potência numa impedância baixíssima (0,5ohm), considero a Taramps por inadequada...
É uma pena, pois a T10kw desta marca seria a força ideal para testar esta ideia, por podemos utilizar apenas ponte retificadora em 120v, sem transformadores, para funcionar ela....


#2
artsompb

artsompb

    Sqtrio user, D.I.Y

  • Membro Moderador
  • Posts: 6399
  • Cadastrado: 26/05/2009
  • Cidade/UF:Longe bagarai
Cara eu acho que o valor para se conseguir essa ligação vai ter alto custo ,pois pelo contrario com certeza ja teriam lançado amps ou até mesmo um conversor pronto para isso devido ao alto valor dos amps profissionais de mesma potencia.


#3
Kleberlpa

Kleberlpa

    Quenga réia sem dignidade

  • Membro
  • Posts: 36372
  • Age: 32
  • Cadastrado: 28/02/2004
  • Cidade/UF:Brasília

Visualizar Postdsamaz, em 04 junho 2012 - 12:49 , disse:

Uma dúvida sobre isto é... se é tão simples, por que ainda não fizeram isto???

Não fizeram pq graças a Deus os estaladores tem medo de corrente alternada.

Vc tem noção do perigo REAL de um circuito sem isolação galvânica da rede? Significa MORTE. É absurdo isto!

Além disto, sim, existem amplificadores da Studio R que usam a tensão da rede direto. MAS os caras são conscientes e usam apenas um trafo isolador pra não matar ninguém.


#4
djchu

djchu

    membro master

  • Membro
  • Posts: 502
  • Age: 39
  • Cadastrado: 19/05/2007
  • Cidade/UF:Sumaré - SP
Olha, o primeiro problema é o isolamento da rede elétrica com relação ao resto do sistema que está ligado no amplificador. Apenas diodos não isolam o sistema, nesse caso sempre existirá a componente reativa da rede circulando. Isso demandaria mais pesquisas, mas seria mais ou menos isso.
A rede de 127VAC retificada e filtrada daria em torno de 180VDC e a rede 220VAC daria uns 300VDC, então seu ponto de vista está equivocado com relação de que a rede 127VAC não seria suficiente para alimentar um amp com entrada de 170VDC.
Existem soluções para usar trafos sem isolação (studio r) mas eu ainda prefiro um sistema isolado da rede, garante que seu mundo não sofrerá interferência do mundo exterior.


#5
LucasGYN

LucasGYN

    veterano

  • Membro
  • Posts: 2630
  • Age: 22
  • Cadastrado: 04/12/2010
  • Cidade/UF:Goiânia/GO
Para transformar corrente alternada em corrente contínua não basta retificar, é preciso retificar e filtrar a onda com os capacitores certos (muita capacitância por sinal!).

Outro detalhe é que uma tensão de 220V retificada ficará com a tensão em torno de 310V (multiplique a tensão inicial por raiz quadrada de 2) e eu não conheço amplificadores que operem nessa faixa de tensão. Se a tensão da rede fosse de 110V seria até possível pois depois que a onda fosse retificada e filtrada a tensão seria em torno de 155V, que é uma tensão aceita para alguns amplificadores. Mas e o risco de se trabalhar com isso? Imagine trabalhar com potências na ordem de 30kW em tensões acima de 100V. O risco de morte é enorme caso algo dê errado.

Esqueça essa ideia e compre um amplificador profissional com entrada 110V/220V. Fora a qualidade muitas vezes superior à um amplificador automotivo nacional, são muito seguros.

Editado por LucasGYN, 04 junho 2012 - 13:55 .


#6
dsamaz

dsamaz

    novato

  • Membro
  • Posts: 10
  • Cadastrado: 04/06/2012
  • Cidade/UF:São Paulo
Colegas,

Algumas das questões levantadas:
1. Filtragem
A questão da filtragem realmente multiplicaria a tensão de saída por 1,4, ou seja, de 120v, iria para 180v, e de 220, teríamos mais de 300v.
A filtragem é inviável, devido aos altíssimos valores de corrente que teríamos... Seriam necessários muitíssimos capacitores.
Minha idéia é montar o sistema sem pós-filtragem via capacitor, portanto, também sem alteração dos valores.
Ressalto que tenho 2 (dois) SD 16k, inclusive, que comprei com o Fábio (*****). Eles estão funcionando há uns 3 anos com ondas pulsantes, sem filtragem pós-ponte retificadora. E a gente liga esses amps. em altíssimo e bom som, quase todos os dias aqui, faça sol ou chuva he he...


Encontrei esta resposta na net... Aparentemente, se colocar duas fases (220v) numa ponte retificadora simples (110v em cada borne), sem filtragem, teríamos uma onda não-pulsante, muito próxima da contínua-perfeita, na mesma tensão 220v...

http://br.answers.ya...20071041AA2uz1d
Rspondi primeiro a sua outra pergunta mas agora eu entendi.
Olha, a rede eletrica em que você esta retificando é composto por tres fases e um Neutro, est eneutro é aterrado, a diferença angular entre uma fase e outra é de 120º, por isso quando você divide os 220V pela raiz quadrada de três ( 1,73) então você tem a tensão de 127V.
Na retificação com ponte, você tem um sinal de onda completa, conservando assim toda a tensão da fonte, quando retificou a onda completa de 220V então você tem 220Vcc.
Quando você esta medindo em relação ao terra, é o mesmo que medir em relaçõa ao neutro, por isso você tera a tensão de 127V, esta tensão também esta em onda completa, mas neste caso você só esta usando 2 dos 4 diodos da ponte, no caso são os dois diodos dos respectivos polos em que você esta medindo.
Este tipo de ligação caracteriza um retificador de onda completa chamado Center Tape, é como se colocassemos duas bobinas com um diodo em cada fase e um comum ligado ao neutro.
Digite Center tape no Google e você vera um esquema que podera facilitar a vizualização do circuito.
Ja nas baterias isso não acontece, voce tem um circuito constituidos de apenas dois polos, e nenhuma referencia, mas é possível fazer isso associando duas baterias em série, o sentro desta ligação seria seu potencial ero, e os extremos os potenciais negativos e positivos, ao se medir em relação aos extremos voce teria por exemplo 24V, e quando medisse em relação ao centro teria 12V, este esquema de ligação se chama simétria, se for uma fonte retificadora teremos uma fonte simétrica.
Espero ter te ajudado.


2. Outro problema seria a segurança geral das conexões
Oras, não digam que 20 baterias, ligadas em série, sem proteção nenhuma nos seus bornes, são ou não são mais perigosas que ligar este sistema que propus, direto na rede ou num gerador?
Também, ninguém é louco de sair encostando o dedo nos terminais vivos, sem isolamento, sem desligar disjuntores.

3. Outra questão, seria o isolamento da rede.
Realmente, este é apenas um quesito de segurança... Dispensável em testes, no desenvolver desta ideia.
A médio e longo prazo, com certeza a ligação direta à rede é maléfica, devido aos ruídos.
Para resolver este problema, precisaríamos de trafos fortes, portanto caros.

No final da semana, terei condições de testar algumas pontes retificadoras, ligando-as em 220v, em duas fases da rede, e atestar os resultados.

Obrigado


#7
LucasGYN

LucasGYN

    veterano

  • Membro
  • Posts: 2630
  • Age: 22
  • Cadastrado: 04/12/2010
  • Cidade/UF:Goiânia/GO
Cara, não é a filtro que faz a tensão subir, e sim o próprio retificador. Na saída do retificador você já tem a tensão vezes raiz de 2.

Outra coisa, esses SD16k que você diz que usa provavelmente estão ligados nas baterias e o circuito retificado carrega as baterias, é isso?


#8
djchu

djchu

    membro master

  • Membro
  • Posts: 502
  • Age: 39
  • Cadastrado: 19/05/2007
  • Cidade/UF:Sumaré - SP
Eu não sei quem respondeu que retificar 220Vca em onda completa vai dar 220Vcc, vai dar pouco mais de 300Vcc pulsante sem filtro nenhum (ideal seria uma imagem de osciloscópio para mostrar).

No caso dos SD16k, se tiver bateria ligado em paralelo, são elas que fazem a função de filtro, assim como nos carros e motos.

Outra coisa que você não entendeu é que o isolamento não serve somente para o amp, mas para o resto do circuito.

Se você quer tanto ligar os amps dessa maneira, ninguém pode te impedir, mas todo mundo aqui desaconselha fortemente. Se isso fosse seguro, todo mundo o faria. :legal:


#9
dsamaz

dsamaz

    novato

  • Membro
  • Posts: 10
  • Cadastrado: 04/06/2012
  • Cidade/UF:São Paulo
Colegas,

Sobre a tensão pós ponte retificadora, como vocês obtém este resultado, multiplicado por 1,4? Qual aparelho?
Lembro vagamente que,  no passado, ao medir, com multímetro simples, a saída pós transformador, dava 18v. E pós ponte, 17v.
No final de semana, terei estes resultados anotados.

No sistema que está os SD16k, as duas baterias servem apenas como estabilizador da tensão, levando a mesma para a casa dos 13v - 14v, e acredito que a tensão segue direto, em ondas pulsantes, dos transformadores direto para os amplificadores, ainda mais considerando que a capacidade dos mesmos (mais de 150Ah), estrapolam a capacidade de retenção e transformação das baterias, que por sinal, já estão velhas.

De qualquer forma, sobre a minha ideia, já tenho um plano B... Tenho várias baterias velhas de 60Ah (20 unidades = 250v), que dariam para servir de banco, ligando-as em série, pondo assim o amplificador alta voltagem para funcionar.

Então, um aparelho assim: (trafo normal - não muito forte - de 120v para 240v ligado diretamente em algumas pontes retificadoras), poderia servir de carregador do banco de baterias, propiciando, inclusive, o tão sonhado isolamento da rede. O trafo 120x240v serviria também para "segurar" a força da rede (regular a corrente), afim de não estourar as baterias com excesso de carga.
Só que, o que não se quer, neste planejamento, é justamente utilizar mais baterias!

-------------

Sobre a proposta inicial, como será que seria o tratamento para a questão do excesso de carga sobre os amplificadores, será que reagiria igual às baterias? Será que eles não "estourariam" com excesso de corrente, igual as baterias?

Digo isso porque, se ligarmos a rede 240v direto, com ponte retificadora, sobre 9 ou 10 baterias, elas padeceriam com excesso de corrente, subindo a tensão. Com certeza isto levaria a uma m* sem tamanho, visto a bateria receber carga infinitamente (lógico que vai estourar ou secar)....
Agora, será que o mesmo não ocorreria com o amplificador????


Obrigado pela paciência dos senhores

Editado por dsamaz, 04 junho 2012 - 18:14 .


#10
LucasGYN

LucasGYN

    veterano

  • Membro
  • Posts: 2630
  • Age: 22
  • Cadastrado: 04/12/2010
  • Cidade/UF:Goiânia/GO
As SD16k só funcionavam por causa das baterias que funcionavam como filtro. Não teria como funcionar sem algum tipo de filtro (bateria, capacitor...). É exatamente o que acontece no carro, onde o alternador gera corrente alternada e um retificador retifica a a onda. Lá não existe capacitores para realizar a filtragem, e é a bateria que faz esse papel, caso contrário, os equipamentos eletrônicos do carro não funcionariam adequadamente.

Para ver que a tensão aumenta depois que a onda é retificada é só ter um osciloscópio e acompanhar as formas de onda antes e depois do retificador.


#11
EliasSoares

EliasSoares

    Elias Soares

  • Membro
  • Posts: 1525
  • Age: 24
  • Cadastrado: 12/10/2007
  • Cidade/UF:Fortaleza CE
Amigo, na boa, vá estudar eletronica.


#12
dsamaz

dsamaz

    novato

  • Membro
  • Posts: 10
  • Cadastrado: 04/06/2012
  • Cidade/UF:São Paulo
Tudo bem Lucas?

Imagine um sistema assim:
1. um carregador (trafo + ponte retificadora), que gera ondas pulsantes
2. uma bateria totalmente carregada (14,4v, com carregador ligado)
3. uma bateria TOTALMENTE descarregada (ddp alta comparada ao carregador), recebendo carga direta do carregador e um pouco da outra bateria
Neste sistema, o carregador abastece diretamente, com ondas pulsantes, a bateria totalmente descarregada.


Na mesma lógia, o carregador enviaria sua força, pulsante, diretamente ao amplificador, imagine este outro sistema operante:
1. um carregador pulsante
2. uma bateria totalmente carregada (14,4v)
3. um amplificador funcionando forte

Ao descarregar seus capacitores, o amplificador ficaria com ddp extremamente alto, tendendo a zero, assemelhando-se a uma bateria totalmente descarregada, tomando toda a potência que precisa, em modo paralelo, tanto da bateria, quanto diretamente do amplificador.

O carregador manda energia a quem oferecer menor resistência. Entre seus dois consumidores, a bateria e amplificador, este último, o amp. teria esta resistência menor.

Veja quando o amplificador tem seus capacitores totalmente descarregados (0v), após alguns minutos totalmente desconectado da bateria e do carregador. Ao ligar novamente este amplificador, no sistema composto por bateria totalmente carregada (14,4v) + carregador operante, ocorre que este aparelho "suga" toda a energia que necessita, tando diretamente do carregador (ondas pulsantes) quanto da bateria, que faria papel meramente de estabilizadora da tensão, suprindo, somente quando o carregador não consegue fornecer.

Logo, as forças Soundigital digitais funcionam, perfeitamente, com ondas pulsantes ou contínua. Assim deve ser o Alta Voltagem.


"É exatamente o que acontece no carro, onde o alternador gera corrente alternada e um retificador retifica a a onda. Lá não existe capacitores para realizar a filtragem, e é a bateria que faz esse papel, caso contrário, os equipamentos eletrônicos do carro não funcionariam adequadamente."

Tocando no assunto do carro, que você abordou, esta é uma prova que os aparelhos funcionam com ondas pulsantes.
Faça o teste rapidinho no seu carro: ligue o motor, o aparelho de som (volume baixo) e solte o borne negativo da bateria. Perceba que tudo continua funcionando perfeitamente com ondas pulsantes...

Falando em Soundigital, realmente estes amps. são ótimos. Estão de parabéns. Excelente resistência... Já tenho faz uns três anos, e estão operantes como novos. Fortes e fantásticos...

Daniel

Visualizar PostLucasGYN, em 04 junho 2012 - 18:18 , disse:

As SD16k só funcionavam por causa das baterias que funcionavam como filtro. Não teria como funcionar sem algum tipo de filtro (bateria, capacitor...). É exatamente o que acontece no carro, onde o alternador gera corrente alternada e um retificador retifica a a onda. Lá não existe capacitores para realizar a filtragem, e é a bateria que faz esse papel, caso contrário, os equipamentos eletrônicos do carro não funcionariam adequadamente.

Para ver que a tensão aumenta depois que a onda é retificada é só ter um osciloscópio e acompanhar as formas de onda antes e depois do retificador.


#13
djchu

djchu

    membro master

  • Membro
  • Posts: 502
  • Age: 39
  • Cadastrado: 19/05/2007
  • Cidade/UF:Sumaré - SP
Amigo, primeiro: seu conceito de ddp está errado. ddp = diferença de potencial = força eletro motriz = tensão. Se a bateria está descarregada, a tensão está baixa, então a ddp também está baixa. Um bom livro de eletricidade básica explica bem esses termos.

Os equipamentos do carro funcionam por um tempo com CC pulsante pois todos eles tem filtros e reguladores na entrada para evitar problemas, tipo bateria ruim. Mas se manter por muito tempo assim, os capacitores dos equipamentos serão os primeiros a explodirem, depois o resto.


#14
Rapha_4_bass

Rapha_4_bass

    Membro Duro

  • Membro
  • Posts: 13947
  • Age: 32
  • Cadastrado: 13/02/2004
  • Cidade/UF:Rio de Janeiro

Visualizar PostKleberlpa, em 04 junho 2012 - 13:21 , disse:

Não fizeram pq graças a Deus os estaladores tem medo de corrente alternada.

Vc tem noção do perigo REAL de um circuito sem isolação galvânica da rede? Significa MORTE. É absurdo isto!

Além disto, sim, existem amplificadores da Studio R que usam a tensão da rede direto. MAS os caras são conscientes e usam apenas um trafo isolador pra não matar ninguém.

Estamos falando da Studio R né kleber? é a uma das poucas empresas nacionais que possuem know-how em excelencia!


#15
Kleberlpa

Kleberlpa

    Quenga réia sem dignidade

  • Membro
  • Posts: 36372
  • Age: 32
  • Cadastrado: 28/02/2004
  • Cidade/UF:Brasília

Visualizar Postdsamaz, em 05 junho 2012 - 11:30 , disse:

Tocando no assunto do carro, que você abordou, esta é uma prova que os aparelhos funcionam com ondas pulsantes.
Faça o teste rapidinho no seu carro: ligue o motor, o aparelho de som (volume baixo) e solte o borne negativo da bateria. Perceba que tudo continua funcionando perfeitamente com ondas pulsantes..

Nenhum equipamento no carro é feito para trabalhar com ondas pulsantes. Alguns operam por conta de seu banco capacitivo, mas nennhuma fonte é feita para isto, até porquê a maioria não tem sequer 2000uF na entrada.

Além disto, um alternador não insere uma tensão pulsante na entrada, pois é um gerador trifásico, ou seja, temos fases com 120 graus entre elas. Um DÍNAMO sim é pulsado. O que temos resultante aí é um sinal com ripple, mas não pulsado. Se fosse assim, teríamos um ripple ALTÍSSIMO variando entre 12 e 14,4V (2 volts de ripple é inaceitável) com frequência variando com a rotação do motor. Isto literalmente impede o funcionamento de todos os circuitos do carro.

Imaginem os relês "batendo" A 16Hz com o motor na marcha lenta?

As luzes piscando a 16Hz?

Não existe sinal pulsante na saída do alternador não. Nem mesmo sem bateria.


#16
EliasSoares

EliasSoares

    Elias Soares

  • Membro
  • Posts: 1525
  • Age: 24
  • Cadastrado: 12/10/2007
  • Cidade/UF:Fortaleza CE
Amigo, repito, va estudar eletronica.

Se você joga um sinal pulsante na entrada do amplificador (de alta tensão principalmente, pois pelo que entendo ele não possui regulação na entrada), a primeira coisa é que você vai ter o sinal de saida modulado em cima da frequencia de pulsação. Ou seja, terá um belo ruido de 120 hz (no caso de uma ponte completa), isso SE o amplificador funcionar.

O seu sd16k so funciona porque a bateria amortece o ripple, pois uma bateria nada mais é do que um grande capacitor. Grande e lento.

Fora o fator da isolação da rede eletrica. Uma coisa é um sistema de alta-tensão que so vai te dar choque caso encoste no negativo e no positivo. Outra coisa é um sistema de alta voltagem ligado a rede, que vai te dar choque encostando em apenas um borne, seja positivo ou negativo, na entrada ou na saida do amplifcador, inclusive na carcaça de um cd player.


#17
Gledson Borba

Gledson Borba

    Mininu SD

  • Membro Pró
  • Posts: 10885
  • Age: 29
  • Cadastrado: 08/11/2011
  • Cidade/UF:Itajaí / SC
acho que se fosse simples assim ja o teriam feito, não?


#18
Lucas Rossi

Lucas Rossi

    veterano

  • Membro
  • Posts: 6356
  • Cadastrado: 16/02/2010
  • Cidade/UF:Santo André - SP

Visualizar PostEliasSoares, em 05 junho 2012 - 12:32 , disse:

O seu sd16k so funciona porque a bateria amortece o ripple, pois uma bateria nada mais é do que um grande capacitor. Grande e lento.

Eu ia apenas dizer isso.


#19
Rafael_Brasil_123

Rafael_Brasil_123

    hétero assumido

  • Membro
  • Posts: 5779
  • Age: 21
  • Cadastrado: 07/02/2009
  • Cidade/UF:Pelotas - RS
tenho a impressão q ja existe amplificadores 220v.

parece q ja vi alguns em boates/festas...

e me parece tbm, q são muito melhores do que amplificadores automotivos. :legal:


#20
blOom

blOom

    Em busca do SQtrio!!!

  • Membro Pró
  • Posts: 20397
  • Age: 31
  • Cadastrado: 22/05/2006
  • Cidade/UF:Aracaju/SE

Visualizar PostRafael_Brasil_123, em 05 junho 2012 - 13:46 , disse:

tenho a impressão q ja existe amplificadores 220v.

parece q ja vi alguns em boates/festas...

e me parece tbm, q são muito melhores do que amplificadores automotivos. :legal:

Já existe?
kkkkkkkkkkk

Existem a mais de 30 anos! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


EDIT:

Vou aproveitar e dar meu pitaco!

Com a grana de um amp de 5kwrms 220v, vc compra facin um SD 35k, um banco de baterias e fontes suficientes pra deixa-las sempre carregadas!


INclusive, à depender do caso, eu investiria nisso! Uma fonte confiável, uma bateria estacionária ou gel/AGM, um MC se necessário e o amp!

Com o custo de tudo que citei acima, por exemplo, pra manter um SD8k... em amps de PA vc compra no maximo um de 3kwrms!

Exemplificando...

com a grana de um desses:

http://produto.merca...usica-loja--_JM

Com pouco mais vc compra:

http://produto.merca...5k-25000rms-_JM

Mais uma fonte 24v e umas 4 baterias AGM de 170ah!

sao 2.500wrms do Studio R versus 25kwrms do SD! rs

Editado por blOom, 05 junho 2012 - 15:38 .


#21
((thytoin.))

((thytoin.))

    membro advanced =P

  • Membro
  • Posts: 5596
  • Age: 29
  • Cadastrado: 15/05/2010
  • Cidade/UF:washington DC

Visualizar PostEliasSoares, em 05 junho 2012 - 08:30 , disse:

Amigo, na boa, vá estudar eletronica.

:+1

e mais..

use amplificadores profissionais..


#22
Kleberlpa

Kleberlpa

    Quenga réia sem dignidade

  • Membro
  • Posts: 36372
  • Age: 32
  • Cadastrado: 28/02/2004
  • Cidade/UF:Brasília

Visualizar PostblOom, em 05 junho 2012 - 15:31 , disse:



Já existe?
kkkkkkkkkkk

Existem a mais de 30 anos! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


EDIT:

Vou aproveitar e dar meu pitaco!

Com a grana de um amp de 5kwrms 220v, vc compra facin um SD 35k, um banco de baterias e fontes suficientes pra deixa-las sempre carregadas!


INclusive, à depender do caso, eu investiria nisso! Uma fonte confiável, uma bateria estacionária ou gel/AGM, um MC se necessário e o amp!

Com o custo de tudo que citei acima, por exemplo, pra manter um SD8k... em amps de PA vc compra no maximo um de 3kwrms!

Exemplificando...

com a grana de um desses:

http://produto.merca...usica-loja--_JM

Com pouco mais vc compra:

http://produto.merca...5k-25000rms-_JM

Mais uma fonte 24v e umas 4 baterias AGM de 170ah!

sao 2.500wrms do Studio R versus 25kwrms do SD! rs

De fato. A diferença é que o StudioR toca dias seguidos com rede elétrica sobrecarregada, aguenta porrada, cabe em rack e pesa bem menos que fonte + amp auto + baterias.

Essa questão de peso é complicada, mas pra quem não depende de transporte é até contornável.


#23
dsamaz

dsamaz

    novato

  • Membro
  • Posts: 10
  • Cadastrado: 04/06/2012
  • Cidade/UF:São Paulo
Fiz uns testes simples hoje com uma ponte retificadora e os restos de um no-break.


Esta foto indica a medição em corrente contínua, após a ponte retificadora:
http://www.mmamanaus.com/tmp/2616.jpg


Esta foto mostra a corrente alternada, após a ponte retificadora (ela marca 236 pq é o dobro, ela considera o negativo e soma com o positivo, como se fosse alternada, comprovando, mais uma vez que a corrente correta é a metade deste valor):
http://www.mmamanaus.com/tmp/2617.jpg

Por fim, o valor da corrente alternada na entrada direto da rede:
http://www.mmamanaus.com/tmp/2621.jpg

Agora, não entendo por que tanto insistem que não se pode ligar, um amplificador de alta voltagem, direto à saída retificada, já que mede 108v....

Amanhã ou depois vou meter a coitada da ponte retificadora simples direto numa ligação bi-fásica (120v + 120v) para ver o que acontece... he he. Será que ela vai retificar a onda completa, como dizem? Ou vai conflitar uma fase com a outra e....

Obs: os fios brancos e pretos estão ligados diretamente à rede pública, passando apenas por um fusível velho do no-break...

Caso alguém se interesse, gostaria que colocassem estas fotos neste tópico (não consegui aqui), pois dentro de alguns dias terei que retirá-las do ar...

Obrigado
Daniel


#24
Kleberlpa

Kleberlpa

    Quenga réia sem dignidade

  • Membro
  • Posts: 36372
  • Age: 32
  • Cadastrado: 28/02/2004
  • Cidade/UF:Brasília
É minha gente...

Imagem Postada

Maldita língua a sua, hein Spolenta?


#25
EliasSoares

EliasSoares

    Elias Soares

  • Membro
  • Posts: 1525
  • Age: 24
  • Cadastrado: 12/10/2007
  • Cidade/UF:Fortaleza CE
É amigo, va em frente e seja feliz. Quando queimar seu amplificador, ou matar alguem me avisa.