Ir para conteúdo






  • Novo Tópico
  • Responder

Suspensão a Ar Tópico informativo (sem bate boca ou discuções)

6 respostas neste tópico

#1
Bazilho

Bazilho

    Minitrucker.....

  • Membro
  • Posts: 1407
  • Age: 33
  • Cadastrado: 24/11/2003
  • Cidade:Sao Bernardo do Campo
As suspensões a ar são a mais nova tendência entre os hot rodders e aqui vamos explicar tudo o que você precisar saber sobre elas.

Atualmente, inúmeras mudanças nas suspensões de Hot Rods estão disponíveis no mercado, e a substituição das tradicionais molas de aço por bolsas de ar, geralmente controladas por sofisticados compressores de ar e niveladores automáticos,



conquista cada vez mais adeptos, principalmente nos Estados Unidos.
Talvez por estética, muitas vezes pela facilidade de rebaixar ou levantar a suspensão e até mesmo pela melhora no comportamento dinâmico, as suspensões a ar combinadas com enormes rodas e pneus tornam-se tendências.
Para ir a fundo na questão das suspensões a ar, consultamos os principais especialistas no assunto, incluindo a empresa Air Ride Tecnologies e a Total Cost Involved (esta última especializada em suspensões e chassi). Esses profissionais são os líderes na tecnologia de kits (peças que somente necessitam ser parafusadas ao local adequado) de suspensão a ar na predominante tendência no mundo dos Hot Rods.

O QUE É ISTO?
A suspensão a ar substitui a mola convencional com bolsas de ar similares às que equipam grandes caminhões de 18 rodas ou de grande capacidade de carga. As molas helicoidais são as mais fáceis de serem substituídas com as bolsas de ar, indo direto ao ponto das tradicionais e podendo ser fixadas parafusando o sistema com algumas peças de reposição existentes no mercado.
O design das bolsas de ar estão progredindo ao ponto que as primeiras companhias especializadas, como Air Ride Tecnologies, Total Cost Involved, Air Lift e outras, têm desenvolvido kits para colocação rápida nas mais populares suspensões de carros e picapes. Eles disponibilizam não só para molas helicoidais como também para feixes de molas e barras estabilizadoras especiais.


POR QUE VOCÊ AINDA VAI UTILIZAR UMA?
A suspensão a ar oferece ao menos cinco grandes benefícios:

Possibilidade de controle: a suspensão a ar oferece uma grande possibilidade de alcance do curso da mola e maior capacidade de carga. Acertar um carro na altura, capacidade de carga, conjunto de molas e amortecedores tradicionais na primeira tentativa é praticamente impossível. Somente depois de muitos cálculos e algumas tentativas é que conseguiremos obter um bom resultado, mas a suspensão a ar proporciona muito mais possibilidades e uma precisa seleção.
Reação do conjunto: a maioria das bolsas de ar são progressivas. Quanto mais comprimidas elas forem, mais rígidas serão. Combine essa natural progressividade da bolsa com a facilidade do ajuste do carro e o resultado é um enorme potencial em performance do sistema. Ajustar para as diferentes condições de piso torna-se fácil e rápido. E para uma “tocada” sofisticada, a bolsa de ar deverá ser usada em conjunto com os amortecedores ajustáveis para um melhor alívio e compressão, com uma barra estabilizadora cuidadosamente escolhida.
Customização de performance: cada um de nós tem sua idéia pessoal de como o carro deveria andar e se comportar. Com o sistema de suspensão a ar, esses desejos podem ser favorecidos com uma pequena troca de componente ou nem isso. Com um ajuste da pressão do ar e pressurização do amortecedor, você pode fazer o mesmo carro ser suave e confortável, firme e duro ou qualquer regulagem nesse meio termo. Você pode ainda ajustar o carro para a estrada, firme para as pistas (em um dia de evento) e depois reajustar para ir de volta pra casa com conforto.
Posição: a suspensão a ar torna simples a tarefa de rebaixar o carro para que ele fique com um visual agressivo e, num ponto bem distante, ajuda alguns lowriders a soltar faíscas de seus carros pelo asfalto.
Normalmente o cliente pretende apenas rebaixar seu carro ou picape em uma altura razoável para dar um visual mais agressivo sem sacrificar sua segurança
ou a durabilidade do sistema. A maioria dos kits vêm prontos para uma altura normal de rodagem, com alguns centímetros a menos do que a original. Apesar de o carro estar superbaixo, a suspensão a ar facilita o levantamento do carro para uma condução na altura normal, para que possa entrar nos postos de gasolina, garagens de prédios ou mesmo para colocá-los em uma plataforma ou cegonha.
Capacidade de carga: essa é a aplicação comercial original para a suspensão a ar, ajudando um enorme caminhão de 18 rodas com cargas de toneladas e fornecendo ao motorista um pouco de conforto. Ainda que provavelmente não seja a razão principal para trocar a suspensão de seu Hot Rod, definitivamente é uma solução para fazer sua caminhonete mais confortável sobre variações de uso. Atualmente, alguns dos novos utilitários esportivos estão vindo com suspensão a ar de fábrica.

O DESENHO DAS BOLSAS DE AR
Hoje, a maioria das bolsas de ar é fabricada pela Firestone ou Goodyear, e esse pioneirismo foi usado em caminhões. Três tipos de bolsas de ar estão disponíveis nos seguintes formatos: sanduíche ou barril, cônico e liso. A de formato barril se define por si só, se parece com um grande cheeseburger duplo e geralmente tem maior capacidade de carga, menor curso e maior progressividade Esse equipamento se adapta melhor na suspensão dianteira, onde a bolsa se acomoda praticamente no meio do sistema, comportando toda a carga. Por isso ela tem essa característica, multiplicando a capacidade de carga enquanto melhora a divisão de curso.
Os outros dois modelos são menores em diâmetro, com um longo curso e maior trabalho linear. Eles funcionam melhor se aplicados nas suspensões traseiras, porque têm maior curso e requerem pouca capacidade de carga – se pensarmos em um carro e não em uma picape ou caminhão que vá trabalhar carregando peso.

SUSPENSÃO DIANTEIRA
A recolocação do amortecedor geralmente era feita com a maioria das primeiras gerações de bolsas de ar, porque não havia um espaço dentro do sistema para acomodar o amortecedor e os suportes originais do amortecedor faziam com que sua localização fosse tipicamente pelo centro da mola.
Os kits desenhados para as bolsas de ar convencionais são equipados com suporte de amortecedores realocados e novas bandejas caso seja necessário. Essa á uma solução simples, mas em alguns casos, realocar o amortecedor resulta também em mais espaço para rodas e pneus, especialmente hoje em dia, com a possibilidade de grandes conjuntos. À medida que o sistema de suspensão a ar se desenvolveu, uma instalação de ponta surgiu, desenvolvida e baseada na junção de bolsa de ar e amortecedor juntos, com a bolsa de ar substituindo a mola helicoidal que rodeava o amortecedor. Essa solução tende a ser mais cara, mas oferece a vantagem de fácil instalação, melhor visual e mais espaço para o conjunto roda e pneu.
Por outro lado, dependendo do chassi, esse conjunto pode oferecer menor curso de giro do volante, comparado com o sistema em separado de bolsa e amortecedor. Com esse problema em vista, a solução seria a utilização de bolsas mais estreita para o pleno funcionamento do sistema e prejudicaria a capacidade de carga e altura de rodagem. Sobre essas circunstâncias, se uma qualidade ao rodar é primordial, uma bolsa e amortecedor separados são a melhor opção.

SUSPENSÃO TRASEIRA
Para carros já equipados com molas helicoidais na traseira, a troca por bolsas de ar é direta. Elas vão parafusadas direto na posição das antigas molas e, em alguns casos, é necessário utilizar um suporte de bolsas.
Existem duas opções para os carros com feixes de mola, e a conversão mais simples é remover algumas lâminas de cada feixe e instalar as bolsas entre o diferencial e o chassi. As lâminas restantes são necessárias para posicionar o diferencial em seu devido lugar, e as bolsas de ar ganham a função principal de agüentar a capacidade de carga.
Em um velho carro com o feixe de molas cansado, de pouca durabilidade e função comprometida, o plano (se você puder custear, é claro) é trocá-los por um sistema de suspensão do tipo four-link. Algumas empresas do mercado já oferecem kits de conversão, bastando parafusá-los no lugar dos feixes e soldar os suportes no diferencial. A configuração de soldas universais é oferecida para carros de corrida e também customizados.
Dependendo do espaço físico do chassi e da carroceria, os links superiores do four-link talvez deverão ser triangulados ou paralelos aos links inferiores. Para alguns modelos de chassi, os dois tipos de versões, paralelas e trianguladas, de four-link estão disponíveis. Se puder escolher uma dirigibilidade melhor para as ruas, o carro se adapta melhor com o sistema triangulado; o sistema paralelo geralmente é configurado para um carro de arrancada.

COMPRESSORES
Basicamente, as bolsas de ar podem ser abastecidas usando suplemento de ar externo como nos antigos amortecedores (caso dos Kadetts com suspensão traseira regulável), mas isso obviamente é apenas um dos muitos benefícios desse tipo de suspensão. Toda vez que você acrescenta peso ao veículo sem uma reserva de ar, podendo ser combustível, pessoa ou carga, você tem de conectar uma mangueira.
Percebendo todos os benefícios de ajustes que as bolsas de ar oferecem, realmente precisa-se de um “extra” junto do sistema. Com a suspensão a ar, o ajuste fino de rodagem é acompanhado ou incrementado com pequenas mudanças de pressão de ar. As bolsas têm, relativamente, baixo volume. Sendo assim, torna-se difícil encher ou esvaziar em pequenas quantidades com ar externo para um ajuste fino de rodagem.
Um sistema de suprimento do sistema a ar consiste em pelo menos um compressor, provavelmente um tanque e um simples controle de todo o sistema. É necessário, também, pelo menos um tanque com capacidade de cinco litros mantido por um compressor simples. Por outro lado, se você pretende ter um veículo para subir e descer em dois segundos, será preciso de pelo menos um par de compressores de 150 psi, dois ou mais tanques com capacidade de 20 litros ou mais, grandes válvulas de uso industrial e linhas para alimentação de 3/4 de polegada. Em um sistema de circulação rápida, cada aperto de botão resulta em uma mudança de pressão de ar de 20 psi.

LINHAS DE AR
Comercialmente, as linhas de ar aprovadas pelo Instituto de Pesos e Medidas (IPEM) são de plástico e originalmente desenvolvidas para caminhões, sendo itens de série na maioria dos kits vendidos. As pressões típicas que operam em um sistema como esse abrangem desde 75 até 150 psi, de acordo com cada capacidade do tubo utilizado.
Para um estilo sofisticado e customizado, é possível fabricar um sistema de linhas de aço galvanizado como nos sistemas de freio ou combustível, utilizando um típico sistema de adaptadores e porcas de expansão específica. O trabalho de suspensão requer uma mangueira maleável para que o sistema customizado fique funcionando. Nesse ponto, entra novamente um mecanismo muito semelhante ao do sistema de freio, mas aqui a mangueira trancada deve ter um revestimento em teflon, de melhor rendimento que a mangueira trancada e com revestimento sintético das linhas de freio e combustível.

DUAS VIAS X QUATRO VIAS
Quando as suspensões a ar foram apresentadas aos Hot Rodders no meio da década de 90, o sistema de controle de duas vias era um método simples de encher ou esvaziar a suspensão. Em outras palavras, as duas bolsas de ar de cada suspensão eram montadas juntas, mantendo as coisas simples, necessitando somente de uma válvula de controle por eixo. Entretanto, esse sistema apresentou um problema: durante uma curva, a bolsa de fora (que ficava comprimida) transferia o ar para a de dentro (em que não havia o peso do veículo, aumentando assim o centro de rolagem da carroceria e a inclinação nas curvas).
Algumas vezes, o problema pode ser amenizado em carros mais leves instalando barras estabilizadoras, mas atualmente, em todos os projetos de suspensão a ar, passou-se a utilizar o sistema de quatro vias com linhas e controles individuais para cada bolsa, eliminando, assim, a transferência de ar de uma bolsa para outra e permitindo um controle mais preciso da altura de rodagem do veículo compensando a variação de peso, torção na suspensão ou mudanças no alinhamento.

SISTEMAS DE CONTROLE
Basicamente, os controles manuais de duas ou quatro vias estão disponíveis por valores bem acessíveis. Acertos manuais tipicamente usam válvulas pneumáticas montadas ao painel com relógios de pressão. Um sistema mais sofisticado aproxima-se com menos relógios no painel, utilizando solenóides elétricas controladas por botão ou computador.
Nos últimos três ou quatro anos, foram lançados vários sistemas de controle ativo da altura que regulam automaticamente a pressão para manter a altura correta de rodagem do veículo nas ruas. Esse sistema eletrônico de controle de altura inclui um computador e mais alguns sensores de controle dos solenóides eletrônicos. Ambas as necessidades, de controle de pressão ou de controle de altura, estão disponíveis.

SISTEMAS DE PRESSÃO
No sistema eletrônico, um computador controla a pressão de ar sozinho para regular a posição da bolsa, o que teoricamente coloca a suspensão em posição correta, deixando o veículo na correta altura de rodagem. Quando ocorre alguma chance de mudança na carga da bolsa, presume-se que qualquer transferência de ar vai equalizar na altura de rodagem. Isso pode não ser correto; muitos fatores causam uma mudança de carga: a altura atual pode mudar de acordo com a entrada ou saída de passageiros, bagagem, combustível, veículo parado em um desnível ou mesmo um buraco e até a geometria de uma suspensão errada.
O sistema ativo de pressão pode não funcionar de modo correto em algumas situações, como em  uma curva feita no limite (um desnível na estrada ou qualquer manobra abrupta que pode transferir o peso de um lado para outro do veículo por um período significante). Sob essas condições, o sistema de pressão se ativa, pode trabalhar para esvaziar a bolsa cheia (lado de fora) e encher o lado interno (bolsa vazia) aumentando a inclinação da carroceria e os problemas de estabilidade da mesma maneira que os antigos sistemas.

O sistema LevelPro inclui também a possibilidade de programar três tipos de altura em seu computador: nível baixo (para apresentações), normal (para passeio ou corrida) e alto (para transpor obstáculos, como lombadas). Com um simples toque de botão, o carro pode baixar ou subir no nível preestabelecido e ainda manter cada nível, mesmo com mudanças de combustível, passageiros ou cargas.
SISTEMA BASEADO EM ALTURA DE RODAGEM
Baseado em altura de rodagem, este sistema utiliza sensores separados, fazendo diretamente a leitura da atual posição da suspensão do veículo, dessa maneira eliminando várias hipóteses feitas em um sistema baseado apenas na pressão, porque agora uma informação precisa da distância entre o chassi e a suspensão é avaliada para ajudar o computador a determinar a correta altura de rodagem.
Mas ainda existe um pequeno problema com esse sistema, quando a altura de rodagem é atingida com medidas radicalmente diferentes de ar em cada canto. Normalmente, a pressão de ar varia de lado a lado aproximadamente 20% ou menos, e ainda é possível enganar o sistema baseado em altura de rodagem, enchendo acima do normal duas bolsas em diagonal, enquanto as outras duas ficam vazias. O computador vai manter o carro no nível, mas as características de performance serão péssimas.

SISTEMAS COMBINADOS
A solução é combinar o sistema de pressão com o sistema de nível de altura em um mesmo conjunto. Um vai servir para checar o outro. Isso é o que a Air Ride Tecnologies vem fazendo em seu novo sistema LevelPro. Mas, para economizar dinheiro, primeiro pode-se instalar o sistema de pressão, e os sensores do sistema de controle de altura podem ser adicionados posteriormente, se necessário.


INSTALAÇÕES CUSTOMIZADAS
Existem kits de suspensão a ar disponíveis para muscle cars, clássicos, modernos, hot rods de alta performance, caminhonetes e utilitários esportivos. Os projetos do sistema de suspensão a ar foram desenvolvidos levando em consideração todos os problemas que uma bolsa de ar poderia sofrer, ou seja, altura, instalação de amortecedor, deslocamento do terminal rotulado, ângulos de suspensão, distância livre do solo, espaço dos pneus e outros parâmetros, que devem ser levados em consideração quando se pretende construir um sistema funcional e seguro.
Em veículos menos populares, para os quais esses kits não foram propriamente fabricados, um construtor de Hot Rod pode desenvolver um projeto customizado de suspensão a ar. Não existe diferença entre o sistema tradicional de suspensão e o sistema de suspensão a ar, exceto pela adoção das bolsas de ar substituindo a mola helicoidal de aço.
Atualmente isso é fácil, porque o sistema de bolsa de ar tem um melhor rendimento em termos de altura de rodagem e capacidade de carga que as tradicionais molas de aço.
Leve em consideração que as bolsas de ar são projetadas para situações predeterminadas, nas quais é importante combinar a bolsa de ar com a capacidade de carga do veículo e o curso de sua suspensão. Uma picape grande com capacidade de puxar um trailer, por exemplo, precisa de uma bolsa de ar maior do que as indicadas para o eixo traseiro de um Mustang 69.
Os profissionais em suspensão a ar geralmente podem fornecer um adequado sistema de bolsas de ar tendo em mãos informações como as características do veículo, altura máxima e mínima desejada e qual a velocidade de subir e levantar do sistema que você precisa.
Da mesma maneira, bolsas e amortecedores podem não oferecer sempre o mesmo resultado em duas aplicações diferentes, mesmo elas tendo similar peso e altura. Lembrando que, anteriormente, na suspensão dianteira, dissemos que o suporte da mola na bandeja exerce um efeito de aumento na suspensão, multiplicando em teoria o novo curso da bolsa em vista da roda, como no comando de válvulas de um motor. Aumentando também o ângulo do amortecedor, será preciso um maior curso da bolsa para manter a altura equivalente do sistema anterior.
Uma vez escolhida a bolsa de ar, ela deverá ser montada no veículo. Cada bolsa de ar tem um design aprimorado para oferecer uma altura de rodagem agradável. Esse dimensionamento de altura da bolsa deve estar em sincronia com a altura de rodagem desejada para determinar como deverá ser montada no veículo, e esse ponto deverá levar em conta o curso de suspensão, o espaço do pneu, a altura do solo e ângulos apropriados da direção, mantendo uma distância adequada da bolsa e outros componentes, pois o contato deles com a bolsa poderá perfurá-la e até mesmo causar acidentes graves.
Uma variedade de suportes universais previamente desenvolvidos são comercializados pelos fabricantes de suspensão a ar. O veículo deve ser posicionado na altura ideal de rodagem, devendo manter pelo menos 4,5” de altura livre do solo e adequar o curso da suspensão com pelo menos 3” de compressão e 2” de abertura total. Verifique se os pratos da bolsa de ar estão em paralelo com a altura de rodagem.
As bolsas de ar Firestone não necessitam de batente de suspensão para a proteção do sistema, mas de qualquer maneira, em sua aplicação deverá ter o batente para que mantenha uma altura segura do solo. Para os outros tipos de bolsas, o batente de suspensão é necessário para preservar as características do produto e não danificar sua construção, o que acarretaria em vazamentos.
Finalmente, ajuste a geometria de acordo com a altura de rodagem do veículo, sabendo que ela mudará quando a suspensão for levantada ou abaixada.

ACERTO DE SUSPENSÃO
Amortecedores e barras estabilizadoras são tão importantes no sistema de suspensão a ar quanto no sistema convencional. Com mola de aço ou bolsa de ar, a finalidade é a mesma: suportar o peso do veículo e dar a altura de rodagem.
Os amortecedores têm a finalidade de controlar a oscilação da suspensão e as barras estabilizadoras controlam o veículo para minimizar a inclinação da carroceria, pequenas mudanças na geometria e transferência de peso durante curvas.
Os especialistas em suspensão a ar recomendam apoiar o veículo na bolsa de ar na posição mais macia possível e com os amortecedores e barras estabilizadoras, ajustando e controlando a oscilação da carroceria. Isso mantém a qualidade de rodagem e é uma das muitas razões para instalar suspensão a ar, melhorando também a performance nas curvas.
Depois de você selecionar e instalar as partes básicas, as reais vantagens da suspensão a ar aparecem quando você roda com o carro. O acerto de uma suspensão tradicional para uma mesma carga,

condições de rodagem, estilo de dirigir e preferências do motorista requerem muito tempo trocando componentes. Com a suspensão a ar, um ajuste fino pode ser feito com o toque de um botão.

DURABILIDADE
A qualidade das bolsas de ar tem sido provada em milhões de quilômetros em uso comercial de carga pesada por mais de 70 anos. A Firestone vem testando seus projetos de por dezenas de milhões de voltas, que se traduzem em 40 a 50 anos de testes. Contanto que as bolsas de ar não fiquem em atrito com alguma coisa e estejam a pelo menos 2” de distância do cano de escape, elas vão durar mais que o próprio veículo.
O problema mais comum é o vazamento de ar, geralmente causado por uma instalação imprópria. O simples uso de um isolante de rosca nos terminais pode prevenir 97% de todos os vazamentos. Outro lugar em que pode haver vazamento é a válvula de ar, se ficar algum fragmento de montagem ou um isolante de teflon em um dos orifícios. Fora isso, raramente elas podem dar problemas.
No caso de uma instalação personalizada, é necessário que se tenha certeza da distância correta do solo e das rodas, pois, se a suspensão se esvaziar totalmente, pelo menos você tem tempo para sair em um acostamento da rodovia sem lixar seu chassi.
Propriamente desenvolvidas e projetadas, as bolsas de ar estão fazendo para as suspensões o que o sistema de injeção eletrônica e a transmissão automática têm feito para o conjunto motriz. Sim, existe a linha do aprendizado e o sistema mais sofisticado é caro, mas há ainda outro passo à frente para que possamos tornar possível montar um carro com que você possa correr no domingo, dirigir para o trabalho na segunda e participar dos encontros nas sextas à noite.

Suspensão McPherson?
Sem problema, a Air Ride Tecnologies oferece o sistema AirStruts que substitui de imediato o conjunto original para os mais populares modelos recentes. Esses AirStruts têm entalhados os furos de montagem da espiga e ajustes excêntricos que auxiliam no ajuste de câmber/caster da geometria sem adicionar aqueles pequenos espaçadores, geralmente, utilizados na geometria para acertar veículos mais baixos que os originais.


#2
raphaelbmx

raphaelbmx

    membro

  • Membro
  • Posts: 499
  • Age: 29
  • Cadastrado: 26/03/2009
  • Cidade:Ponta Grossa PR
me caiu muito bem essa matéria,,,,,,,acabei de comprar um kit pro meu  carro,,,,,,,só q to achando o preço da instalação meio salgado,,,,pesquizando em uma instaladora de renome aqui na cidade a mão de obra sai por R$600,00,,,,também encontrei outra "loja" q o cara instalava por R$150,00 só q ele me manda uma dessa quando perguntei se eles faziam o serviço " o senhor tem o compressor? pois se tiver nao precisa das SONELOIDES" instantaneamente pense puts vo ter q morrer com 600 pila!!!!!


#3
John2012

John2012

    Presidente

  • Membro
  • Posts: 12175
  • Age: 24
  • Cadastrado: 30/09/2008
  • Cidade:São Paulo - Z.O.
Excelente texto, gostei muito, me elucidou algunas questões sobre suspensão a ar.

Legal seria o custo aproximado da instalação em um carro meio que padrão (sei lá... Hatch e suspensão traseira com mola helicoidal) para cada alternativa de gerenciamento. Ou o preço dos módulos de gerenciamento em si.

Eu, particularmente, não confio nem um pouco em suspensões a ar aftermarket de maneira geral pelo simples motivo de não confiar nos profissionais existentes (de maneira geral). Gostaria MUITO de conhecer o trabalho de algum profissional decente que mude minha opinião. A listagem destes profissionais seria muito interessante também.

Ganhou rep+ ;)


#4
KidderBoy

KidderBoy

    VW Power

  • Membro
  • Posts: 996
  • Age: 31
  • Cadastrado: 08/09/2003
  • Cidade:São Paulo/SP

 João Guilherme, em 16 agosto 2010 - 17:57 , disse:

Gostaria MUITO de conhecer o trabalho de algum profissional decente que mude minha opinião. A listagem destes profissionais seria muito interessante também.


Vai na ksa do baza hehehe.

Ótimo texto camarada, poderia ilustrar com algumas fotos de exemplos !!!!

Editado por KidderBoy, 17 agosto 2010 - 11:11 .


#5
tgodoy

tgodoy
  • Iniciante
  • Posts: 1
  • Cadastrado: 11/09/2012
  • Cidade:sao Jose dos campos
Olá Pessoal,

Bom, o meu nome é Thiago e sou novo aqui no Forum... conheci o forum justamente para saber mais da suspensão a ar.

Eu acabei de comprar um Santana 1.8 Sport 1990... o mesmo já veio com suspensão a ar, e várias pessoas já me colocaram medo dizendo um monte de coisas.... bom só queria colocar a minha opinião e saber o que acham:

1) Tiveram pessoas me dizendo que se a bolsa estoura com facilidade: Bom acho que isto vai da regulagem,  se deixar com muita pressão ao passar em um buraco a mesma pode estourar, pq a pressão vai ser muito grande.

2) A bolsa de ar é igual a um pneu, por isto mesmo que a Pirelli e Goodyear fabricam as mesmas.... creio que uma má instalação pode fazer com que cause problemas... se tem caminhões, ônibus e até mesmo Trens (os Trens da CPTM e METRO usam suspensão a ar) então é sinal que são sim confiáveis.

Conclusão rápida, assim como um pneu pode estourar a suspensão também... tudo isto é risco, assim como a mola convencional pode quebrar...

Outra parte que eu queria falar é defendendo a fabricação das suspensões... só quero deixar claro que não ganho NADA para falar das fábricas....

Eu já trabalhei prestado serviços para a Goodyear, eu não era funcionário, apenas prestava serviço.... visitei a fábrica de suspensão a ar da Goodyear que fica em Maua bem próximo ao Rodoanel... posso falar que o processo de fabricação é de alta qualidade, assim como a Pirelli... se não me engano a suspensão é feita para aguentar 300 psi... até mesmo o teste de resistência é feito dentro de uma piscina para absorver parte do impacto do ar, pq é uma pressão muito alta...

Ou seja, temos que entender q a suspensão a ar é novidade no mudo dos carros, mais velho no mundo dos caminhões... assim quando implantaram o sistema de freio por fluido e não por cabos, apesar de ser antigo na época ninguem confiava que o freio poderia funcionar bem ao pressionar o oleo para a pinça de freio, pq todos achavam que os cabos de freio era bem mais eficiente, só que os mesmo rompiam com facilidade.



Sei que este assunto de suspensão a ar poder ser bem chato de ser discutido, e cada um tem a sua opnião... mais eu queria que alguem que realmente teve problema com a suspensão que colocasse a sua opnião e se possível falar como o problema foi solucionado e tb se der citar a marca, pois isto poderia as vezes influenciar... agora falar q conhece alguem q conhece alguem isto pode ser um "factoide", ou seja, a história poderia mudar... então a opnião de quem realmente viveu o problema poderá contribuir para a escolha de que tipo de suspensão devemos usar!

Obrigado!!

Thiago


#6
Harysohn

Harysohn
  • Iniciante
  • Posts: 1
  • Cadastrado: 26/03/2014
  • Cidade:Barreiras/BA
Amigos, poderiam me ajudar com uma dúvida..
Imagine uma bolsa de ar em uma suspensão...  imgine a mesma a uma determinada pressão X com o veículo vazio,
Ao se carregar o veículo, a pressão na bolsa de ar sofreria mudança?


Grato.


#7
artsompb

artsompb

    Sqtrio user, D.I.Y

  • Membro Moderador
  • Posts: 6390
  • Cadastrado: 26/05/2009
  • Cidade:Longe bagarai

 Harysohn, em 26 março 2014 - 20:15 , disse:

Amigos, poderiam me ajudar com uma dúvida..
Imagine uma bolsa de ar em uma suspensão...  imgine a mesma a uma determinada pressão X com o veículo vazio,
Ao se carregar o veículo, a pressão na bolsa de ar sofreria mudança?


Grato.
não significativamente a bolsa é maleável e vai se expandir até onde puder mantendo a mesma pressão.

So ver como mesmo andando num carro com suspa ar os ponteiros mexem muito pouco.

Vc regula em 60-70psi ela vai variar entre 55-80psi , coisa mínima mesmo e somente durante um impacto mais forte e curto.


Enviado do meu Iphone bruto usando esse tal de tapatalk.







Publicidade:
Nova linha de subwoofers NAR